Pride

Tributo: Miss Demon se inspirou em Michael Jackson e viveu momento de glória

- Sempre fico pensativo e triste quando sou informado ou lembro a morte de alguém que passou por minha vida, dividiu alguns momentos comigo e contou a sua história para matérias.

Vendo a revista Junior (13), deparei com uma matéria que escrevi em 2009 com o artista Diego Dellacruci, também conhecido como Miss Demon. Na época, ele homenageava Michael Jackson e dizia ter nascido para viver aquele momento.

Diego morreu no dia 25 de dezembro de 2010, vítima de câncer na garganta e deixou muitas saudades para amigos, familiares e fãs. Abaixo, a matéria e ensaio que realizamos.

.

“Nasci para este momento Michael Jackson”

Três dias após a morte de Michael Jackson, aos 50 anos, o paulista Diego Dellacruci, de 22, se preparava para prestar uma homenagem ao Rei do Pop no palco da Parada Gay de Campinas. O coração pulsava forte, as mãos suavam frias e a expectativa era imensa. Afinal, como as pessoas receberiam tal apresentação em meio aos tradicionais shows de drags?

Mesmo com a perturbadora dúvida, Diego permaneceu firme: essa era a grande oportunidade de demonstrar o carinho que sempre conservou pelo astro. Com figurino confeccionado pelo próprio artista cover – jaqueta preta, cartola e a tradicional luva de lantejoulas prata – o jovem apareceu para a multidão e, ao som de Black or White, surpreendeu a todos.

“Foi um delírio. Ninguém esperava aquela apresentação tão cedo, tão rápida. Quando me viram, as pessoas começaram a fazer barulho. Logo vi que elas dançavam e aplaudiam a homenagem”, revela com emoção. “Foi uma comunhão e depois desta experiência digo que só nasci para ter aquele momento”, empolga-se o jovem que, andrógino (assim como o seu ídolo) é conhecido pelo público campineiro como Miss Demon.

O contato e a identificação com o artista aconteceu ainda quando pequeno. Aos 10 anos, Diego arregalou os olhos quando assistiu pela primeira vez o clipe Black or White na televisão. Cheio de efeitos especiais, o trabalho de 1991 abordava a polêmica transição de cor do cantor e provocou várias sensações no garoto.

.

“Foi um surto”, resume ele. “Além da mudança de cor, Michael parecia uma mulher, algo andrógino. Eu não entendia direito, mas fui crescendo, entendendo e, depois de certo tempo, querendo ser igual”, descreve. 

Depois da Parada, choveram convites para fazer cover em várias casas gays. “Minha caracterização resume em ‘new nose’ no nariz (que o deixa empinado), queixo furado falso com maquiagem. 


Além, é claro, das réplicas das roupas e acessórios. No palco, sei praticamente todos os passos de dança. Só falta o moonwalk de lado”, pondera ele, que ensaia quase todos os dias em frente do computador.

Quem acaba sofrendo com o trabalho é a mãe do artista. “Minha mãe adora, elogia, mas às vezes leva alguns sustos quando acorda de madrugada e me flagra montado de Michael pela casa”, diverte-se o cover. 

.
 
Reportagem da Junior - Diego e sua Miss Demon (foto: Espaço GLS)




About Neto Lucon

Jornalista. É formado pela Puc-Campinas e pós-graduado em Jornalismo Literário pela Academia Brasileira de Jornalismo Literário. Escreveu para os sites CARAS Online, Virgula e Estadão (E+), Yahoo!, Mix Brasil, no jornal O Regional e para a revista Junior. É autor do livro-reportagem "Por um lugar ao Sol", sobre pessoas trans no mercado de trabalho. Tem quatro prêmios de jornalismo, sendo dois voltados para as questões trans, Claudia Wonder e Thelma Lipp

0 comentários:

Tecnologia do Blogger.