Pitacos

Revista Bear Mais Magazine - 1

Revista valoriza beleza de homens que fogem do padrão
Neste mês, além de escrever uma reportagem sobre carnaval para revista “ACAPA”, fui convidado para ter uma coluna que levaria meu nome na revista virtual “Bear Mais Magazine”, destinada ao público ursino – homens gordinhos e peludos que fazem parte da vasta comunidade LGBT.

Fiquei muito feliz com o convite, principalmente quando me deram carta branca para escrever o que eu quisesse. “Confiamos em você, conhecemos o seu trabalho e acreditamos que possa colaborar bastante conosco”, declarou o editor da publicação Marcelo Gomes de Andrade, em uma reunião.

No primeiro texto, que está na edição de fevereiro, falo sobre a importância de veículos segmentados e da importância de uma revista voltada a um público pouco valorizado pelas publicações.

Penso que a revista, embora ainda esteja em crescimento e, claro, precisa de alguns ajustes, é um excelente espaço para a valorização de homens que não compõem o perfil de beleza padrão (malhado, definido e tal). Além de trazer informações diferenciadas das demais.

Abaixo segue alguns trechos do texto de apresentação da coluna. Quem quiser ver na íntegra, basta baixar a revista aqui. 

Duas páginas da coluna na revista 'Bear Mais Magazine'

 “Um lugar para chamar de meu, de nosso”
Por Neto Lucon

“Sofro mais preconceito por ser gordo que por ser homossexual”. Esta foi a frase que mais escutei de amigos ursos em idas a baladas e bares com a temática. As histórias, embora aparentemente superadas, eram sempre tristes e revoltantes. Vão desde as chacotas no ambiente de trabalho, dos bloqueios em salas de bate-papo, até de um namorado que sempre evitou apresentar o companheiro rechonchudo aos amigos por sentir (prestem atenção) vergonha!

Parece um tanto exagerado, uma vez que os problemas discutidos sempre giram em torno de homofobia, transfobia, mas infelizmente é uma realidade que muitos gordinhos (que não conhecem o mundo ursino) sabem – e que muitos que estão dentro também sofrem. Afinal, independente de sexualidade, sexo ou classe social, pessoas gordas geralmente não são valorizadas.

Meu primeiro contato ocorreu em 2009, quando escrevi uma reportagem para a revista “Junior” sobre o site “Ursos.com”. Desta experiência, percebi que (sendo gordinho) não estava sozinho no mundo do culto ao corpo malhado, que existiam outros iguais a mim que passavam por situações parecidas e que estavam dispostos a vivenciar seus relacionamentos da melhor maneira possível. De lá para cá, outras histórias surgiram... E pela primeira vez contarei para vocês aqui.

       UMA REVISTA NECESSÁRIA
Conheci a “Bear Mais Magazine” por acaso, quando me questionei e pesquisei na internet se existia alguma mídia (revista, blog ou site) que falasse diretamente com e sobre ursos.Muita gente não dá o devido valor, mas é extremamente importante existir veículos segmentados.

São através deles que criticamos as demais publicações e valorizamos algo que é tão particular de um grupo pouco visto. Um bom exemplo é a revista “Raça Brasil”. No período em que ela foi criada, em setembro de 1996, não existiam negros em campanhas publicitárias, negros em capas de revistas, negros em destaques em novelas, assim como não vemos ursos sendo valorizados pelos canais gays.

Hoje, houve uma transformação gigantesca para este grupo. Negros são protagonistas de novela, estampam as mais diversas revistas e são visíveis aos olhos de todos. “Fico feliz em não sermos à única revista com negros e personalidades negras na capa. ‘Raça Brasil’ foi causa e efeito dessa significativa mudança”, declarou a diretora geral da publicação, Liliane Santos, quando a revista comemorou 10 anos.

Sobre o mundo ursino, uma das primeiras revistas segmentados surgiu em 1987, pelas mãos de Richard Bulger e seu parceiro Chris Nelson, em São Francisco, Califórnia. Começou como um pequeno panfleto chamado “Bear Magazine” e cresceu, cresceu, tornando-se em cinco anos uma referência internacional. Tanto que nos anos 90 fixou-se como “Bear”, a revista masculina que trazia homens normais e másculos em ensaios provocantes.

E, assim como a “Bear Magazine” de lá, acredito no público e na força de nossa web-revista brasileira. Ela cresce a cada edição e, agora, conta com várias novidades em 2012. A ideia inicial para minha (nossa) coluna é trazer reflexões, provocar debates, entrevistas e, por que não, receber críticas de quem não concordar com algum texto. Afinal, é assim que amadurecemos.

(texto continua... Clique aqui e veja)

Na edição tem um ensaio muito ousado com o ursinho Caio

About Neto Lucon

Jornalista. É formado pela Puc-Campinas e pós-graduado em Jornalismo Literário pela Academia Brasileira de Jornalismo Literário. Escreveu para os sites CARAS Online, Virgula e Estadão (E+), Yahoo!, Mix Brasil, no jornal O Regional e para a revista Junior. É autor do livro-reportagem "Por um lugar ao Sol", sobre pessoas trans no mercado de trabalho. Tem quatro prêmios de jornalismo, sendo dois voltados para as questões trans, Claudia Wonder e Thelma Lipp

1 comentários:

Iris disse...

parabéns, neto :)

e quando você vai ser capa? hehehehehehe
queremos ensaio sensual ruivo hehehehehehehehe

brincadeirinha!

Tecnologia do Blogger.