Realidade

Ativistas promovem Marcha da Defesa Animal e pedem de 8 a 10 anos de prisão para agressores


“Eu não sou o seu entretenimento. Eu não sou a sua vestimenta. Eu não sou o seu objeto de experimentação. Eu não sou o seu escravo”, esses foram alguns dos latidos, miados e rugidos que estiveram  nos cartazes da Marcha da Defesa Animal, que ocorreu neste domingo [25], às 13h, no espaço do Masp, em São Paulo. O evento, que tem a finalidade de pedir penas mais severas para quem comete maus tratos a animais domésticos, silvestres e de tração, também percorreu mais de 100 cidades de todo o Brasil e chegou até Nova York [clique aqui e saiba os locais que contaram com a Marcha].

De acordo com as idealizadoras e coordenadoras Nelma Favilla Lobo e Sejane de Miranda, a marcha é uma manifestação pacífica e pretende estabelecer que a pena contra os maus tratos a animais seja entre 8 a 10 anos de prisão, uma estratégia para que o agressor realmente pague pela punição e não encontre brechas para a pena ser atenuada com regime aberto ou semiaberto. Hoje, a pena é de 3 meses a 1 ano e o Código Penal Brasileiro determina que as penas inferiores a 4 anos podem cumpridas apenas por serviços comunitários ou regime aberto. Ou seja, o autor só será preso de fato se a pena for maior de 8 anos.

Uma petição foi aberta por Nelma na internet e conta em tempo recorde com a adesão de mais de 14 mil pessoas [assine aqui]. “Resolvi que seria a voz dos animais judiados, abandonados e esquecidos covardemente e parti para esse grandioso protesto. Não sou política, não tenho patrocínios, mas já que os políticos não cumprem as suas obrigações, fazendo manobras e trampolim em nome dos animais, apenas para angarias votos, decidi que a população pode se unir e promover a mudança nesse aumento. Não queremos cestas básicas como punição e, sim, cadeia. Esta Marcha é importante porque percebemos que a impunidade faz aumentar as barbáries”.

Por meio do Facebook, Nelma conscientiza a população, ajuda os bichos necessitados e nota que os maus tratos e a crueldade aumenta assustadoramente a cada dia. “Pedimos socorro de resgate, ajuda financeira para tratamento e adoção. Deste trabalho, que muda a vida de muitos animais, vejo que muitos se solidarizam, mas pouquíssimas pessoas vão para as ruas dar a voz. Então, por que não fazer uma mega manifestação para mudar essa situação?”, pergunta. Portanto, confira o vídeo abaixo, sensibilize-se e se programe para apoiar o encontro e assinar a petição.

Os animais agradeceram!  



Atualização [15h]: A marcha pacífica concentrou cerca de 1.500 pessoas e fez uma manifestação em toda a Avenida Paulista. Os ativistas e participantes reivindicaram o fim dos maus tratos, a prisão de quem maltrata os bichos e incluíram questões como o vegetarianismo, a adoção em vez da compra e a importância da castração. O grito foi: "Eu quero justiça, eu não aguento mais, tem que ir pra cadeia quem maltrata os animais". 

Confira as fotos:

About Neto Lucon

Jornalista. É formado pela Puc-Campinas e pós-graduado em Jornalismo Literário pela Academia Brasileira de Jornalismo Literário. Escreveu para os sites CARAS Online, Virgula e Estadão (E+), Yahoo!, Mix Brasil, no jornal O Regional e para a revista Junior. É autor do livro-reportagem "Por um lugar ao Sol", sobre pessoas trans no mercado de trabalho. Tem quatro prêmios de jornalismo, sendo dois voltados para as questões trans, Claudia Wonder e Thelma Lipp

0 comentários:

Tecnologia do Blogger.