Entrevista

Guilherme Leicam: “Beleza só conta a favor quando conjugada com inteligência”; leia entrevista

Ator diz que se inspira em James Dean e Paulo Autran

Por Neto Lucon (O Fuxico)

Guilherme Leicam é o mais novo galã da televisão brasileira. Dono de traços finos, olhar marcante e talento para a arte, o ator gaúcho, de 22 anos, desperta os gritos histéricos das fãs e encanta, toda vez que Vitor, seu personagem em Malhação, da Globo, aparece, seja em cima da moto ou conquistando os corações.
Este é o primeiro papel de protagonista de Leicam (seu sobrenome artístico, Maciel de trás para frente), que iniciou a carreira aos 13 anos no teatro. Na tevê, ele esteve em Tempos Modernos (2010) e Fina Estampa (2011), ambas da Globo.
Com a nova e (bem aproveitada) oportunidade, ele vê a legião de fãs aumentar e promete seguir os passos de Caio Castro, Cauã Reymond e Klebber Toledoi, galãs de sucesso também revelados pelo folhetim adolescente.
Em entrevista exclusiva, o ator fala sobre as comparações com Robert Pattinson, o assédio das fãs e a vida de solteiro. Ele afirma ainda que a beleza ajuda, mas não é fundamental para um artista ter sucesso na carreira.
- Depois de duas experiências em folhetins, como está sendo encarar o protagonista de uma obra? O que muda?
A única coisa que difere é a questão da visibilidade do público. Agora, as pessoas e a mídia conhecem mais o meu trabalho. Mas eu encaro um protagonista da mesma maneira que um personagem secundário. Acredito que qualquer papel deva ser feito com a mesma responsabilidade e concentração, faz parte do trabalho de ator. Nunca senti pressão alguma, isso só atrapalharia meu trabalho. Sempre trabalhei com pessoas que me incentivam e ajudam muito.
- O assédio aumentou? Como você lida com as fãs?



Eu lido bem com o assédio das fãs, acho muito legal ter o seu trabalho elogiado. Na verdade, acho que é a melhor parte. Gosto muito de receber esse carinho e ele vem de todas as partes, tenho todos os tipos de fãs: jovens, mulheres, homens, senhoras... Uma moça de 50 anos me abordou recentemente, elogiou o meu trabalho e falou que gosta do personagem Vitor. Foi bem legal e curioso (risos). Na semana passada, eu estava chegando em casa e havia vários fãs em frente ao meu prédio, cantando uma música que eu postei na rede sócia. É super legal.

- Mas você consegue ter uma rotina comum? O que faz nas horas vagas?  
Se alguma coisa mudou na minha rotina foram as gravações intensas. Sempre que tenho uma folga, reúno alguns amigos para fazer sessões de cinema em casa. Geralmente vemos os clássicos. Também gosto de ir à praia, academia, tocar violão, andar de skate. Depende muito do momento.
- Depois de namorar por dois anos, você está solteiro. Como está nesta fase?
Eu sou muito tranquilo e estou muito comprometido com o meu trabalho. Mas estou aberto a oportunidades, quem sabe? Risos.
- Além do talento, você chama atenção pelo perfil de galã. A beleza abre portas?
Acredito que a beleza abre portas, mas não acredito que seja elemento principal. Pode até ser importante, mas só conta a favor quando conjugado com inteligência.

- Considera-se vaidoso?
Sou vaidoso, sim. Acho importante estar bem comigo mesmo, afinal eu trabalho com a imagem. Tenho que estar com boa aparência sempre. Então, sempre arranjo tempo para ir à academia e manter uma alimentação adequada, que ajuda muito na saúde em geral.


Robert Pattinson e Guilherme: parecidos?
- Tanto na novela quanto na vida real, muita gente acha que você é parecido com o Robert Pattinson. Considera-se parecido com ator?
Já ouvi esses comentários, sim, mas acho que isso varia de acordo com a época. Quando a moda era Harry Potter, me compararam com Daniel Radcliffe. Agora, com a onda do filme Crepúsculo, dizem que sou parecido com o Pattinson. Confesso que não me acho parecido, não, mas não me incomoda que as pessoas comparem.
- Aproveitando a comparação, gostaria de estar em um filme sobre vampiros?
Gosto do cinema geral. Todos os gêneros de filme me atraem e eu acho que Crepúsculo foi e ainda é um grande sucesso para o seu público, que eles definiram como alvo, o que o torna respeitável. Quando eu era criança, era apaixonado pelo Drácula e sempre gostei de filmes assim. Com Certeza, toparia fazer um vampiro em um filme.
- Quais atores ou atrizes são as suas maiores inspirações?
Me inspiro muito no James Dean e  Paulo Autran, mas atualmente meu sonho é trabalhar com a Fernanda Montenegro, ela é uma grande referência. Fico muito feliz por já ter tido a oportunidade de atuar com Antônio Fagundes. Ele é genial e me ensinou muita coisa.

- Tem algum personagem que gostaria de interpretar?




Gostaria de fazer um vilão. Eles costumam sempre causar raiva e ao mesmo tempo interesse nas pessoas. Eu sempre me perguntei: “Mas por que ele faz isso? Por que é maldoso assim?”. E acho isso maravilhoso. Dá para inventar e inovar sempre.

- Ter começado a carreira aos 13 no teatro te ajudou nesta nova fase?
O teatro nos permite criar e eu adoro isso. Os primeiros momentos da minha carreira são os que eu mais guardo. Tudo o que eu aprendi no teatro me faz muito bem. Além disso, estar no palco me dava muita felicidade e ainda dá. A primeira vez que eu vesti um personagem foi maravilhoso.
- Sei que você adora música. Pretende investir na carreira musical também?

Gosto muito de música, mesmo. Quem sabe um dia eu invisto... Tenho projetos futuros, mas nada concreto.
- Qual é o seu grande sonho?
Tenho muitos sonhos, mas eu gostaria muito de ter um projeto social que incluía crianças carentes no teatro. Do mesmo jeito que a arte mudou a minha vida, acredito que possa ajudar muitas crianças.


 
Novo galã é lindo, inteligente e consciente! 

About Neto Lucon

Jornalista. É formado pela Puc-Campinas e pós-graduado em Jornalismo Literário pela Academia Brasileira de Jornalismo Literário. Escreveu para os sites CARAS Online, Virgula e Estadão (E+), Yahoo!, Mix Brasil, no jornal O Regional e para a revista Junior. É autor do livro-reportagem "Por um lugar ao Sol", sobre pessoas trans no mercado de trabalho. Tem quatro prêmios de jornalismo, sendo dois voltados para as questões trans, Claudia Wonder e Thelma Lipp

0 comentários:

Tecnologia do Blogger.