Entrevista

Homem mais bonito do mundo, Jadson Balsan apoia comunidade LGBT e quer ser o novo Van Damme


Quem é o homem mais bonito do mundo? Qual é o tipo de beleza que representa toda ala masculina em 2013? Foi em uma tarde de sexta-feira que entrevistei pessoalmente o paranaense Jadson Balsan, 22 anos, o Mister Sea World 2013, em São Paulo. Vestindo uma camiseta branca e calça jeans, o loiro de olhos verdes e 1,83m me recebeu com um sorriso no apartamento de sua assessora e me surpreendeu - vejam só - pela humildade e educação. 

Natural da pequena São Jorge D’Oeste, Jadson revela, com um discurso pensado, pausado e consciente, que trabalhava como metalúrgico na empresa do tio e que, antes, jamais havia pensado em se arriscar nos concursos de beleza - até que foi convidado por uma amiga e incentivado por olheiros. Hoje, o belo carrega uma variedade de faixas, faz presenças VIP em São Paulo e sonha com a carreira de ator.

Assediado por homens e mulheres, o mister – que é hétero e no dia estava conhecendo uma cantora famosa [que eu não posso entregar, infelizmente]- afirma que se realiza com a receptividade do público e que também passou a ter mais contato com a comunidade gay nos últimos tempos. Ele já foi destaque de um dos carros da Parada do Orgulho LGBT e apoia a comunidade em todos os direitos. Confira um bate-papo com o gato:

- Você é o homem mais bonito do mundo, é isso?

É inusitado, na verdade [risos]. Nunca pensei em ser mister, fazia faculdade, trabalhava como metalúrgico e, em menos de um ano, fui convidado para participar de um concurso em São Jorge D’Oeste, quando estava na academia. E fui participando de outros, até que cheguei ao patamar internacional e venci. Foi inesperado, porque não cogitei que pudesse ficar em primeiro lugar. Pensei que fosse ficar em terceiro, segundo... Tanto que, quando falaram o terceiro e segundo, desanimei. E, quando escutei ‘Brasil’, me surpreendi. Fiquei meio bobo.


- O título mexe com a vaidade?

Mexe, pois tendo a me cuidar mais, mostrar que realmente mereci o título. Ganhar é fácil, o difícil é mostrar um processo de evolução, defender o título, mostrar que terei continuidade. E que tenho conteúdo, não só beleza. O lado bom é que tem dado um leque de oportunidades, como modelo, presença VIP, e, agora, na carreira de ator.

- Antes, você trabalhava como metalúrgico. Já chamava atenção no trabalho?

Não, pois ficava o tempo todo com máscara, sujo de graxa e as pessoas nem olhavam para mim. Eu fazia faculdade à noite e trabalhava durante a amanhã. Foi só depois que tudo começou a acontecer, que começaram a perceber. E eu também passei a me cuidar mais.

- Quais são os seus cuidados?

Nossa, para ir ao mercado eu já dou uma arrumada, escovo os dentes, arrumo o cabelo, escolho a roupa que eu vou, senão eu nem saio. As pessoas cobram muito e eu tenho que correr atrás para defender o título. Faço academia todos os dias, durante duas horas, menos hoje que estou dando a entrevista [risos]. Evito comer a noite, beber refrigerante e procuro gastar aquilo que comi, sem ficar encanado se estou me alimentando tão bem.

- Você se sente julgado pela estética o tempo todo?

Tento trazer as críticas para o lado positivo e tento melhorar, pois ninguém é perfeito. O título de homem mais bonito do mundo é muito grande para um homem só carregar, mas não é impossível. Eu tento melhorar, aperfeiçoar os erros. Tem gente que fala “raspa o cabelo”, outro “arrepia”. Então, tento me preocupar com o meio termo e tenho a consciência de que não posso agradar a todo mundo.


- Críticas em relação ao fato de ser mister e, no imaginário, não ter tanto conteúdo acontece?

Não, quanto a isso não sinto. São críticas normais e nem são tantas... Como mister, aprendi a tratar ainda melhor as pessoas e isso reflete no respeito delas por mim.

- O que um mister não pode fazer em seu reinado?

