Header Ads

Transserviços

Ke$ha para adolescentes


Ensaiada, Ke$ha promove show de ousadia para adolescentes em São Paulo

Por Neto Lucon (Virgula)

Repleta de efeitos de iluminação, papel picado e batidas fortes, a cantora Ke$ha (ela mesma ensinou a pronúncia correta, "quéxa") fez o primeiro show no Brasil na noite desta quarta-feira (28) e levantou o público do Via Funchal, em São Paulo. Com atitudes bastante ensaiadas, ela promoveu momentos de ousadia aos olhos dos fãs adolescentes: quebrou uma guitarra, bebeu no palco, trouxe caveiras, lambeu o rosto de uma backing vocal, cuspiu e jogou objetos na plateia.

Na apresentação, Ke$ha apareceu vestindo um maiô colado, óculos iluminados e apostou no hit Sleazy, que permeou o estilo dançante e pop do show. O público, formado principalmente por adolescentes – muitos deles fantasiados como sósias da cantora – pulava e dançava o tempo inteiro, o que, aliado aos efeitos de iluminação e som, dava a sensação de estar dentro de uma balada.

"Eu amo São Paulo", dizia a cantora de 24 anos a cada troca de música, o que gerava gritinhos histéricos das "Keshetes". Porém, quando elaborava alguma frase maior – como na que disse que passaria “glitter em seus peitinhos” – pouca reação era gerada, talvez pela pouca familiaridade do público com o inglês. Quando gritaram “Ke$ha, eu te amo”, era a cantora que não entendia...

No setlist, a loirinha trouxe vários hits, como Tik TokTake it OffYour Love is My Drug e Blow. Ela abusou do Autotune, processador que disfarça falhas de afinação, e em alguns momentos contou com playback. Mas cantou, gritou, dançou, tentou tocar guitarra, 'decidiu' quebrá-la e, após ficar borrada com glitter, convenceu de que realmente é uma artista que sabe tomar o palco.

Ao lado de bailarinos – que chegam a se vestir de mulher, interpretam vários personagens e se tornam peças fundamentais para o show – Ke$ha demonstrou ter aprendido o que é ser uma artista pop. Criticada por muitos, principalmente pelas atitudes um tanto forçadas, ela corresponde às expectativas dos fãs durante o show. Só pecou no final, quando sua performance tornou-se um pouco fria em relação ao início do show.

Ela cantou a música We R Who We R e deixou o palco para um cantor desconhecido, que parecia um animador de festa infantil. Depois, só voltou ao palco para atirar objetos e rolos de papel no público. Saiu, sem dizer nada, deixando para suas sósias (com maquiagem borrada, cifrões desenhados nas pernas e até lingerie à mostra) fazerem pose de más no espaço – e tirarem fotos do palco vazio. Mas foi o bastante para divertir os fãs da popstar. "Foi maravilhoso, dancei muito", disse uma fã emocionada. Não foi só ela, viu...



Crítica foi destaque no Virgula Música

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.