Pitacos

Tributo Ruivão Fernandes

Imagem que está no facebook de Ruivão
Fernandes Apenas

“Você é o primeiro ruivo que converso”

Por Neto Lucon

"Geralmente tenho vergonha de me aproximar de outros ruivos. Você é o primeiro”, declarou Ruivão Fernandes Apenas, há um ano. Participávamos da Marcha Contra a Homofobia, uma passeata contra os ataques de homofobia, na Avenida Paulista, e ele estava acompanhado da travesti Márcia Lima, política de quem sou admirador e que registrei uma foto.

Embora não tenha levado o discurso muito a sério, voltei a perguntar sobre a vergonha de outros ruivos quando nos adicionamos no Facebook. E ele respondeu: “olha, se eu disse pode acreditar, é verdade”. E depois revelou que chegou ao ponto de sair de um ônibus só porque notou a presença de outro homem com os cabelos alaranjados.

Ele realmente sentia orgulho de ser exatamente como é, o que para mim era muito curioso. Afinal, sempre tive vergonha de ser diferente dos demais, ou seja, de ser o único ruivo das rodas. Na escola, usei boné da quarta série ao terceiro colegial para esconder as madeixas – isso sem contar que esfolei (não é esfoliei, não) meu rosto inteiro por conta das sardas. Crianças sabem ser cruéis.... 

Só depois que conheci Ruivão – e essa fixação dele com a cor do cabelo – é que comecei a valorizar e a encarar com bons olhos minha “ruivez”, que hoje já está bem mais escurecida. Era como se fosse um “plus”, um diferencial, em meio a pessoas tão iguais. E assim foi o que ele representou neste breve contato.

A amizade foi curta, mas sempre muito respeitosa, carinhosa. Encontrei-o novamente em maio, no dia em que a união gay foi aprovada, também na Avenida Paulista. Desta vez, foi ele quem pediu para registrar uma foto e intitulou “o encontro de ruivos”. Foi a última vez que o vi pessoalmente. Ruivão morreu vítima de meningite aguda neste ano.

Deixo aqui, os meus sentimentos aos amigos e familiares. E digo que, se fui mesmo o primeiro ruivo que ele conversou, ele foi o primeiro a aumentar a minha auto-estima. Obrigado! Eternos abraços ruivos...

Militante, ele esteve em dois eventos que participei. 

About Neto Lucon

Jornalista. É formado pela Puc-Campinas e pós-graduado em Jornalismo Literário pela Academia Brasileira de Jornalismo Literário. Escreveu para os sites CARAS Online, Virgula e Estadão (E+), Yahoo!, Mix Brasil, no jornal O Regional e para a revista Junior. É autor do livro-reportagem "Por um lugar ao Sol", sobre pessoas trans no mercado de trabalho. Tem quatro prêmios de jornalismo, sendo dois voltados para as questões trans, Claudia Wonder e Thelma Lipp

2 comentários:

Renata Valente disse...

Emocionante! amigo que homenagem linda, este menino Ruivão nos ensinou a todos, ele lutava com amor, e como acredito que estamos de passagem aqui, sei que ele continua entre nós, como sempre.. amei esta grande homenagem ao nosso amigo querido Ruivão.. beijos Deus abençoe!

RICARDO AGUIEIRAS disse...

Eu adorava ele, apesar de brigar muito - com quem eu não brigo?... risos - Ele tinha o lance adorável de fazer farra e de se amar, o que incomoda muitos e muitas... e, desse modo, ampliava a nossa luta por dignidade e direitos. Saudades dele...
Ricardo Aguieiras
aguieiras2002@yahoo.com.br

Tecnologia do Blogger.