Ah, é uma porção de coisas [risos]. Mas, assim, não pode casar, ter filhos ou ter um comportamento que traga negatividade para a própria imagem. Sair de uma festa bêbado, por exemplo, traz uma imagem negativa, então é bom evitar. Fora isso, tá tudo liberado e nós mesmos trilhamos o caminho que queremos.

- Você está namorando?  

Estou conhecendo uma pessoa e, por enquanto, não posso falar o nome dela [é uma cantora famosa, cujo nome só foi revelado em off]. A gente só está se conhecendo, mas não passa disso por enquanto . Penso que um mister namorando não é um bom produto, digamos assim, é como vender uma caixa de leite sabendo que tem alguém que vai tomar e que o público só vai ficar vendo. Quanto ao assédio, procuro manter um respeito e ao mesmo tempo mostrar o meu trabalho. Mostro que não sou uma pessoa vulgar e que existe uma pessoa por trás do meu personagem, que é quando estou com a faixa. O público é bem carinhoso comigo, tanto as mulheres quanto alguns homens.

- Uma curiosidade. Em sua opinião, qual é a mulher mais bonita do mundo?

É como nomear uma paisagem. Existem muitas mulheres lindas e é quase impossível dizer que uma é a mais linda. Não acredito em uma, mas várias. Angelina Jolie é um exemplo de mulher bonita esteticamente, profissionalmente e no interior. É uma pessoa extraordinária...

Filmes tipo 'Van Damme' é sonho; Angelina Jolie é a mais linda do mundo para o mister
- Durante os eventos, recebeu alguma cantada que você chamou atenção?

Tem uma muito boa, mas que agora eu não vou lembrar. Foi de um menino que chegou até mim, falou algo e me fez dar muita risada. Eu adorei, achei muito boa, criativa.

- Em São Jorge D’Oeste você tinha esse contato com a comunidade gay?

Antes, não. É algo novo, mas é um público querido, que eu só tenho que agradecer por me abraça e gostar realmente do meu trabalho. Muitos me dão toques: ‘Será que não fica melhor se fizer assim com o cabelo?’. E eu adoro, pois é um contato muito carinhoso, tanto que os gays me ajudam muito mais que as mulheres. Tanto que as revistas com homens na capa são os gays que compram, as mulheres não procuram tanto. Só tenho que agradecer...

- Vi você na Parada Gay em um carro. Também é a favor dos direitos LGBTs?

A causa é nobre e necessária. É questão de tempo para que eles conquistem os seus direitos, assim como as mulheres conquistaram o seu espaço de igualdade. Tenho certeza que a homossexualidade vai passar a ser encarada como algo absolutamente comum e ‘normal’ no decorrer dos anos.

- Hoje, o seu objetivo é seguir a vida artística?

Meu objetivo é ser ator e, para fazer um curso, é necessário muito investimento e renda fixa muito boa. Então, a carreira de modelo me possibilita e me dá o suporte que eu preciso. Não que eu não goste de modelar – eu adoro! – mas nada mais é que um trampolim para chegar ao objetivo final, que é ser ator. Sonho em ser um Jean Claude Van Damme e Arnold Schwarzenegger brasileiro, que são figuras que eu gosto e que me acompanham desde a infância. No Brasil ainda não tem ninguém assim, então, quem sabe?

Para finalizar, o que um mister deve ter?

Humildade, acima de tudo. Ele tem que saber que não existe um homem mais bonito, mas existem vários homens mais bonitos. Ele tem que saber que não basta apenas ganhar e que deve desenvolver um trabalho em cima do título. Afinal, muitos ganham e simplesmente desaparecem.

E aí? O que achou do homem mais bonito do mundo?

About Neto Lucon

Jornalista. É formado pela Puc-Campinas e pós-graduado em Jornalismo Literário pela Academia Brasileira de Jornalismo Literário. Escreveu para os sites CARAS Online, Virgula e Estadão (E+), Yahoo!, Mix Brasil, no jornal O Regional e para a revista Junior. É autor do livro-reportagem "Por um lugar ao Sol", sobre pessoas trans no mercado de trabalho. Tem quatro prêmios de jornalismo, sendo dois voltados para as questões trans, Claudia Wonder e Thelma Lipp

0 comentários:

Tecnologia do Blogger.