Pop & Art

Prestes a viver Dona Redonda, Vera Holtz diz: 'É uma reverência ao passado'


Depois de dar vida a Mãe Lucinda, Vera Holtz (59) terá outro desafio em sua carreira: interpretar a inesquecível Dona Redonda, papel imortalizado por Wilza Carla (1935-2011), no remake da novela Saramandaia, de Ricardo Linhares(50), prevista para estrear no segundo semestre pela Globo. A primeira versão é de 1976. 
Em entrevista ao NLucon, a atriz afirmou que foi ela quem escolheu a personagem e que está feliz por homenagear o passado. “Sempre achei interessante essa personagem, pela autonomia, grife, é histórica. Meu trabalho é quase jornalístico, de reverência ao passado, é isso que me deixa muito estimulada”, contou.
Em Saramandaia, Dona Redonda chega a explodir em uma cena de tanto comer. “Eu tenho uma queda por essas personagens. Lembro de filmes americanos sobre obesos e sempre tive curiosidade sobre a maneira de interpretar e lidar com um corpo grande, com o desequilíbrio”, revela ela, que também assistiu o musical Hairspray nas versões de Edson Celulari (54) e John Travolta (58). “Eles eram grandes e ao mesmo tempo leves, bailarinos”.
Apesar de a personagem ser gordinha, a atriz afirmou que não precisará aumentar as suas formas e nem passar por um regime de engorda. “Eu já fico grande na tela, sou uma pessoa que aparenta ser mais forte. Ainda tenho que arredondar, mas isso a gente deve contar com um trabalho de figurino e com os recursos tecnológicos”, afirmou. "Não terei que passar por nenhuma nutricionista", diverte-se.
Ao comentar sobre os vários remakes da televisão brasileira, Vera afirma que é uma fase mundial. “É um reflexo que o mundo inteiro está produzindo. Você vê filmes e séries sendo relançadas, filmes que têm versões diferentes em diferentes países. Ao meu ver, isso é uma leitura de uma mesma outra, não tem problema. É como no teatro. Quantos Shakespeare estão sendo montados? Estamos repetindo a tragédia Grega desde a Grécia. Não significa que você está reescrevendo, mas escrevendo com o seu olhar”, finalizou.

Pela caracterização logo acima - feita durante quatro horas - não resta dúvidas de que ela marcará novamente a televisão brasileira.


Assista à cena de Dona Redonda em 1976:

About Neto Lucon

Jornalista. É formado pela Puc-Campinas e pós-graduado em Jornalismo Literário pela Academia Brasileira de Jornalismo Literário. Escreveu para os sites CARAS Online, Virgula e Estadão (E+), Yahoo!, Mix Brasil, no jornal O Regional e para a revista Junior. É autor do livro-reportagem "Por um lugar ao Sol", sobre pessoas trans no mercado de trabalho. Tem quatro prêmios de jornalismo, sendo dois voltados para as questões trans, Claudia Wonder e Thelma Lipp

0 comentários:

Tecnologia do Blogger.