Pride

Fiuk detona o preconceito

Ao contrário do que muita gente esperou,
Fiuk surpreendeu em pergunta perigosa
da 'Playboy'
“Acho uma idiotice não respeitar o ser humano pela opção sexual

Depois de Elke Maravilha, trago a segunda personalidade que fez uma declaração a favor dos gays e que não tomou repercussão alguma. Foi o galã de “Aquele Beijo” (Rede Globo): Fiuk.

Em entrevista à revista “Playboy”, ele dá um exemplo de como falar que é heterossexual, abordar a homossexualidade, sem denegrir a imagem de ninguém. Veja:

"Cara,se pintasse curiosidade em transar com homem, eu não teria problema nenhum com isso, nenhum mesmo. Mas homem é barbudo e, de pau, já basta o meu. Respeito quem discorda; não tenho preconceito, pelo contrário.

Na Globo, por exemplo, os camareiros que são quase todos homossexuais, são mais legais de conversar do que algumas pessoas do elenco. São engraçados pra caralho, falam merda, contam um monte de podres de todo mundo.

Acho uma idiotice não respeitar um ser humano pela opção sexual (sic). Só porque a Igreja fala que o homem nasceu para casar com uma mulher e ter filhinhos?!? Se uma mulher quer casar com outra mulher e ser feliz, que case.

A gente tem que viver do jeito que a gente acha que tem que viver".

About Neto Lucon

Jornalista. É formado pela Puc-Campinas e pós-graduado em Jornalismo Literário pela Academia Brasileira de Jornalismo Literário. Escreveu para os sites CARAS Online, Virgula e Estadão (E+), Yahoo!, Mix Brasil, no jornal O Regional e para a revista Junior. É autor do livro-reportagem "Por um lugar ao Sol", sobre pessoas trans no mercado de trabalho. Tem quatro prêmios de jornalismo, sendo dois voltados para as questões trans, Claudia Wonder e Thelma Lipp

2 comentários:

Henderson Arsênio disse...

É isso aí, cara!
Como canta o filósofo Zeca Pagodinho: "Cada um com o seu cada um/Deixa o cada um dos outros", eheheheh!

RICARDO AGUIEIRAS disse...

Neto, acho legal demais o que você está fazendo. Se tem gente destilando preconceito, também tem gente legal, falando coisas boas a afirmativas. Claro que eu poderia aqui ficar dando uma de militante chato e ficar falando pro Fiuk que não é "opção sexual", mas, em primeiro lugar, ele não é presidente da república, né? E depois, um grave erro no meu modo de ver, é que a militância quer pedir menos preconceito às pessoas, mas fala uma linguagem que só nós compreendemos? Quem entende, fora do meio militante o termo "LGBT" , por exemplo?? Sim, isso são construções nossas e devemos lutar por elas, mas temos que ter a compreensão que tudo ainda é muito recente e que as pessoas não são "culpadas" por não saberem das coisas. E o Fiuk é muito novo, ainda. Claro que tem aquela percepção de que "nós somos melhores para conversar, falar merda e fazer fofocas"... mas isso não é preconceito, ao contrário é algo afirmativo, positivo ele dizer isso. Fico grato a você, feliz pelo Fiuk ser assim e espero que você, Neto, continue com a sua ideia excelente de colocar famos@s falando coisas em nosso favor. Precisamos urgente disso!
Beijos,
Ricardo Aguieiras
aguieiras2002@yahoo.com.br

Tecnologia do Blogger.