Pop & Art

Assista monólogo 'Morada Transitória' da atriz transexual Laysa Machado


A atriz Laysa Machado encena o monólogo Morada Transitória, em que utiliza de textos poéticos autorais, músicas da MPB, vozes de escritores brasileiros e latinos para falar sobre ser diferente, transexual em sociedade em que “um nasce para sofrer enquanto o outro ri”.

"A intenção é ser a protagonista e ter o empoderamento da nossa história, com a nossa voz como levante a ditadura da heteronormatividade vigente", afirma Laysa com exclusividade ao NLucon

Com força no discurso, arte na veia e emoção a cada frase, a atriz foi aplaudia em pé durante o Conae-Diversidade, na Universidade Federal do Paraná, no dia 5 de julho, em que encenou 15 minutos da obra. Ela emocionou, informou e cantou acompanhada do público a cada canção. Vai de Sou Rebelde, Geni e o Zepelim e Não Existe Pecado ao Sul do Equador.

“Marginal é quem escreve à margem, deixando branca a página para que a paisagem passe e deixe tudo claro à sua passagem. Marginal é escrever nas entrelinhas sem nunca saber quem veio primeiro, se fui eu ou se foi o meu destino. Só sei que do lado de fora ela ficou”, cita e adapta Paulo Leminski. Laysa termina com um aplaudido: “chupa Feliciano”.

A próxima apresentação de Morada Transitória será no dia 15 de agosto em Irati, Paraná, na Conferência Internacional de Cultura, Arte e Diversidade. Quem não puder assistir, confira trechos do monólogo abaixo:  

About Neto Lucon

Jornalista. É formado pela Puc-Campinas e pós-graduado em Jornalismo Literário pela Academia Brasileira de Jornalismo Literário. Escreveu para os sites CARAS Online, Virgula e Estadão (E+), Yahoo!, Mix Brasil, no jornal O Regional e para a revista Junior. É autor do livro-reportagem "Por um lugar ao Sol", sobre pessoas trans no mercado de trabalho. Tem quatro prêmios de jornalismo, sendo dois voltados para as questões trans, Claudia Wonder e Thelma Lipp

0 comentários:

Tecnologia do Blogger.