Realidade

Marco Feliciano consegue dar seguimento ao projeto de 'Cura Gay'


A Comissão de Direitos Humanos, presidida por Marco Feliciano, conseguiu aprovar nesta terça-feira [18] o projeto de decreto legislativo que trata da “cura gay”.  A proposta, do deputado João Campos [PSDB-GO] visa alterar a resolução do Conselho Federal de Psicologia [CPF], que proíbe psicólogos de tentarem mudar a orientação sexual de uma pessoa, afinal a homossexualidade não é considerada doença.

Com a presença da bancada religiosa e políticos como Jair Bolsonaro, os únicos a discursarem contra o projeto foram Arnaldo Jordy [PPS-PA] e Simplício Araújo [PPS-MA], que alegaram que o tratamento é inviável, pois não há doentes. “O que temos que tratar é a corrupção, a cara de pau de alguns políticos. A homossexualidade não é um dos distúrbios que prejudica a família. É a corrupção, como a classe política está se comportando. Esse projeto é inconstitucional”, disse.

Araújo ainda lembrou os protestos que marcaram o Brasil na noite de segunda-feira [17]. "A Casa deve acordar para o que aconteceu ontem nas ruas, ao que está acontecendo nesse país. Essa aqui é uma prova que nós estamos muito longe de entender o que a sociedade realmente quer discutir aqui dentro”.

O deputado Anderson Ferreira [PR-PE] alegou que a resolução do Conselho de Psicologia impede que psicólogos tenham liberdade para tratar pacientes que almejam receber a orientação. “É direito do paciente procurar atendimento que satisfaça seus anseios. O projeto de decreto legislativo garante o direito ao homossexual a mudar sua orientação e ser acolhido por um profissional”.

Feliciano diz que está promovendo direitos humanos aos homossexuais que não querem ser homossexuais e para as famílias que sofrem com essa escolha. Ele afirmou ainda que o Conselho de Direitos Humanos apenas analisou o mérito da questão. A constitucionalidade do projeto será avaliada ainda pela Comissão e Justiça [CCJ] e o projeto também passará pela Comissão de Seguridade Social da Câmara.

Se aprovada em ambas, segue para o plenário da Câmara. Tal votação é uma vitória da bancada evangélica, que tenta avançar com o projeto há dois anos. 

About Neto Lucon

Jornalista. É formado pela Puc-Campinas e pós-graduado em Jornalismo Literário pela Academia Brasileira de Jornalismo Literário. Escreveu para os sites CARAS Online, Virgula e Estadão (E+), Yahoo!, Mix Brasil, no jornal O Regional e para a revista Junior. É autor do livro-reportagem "Por um lugar ao Sol", sobre pessoas trans no mercado de trabalho. Tem quatro prêmios de jornalismo, sendo dois voltados para as questões trans, Claudia Wonder e Thelma Lipp

0 comentários:

Tecnologia do Blogger.