Pride

Geri detona o preconceito

Colocando-se como gay, Geri prova que não
tem preconceito algum. Dizendo que os ama,
faz um discurso de aceitação. 
“Sou um homem gay preso no corpo de uma garota

Nos anos 90, o poder feminino tomou conta do inconsciente dos adolescentes. Tudo isso graças às Spice Girls e o seu Girl Power. Geri Halliwell, a líder, era de longe a mais abusada. Apertou o bumbum de príncipe Charles, exibia figurino extravagante e até posou como veio ao mundo para a revista “Playboy”.

Tempos depois, ela foi a primeira a deixar o grupo e, em 2007, foi a que mais insistiu para Victoria, Emma, Mel B e  Mel C retornarem. De fato, Ginger Spice é um exemplo de atitude e sempre foi, desde os tempos de Spice, gayfriendly.

Em 1999, em carreira solo, gravou a canção G.A.Y, b-side do single Mi Chico Latino. Depois, deu um beijão na cantora Kylie Minogue no programa TFI Friday. Já em 2001, relançou o hit “It’s Raining Men”, um hino para a comunidade LGBT.

Ainda em 2001, em entrevista à emissora inglesa BBC, ela fez um discurso em prol da comunidade e afirmou que estava em uma fase bem gay. Veja:

"Eu amo os gays e estou vivendo uma fase gay. Sempre gostei da companhia de gays. Talvez porque sou um homem gay preso no corpo de uma garota.

Sou uma garota travessa que gosta de se vestir como uma Barbie e que gosta da companha masculina, mas sem a ameaça do pênis."





                Gostou? 
Então veja outras personalidades que detonaram o preconceito
- Fiuk (isso mesmo!)

About Neto Lucon

Jornalista. É formado pela Puc-Campinas e pós-graduado em Jornalismo Literário pela Academia Brasileira de Jornalismo Literário. Escreveu para os sites CARAS Online, Virgula e Estadão (E+), Yahoo!, Mix Brasil, no jornal O Regional e para a revista Junior. É autor do livro-reportagem "Por um lugar ao Sol", sobre pessoas trans no mercado de trabalho. Tem quatro prêmios de jornalismo, sendo dois voltados para as questões trans, Claudia Wonder e Thelma Lipp

0 comentários:

Tecnologia do Blogger.