Pitacos

A maior vitória da trans Léo Áquilla em 'A Fazenda 5'

Embora não seja a grande favorita a vencer o reality show A Fazenda 5, da TV Record, nesta quarta-feira (29), Léo Áquilla (41) já tem uma grande vitória para comemorar. Ela é a primeira e única transgênero – pessoa que transita de um gênero ao outro - a conseguir escapar das primeiras eliminações e chegar à grande final de um reality show brasileiro.
Vaidosa e com resquícios de drag queen, a loira de rosto de boneca não esqueceu de sua promessa de brilhar.

 Levou perucas, figurinos espalhafatosos, sapatos de salto alto e provocou polêmica ao questionar a necessidade de ser vista como mulher. Segundo ela, seus médicos rejeitaram a cirurgia de redesignação sexual (a mudança de sexo) e existe até a possibilidade de que um dia volte a ser menino. “Penso até em tirar essas próteses”, soltou aos peões, preferindo integrar-se ao time masculino da atração.
Travesti? Transexual? Transformista? Drag queen? Homem ou  Mulher? “Me chame como você quiser”, disse ela ao humorista Rodrigo Capella (30), no programa de estreia, rompendo com os rótulos e com o jejum de participações pequenas de travestis e transexuais em programas do mesmo formato. Desde 2004, quando a atriz curitiabana Bianca Soares (29) participou e foi eliminada na primeira semana da Casa dos Artistas – Protagonistas de Novela – as participações de trans foram pouco expressivas. Preconceito, falta de sorte e falta de engajamento político muitas vezes motivaram as repentinas saídas. 
Exemplos não faltam: No Big Brother Brasil, da TV Globo, em 2011, a cabeleireira Ariadna Arantes (28) foi a primeira transexual a ser escalada para o jogo e também a primeira a ser eliminada com 49% dos votos. As cantoras transexuais Lívia Mendonça (24) e Valéria Houston (31), que participaram respectivamente dos programas Ídolos, da Record, e Astros, do SBT, também não prosseguiram na segunda etapa da atração, mesmo com o taleno reconhecido pelo público.

 De todas, somente Nany People (47) foi mais longe e, em meio a muitas discussões e opinões fortes, foi a quinta eliminada de A Fazenda 3.
O maior exemplo
Jornalista, repórter de celebridades e performer de casas noturnas, Léo foi de fato a cor mais vibrante, a inclusão social entre o bundalêlê e a polêmica mais camaleônica desta edição. 

Certamente não vai vencer o programa - é considerada a grande zebra - nem reflete uma quebra de preconceitos - pois sequer foi indicada para a roça - mas sua participação entre musas de escolas de samba, atores e dançarinas é a prova de que é possível pessoas tão diferentes viverem e conviverem em harmonia.
Afinal, apesar de a participante não provocar grandes brigas, momentos hilários ou polêmicas, a sua boa convivência com os demais peões e o discurso sobre sua história de vida foram os responsáveis por torná-la finalista. Revelações, choros e borrões na maquiagem perpetuaram seus discursos e marcaram o programa: “Quando voltava do colégio, os meninos me agrediam moralmente. Até que um dia eu fui literalmente apedrejado na rua”, contou aos peões.
Represento uma classe sofrida, mas sou a prova de que posso chegar lá. Minha vitória é ter chegado à final”. Sorte ou não, a artista tem o mérito de ser a única participante a não ter ido para a roça. E a única trans a ser finalista. Uma grande vitória. Um show de realidade!

About Neto Lucon

Jornalista. É formado pela Puc-Campinas e pós-graduado em Jornalismo Literário pela Academia Brasileira de Jornalismo Literário. Escreveu para os sites CARAS Online, Virgula e Estadão (E+), Yahoo!, Mix Brasil, no jornal O Regional e para a revista Junior. É autor do livro-reportagem "Por um lugar ao Sol", sobre pessoas trans no mercado de trabalho. Tem quatro prêmios de jornalismo, sendo dois voltados para as questões trans, Claudia Wonder e Thelma Lipp

0 comentários:

Tecnologia do Blogger.