Realidade

Amor sorodiscordante


1 de dezembro é o Dia Mundial de Combate à AIDS. Como escrevi anteriormente um texto sobre prevenção e dados, resolvi relembrar uma das primeiras reportagens que escrevi para a revista JUNIOR (edição 12): é a segunda história de “Mudei de Vida por Amor”. 

Trata-se de um jovem que sempre foi azarado no amor e que, para piorar a situação, acabou se envolvendo em uma situação de risco. Resultado: descobriu ser soropositivo e imaginou que jamais pudesse viver uma história de amor.


“Depois da AIDS, imaginei que morreria sem viver um grande amor”  

Foram vários anos de desilusões amorosas na vida de Vitor, de 27 anos. A entrega era geralmente rápida e a paixão nem sempre correspondida na mesma intensidade. Um verdadeiro azarado! Até que aos 20 ele conheceu Afonso, um gringo de 40.

Parecia ser a pessoa mais perfeita do mundo, com direito a beijo na Avenida Paulista, muito carinho e atenção. Quando completou dois meses de relacionamento, Vitor resolveu fazer uma surpresa ao namorado. Saiu mais cedo do trabalho, comprou um presente e subiu direto ao flat de Afonso, mas... Viu a cena mais grotesca de sua vida: Afonso e mais dois caras na cama. "Fiquei ali parado, sem reação”, conta.

Além da decepção amorosa – que ele não insistiu em retomar, mesmo após inúmeros pedidos de desculpas – Vitor recebeu uma notícia assustadora ao fazer um exame de sangue para um tratamento de pele: estava com reagente para HIV. “Fiquei tenso, pois sempre me cuidei com todos os parceiros, exceto com aquele que peguei na cama com dois caras. Fiz o exame e confirmei a notícia. Meu mundo desabou”, lembra.

Depois de sofrer muito, fazer terapia e frequentar grupos de apoio, ele finalmente se abriu para novos relacionamentos. Mas as decepções continuaram, principalmente quando contava que era soropositivo.

Alguns me falavam tchau e saíam, outros ficavam parados sem dizer uma palavra, mas depois não respondiam minhas ligações ou e-mails. Alguns ficavam com dó e eu não queria que alguém sentisse pena de mim. Até surgiram pessoas que ignoravam, mas eram aquelas que queriam sexo sem segurança ou sexo com vários parceiros, um bacanal”.

Tudo parecia perdido até que Vitor conheceu, através de amigos, seu atual namorado, que ele chama carinhosamente de Lindo. “Quando o vi pela primeira vez, senti algo que jamais pensei sentir novamente. Nem sei explicar, mas era tão gostoso”, lembra.

Eles conversaram durante uma semana e Vitor evitou ir para cama com Lindo. “Quando fomos, não foi legal. Fiquei assustado e com medo de a camisinha estourar”, assume ele, que tentava a todo momento terminar a relação. “Mas eu não conseguia. Meus amigos diziam que eu teria que revelar e que, se ele me amasse de verdade, me aceitaria”.

No filme "O Golpista do Ano", Rodrigo Santoro interpreta um soropositivo
que namora o personagem de Jim Carrey, Steven. 
Após irem à balada com amigos, Lindo foi deixar Vitor em sua casa. No caminho, Vitor questionou se eles estavam namorando ou apenas ficando. Para o “azar” de Vitor, que esperava terminar a relação, Lindo respondeu que considerava a relação um namoro. “Eu estava louco para ele dizer que estávamos apenas ficando, seria mais fácil terminar, mas ele falou em namoro”. 

Foi então que Vitor decidiu, mesmo aflito, contar que era soropositivo e toda a sua história. “Ele me abraçou e começou a chorar. Eu também chorava sem olhar para ele. Mas ele pegou na minha mão e segurou firme”, diz. Calados, eles seguiram para um hotel, onde se abraçaram, choraram e dormiram juntos.

“Quando acordamos, Lindo disse a frase mais linda que eu escutei na vida: ‘Independente do que você tem, eu gosto de você. Iremos nos proteger e viveremos juntos”, escutou com o coração acelerado, tendo a vida ganhado uma nova cor naquele momento.

“Sempre achei que morreria sem ter vivido um grande, intenso e verdadeiro amor. Agora, estou construindo a nossa felicidade. Comecei a frequentar a casa ele e, ele, a minha. Ninguém da minha ou da família dele sabem o que eu tenho. Aliás, é um assunto que jamais tocaria com alguém. Não é necessário, está bem assim”, declara o jovemr, que planeja morar com Lindo, viajar pelo mundo e até adotar um filho. Felicidades!


About Neto Lucon

Jornalista. É formado pela Puc-Campinas e pós-graduado em Jornalismo Literário pela Academia Brasileira de Jornalismo Literário. Escreveu para os sites CARAS Online, Virgula e Estadão (E+), Yahoo!, Mix Brasil, no jornal O Regional e para a revista Junior. É autor do livro-reportagem "Por um lugar ao Sol", sobre pessoas trans no mercado de trabalho. Tem quatro prêmios de jornalismo, sendo dois voltados para as questões trans, Claudia Wonder e Thelma Lipp

0 comentários:

Tecnologia do Blogger.