Pride

Diana Balsini detona o preconceito

"Comparar um gay a um pedófilo é tão bizarro e
ofensivo quanto saber que temos alguém deste
calibre como deputado"
“O que a sexualidade tem a ver com caráter?”

Por Neto Lucon (Virgula)

Destaque na última edição do “Big Brother Brasil” (Rede Globo), Diana Balsini causou polêmica ao repudiar apelidos pejorativos, questionar as divisões LGBT, e engatar uma amizade colorida com Nathália.

Em entrevista exclusiva ao Virgula, ela fala abertamente sobre assuntos da comunidade gay, dispara contra o deputado
 Jair Bolsonaro, Dia do Orgulho Hétero e da censura envolvendo casais gays. "É muita hipocrisia", defendeu. Veja:

1- JAIR BOLSONARO
(Deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ) vai à mídia e ganha popularidade ao fazer declarações contra comunidade LGBT e o kit contra homofobia. Entre elas: “prefiro um filho morto que veado”, “Após união gay, vão querer legalizar a pedofilia” e “vizinho gay desvaloriza imóvel”.)

“Visivelmente ele é uma pessoa atrasada, que infelizmente dissemina uma visão errônea do que é opção sexual (sic), algo tão íntimo e pessoal que não deveria ser razão para discursos. Vejo por mim mesma. Aos 20 anos tive uma experiência com uma amiga, gostei e continuei ficando com ambos os sexos, sem me sentir culpada por minhas vontades. E o que isso tem a ver com meu caráter? Até que ponto o fato de eu ficar com outro sexo aflige minha conduta como ser humano? Garanto que tenho muito mais respeito pelas pessoas, sou muito mais íntegra e honesta que muita gente por aí. Amo minha família, trabalho, sou consciente do meu papel como cidadã, fui muito bem educada e trato bem todos que estão a minha volta. Comparar um gay a um pedófilo é tão bizarro e ofensivo quanto saber que temos alguém deste calibre como deputado.” 

2- BEIJO EM NOVELA. SÓ LÉSBICO PODE?

“A questão não é essa. Hipocrisia é a questão. A TV simula a vida real e, por isso mesmo, toda novela tem pelo menos um casal gay. Se eles existem, porque não podem se beijar? Com as mulheres, por serem mais íntimas, parece não chocar tanto. Talvez algumas pessoas não estejam preparadas para um beijo homossexual masculino, até pela ‘virilidade e macheza’ esperada pelos homens, outro ponto patético. Homens devem ser sensíveis, sim. Na própria TV, tem tanto ator e atriz gay, inclusive diretores e roteiristas, que só posso dizer que a hipocrisia esta no ar, literalmente.

3- DIA DO ORGULHO HÉTERO
(Neste mês, o vereador Carlos Apolinário (DEM) conseguiu que o projeto Dia do Orgulho Heterossexual fosse aprovado na Câmara. Ele diz que a criação da data busca levantar o debate sobre ‘privilégios e excessos’, como a Parada Gay).

“Diante de tanto preconceito e ofensas, não vejo os gays como privilegiados, sinceramente. Mas acredito que o conflito já foi criado depois que dividiram as pessoas e seus gostos pessoais em grupos distintos. A parada gay foi criada após uma opressão, numa época em que não se admitia a existência de pessoas com vontades sexuais próprias, que queiram experimentar uma diversidade sexual. Não vejo héteros sendo “apedrejados” pela sociedade. Vão as ruas lutar por direitos? Quais? Um casal hétero já tem todo apoio possível, diferente dos homossexuais. Várias festas durante o ano poderia ser excesso, mas não é o caso.

4- TUDO É HOMOFOBIA?
(Neste ano, uma ONG processou Marcos Mion por achar que ele pegou pesado nas brincadeiras com Nany People em seu programa na Record. Nany não se sentiu discriminada e soltou: “Daqui a pouco vão ter que rezar Ave Maria para fazer humor”, defendeu).

Diana fala sobre gays em reality show,
o primeiro beijo lésbico e a transexual Ariadna
“Acho que você tem que ter noção do que você esta falando, para quem esta falando e ainda analisar o nível de intimidade que você tem. Afinal, colocar apelidos pode ofender quem ouve.” 

5- BELEZA TRANS
(Depois de 20 anos, desde que Roberta Close tirou a roupa para uma revista masculina, a também mulher transexual Ariadna é capa de uma edição especial da Playboy).

“Cada um com sua vida, ela é pessoal e intransferível. Se um homem toma atitude de se submeter a cirurgias delicadas a fim de se transformar em uma mulher, essa vontade deve ser respeitada. No exemplo acima, temos duas pessoas que tiveram sucesso total em suas cirurgias e hoje são vistas como mulheres de fato. Inclusive são lindas.”

6- UNIÃO CIVIL APROVADA
(Em maio, por unanimidade o STF reconhece a relação entre pessoas do mesmo sexo, garantindo direitos, como a partilha de bens. Muita gente confundiu com casamento gay.)
“Gostei da noticia, esta mais do que na hora das pessoas, como um todo, terem seus direitos garantidos. Estamos dando um passo a frente.”

7- REALITY SHOW. MUITO OU NADA. 
(Em 2011, o Big Brother Brasil trouxe a comunidade colorida em peso, uma bissexual, dois gays e uma transexual. Na Fazenda, todavia, há rumores de que participantes da comunidade LGBT, como Thammy Gretchen e Luisa Marilac, tenham sido cortados).

“Bom, isso é que nem na novela. Não adianta excluir, nossa realidade é essa: existem gays, transexuais, travestis, assim como existe gente gorda, careca, manca, com problemas mentais, ou gente covarde, grosseira, com desvio de caráter. Quero dizer que existem pessoas, ponto. E nenhuma é igual a outra, graças a Deus!

About Neto Lucon

Jornalista. É formado pela Puc-Campinas e pós-graduado em Jornalismo Literário pela Academia Brasileira de Jornalismo Literário. Escreveu para os sites CARAS Online, Virgula e Estadão (E+), Yahoo!, Mix Brasil, no jornal O Regional e para a revista Junior. É autor do livro-reportagem "Por um lugar ao Sol", sobre pessoas trans no mercado de trabalho. Tem quatro prêmios de jornalismo, sendo dois voltados para as questões trans, Claudia Wonder e Thelma Lipp

3 comentários:

Spell disse...

Nossa Amei essa Entrevista :D

Lili Castilhos disse...

Ameeei, mto boom mesmo (:

Anônimo disse...

Esta é a Diana que vi dentro do bbb11 e aqui fora, sempre sincera e firma em suas respostas. É realmente uma pessoa admirável. Parabéns!!! Amei esta entrevista.bjos.Sol

Tecnologia do Blogger.