Realidade

Em 'enterro de carro', Chiquinho Scarpa engana mídia e promove Campanha da Doação de Órgãos


Conhecido por suas excentricidades  o conde Chiquinho Scarpa, de 62 anos, anunciou que enterraria o seu carro, um Bentley Continental Flying Spur, avaliado em R$1,5 milhão, assim como os Faraós com a finalidade de vê-lo no céu depois de morrer. A bizarrice fez 20 importantes veículos de imprensa, que parece que emburreceram tanto quanto as suas sub-celebridades, se deslocarem nesta sexta-feira [20] até a casa do milionário para cobrir cada momento do "velório". "Estou arrasado, é um momento muito difícil", dizia ele, secando o rosto com um lenço.

Porém, o conde espertinho demonstrou ser muito mais coerente que aqueles que cobriam a sua maluquice, observavam e criticavam as suas ações. Depois de colocar o carro na "cova", Chiquinho revelou que o enterro era na verdade uma pegadinha. Não aquelas de tevê que não levam a nada - além do riso. Na realidade, ele queria chamar a atenção para a semana da Campanha da Doação de Órgãos e Tecidos, que acontece entre os dias 23 e 27 de setembro, que tem a parceria do Governo Federal e a Associação Brasileira de Transplante de Órgãos.

O milionário explicou que o objetivo da campanha, cujo o slogan é "Absurdo é enterrar algo muito mais valioso que uma Bentley: seus orgãos", é alertar que os órgãos não tem valor algum se estiverem debaixo da terra. "Eu fui julgado por querer enterrar uma Bentley, mas a verdade é que a grande maioria das pessoas enterra coisas muito mais valiosas que meu carro. Elas enterram corações, rins, fígados, pulmões, olhos. Isso sim é um absurdo. Com tanta gente esperando por um transplante, você ser enterrado com seus órgãos saudáveis, que poderia salvar a vida de várias pessoas, é o maior desperdício do mundo".

Foi um tapa na cara da sociedade, da mídia [que certamente não cobriria se ele revelasse o motivo em primeira instância] e uma dedicação importantíssima em prol do ser humano, uma vez que poucas pessoas doam os seus órgãos ou param para pensar sobre a questão no dia a dia. De acordo com o site da Adote, a razão de poucas doações ocorre pelo medo que o ser humano tem da morte, logo não quer se preocupar com o tema em vida. Porém, quem se inspirou e quiser ser doador, deve comunicar o desejo à a família, que deve comunicar por sua vez aos médicos, ao hospital ou à Central de Transplante mais próxima. 

Em vida, podem ser doados órgãos como o rim, parte do fígado e da médula óssea. Em caso de morte ou morte encefálica, podem ser aproveitados: 2 rins, 2 pulmões, coração, fígado e pâncreas, 2 córneas, 3 válvulas cardíacas, ossos do ouvido interno, cartilagem costal, crista ilíaca, cabeça do fêmur, tendão da patela, ossos longos, fascia lata, veia safena, pele. Um único doador tem a chance de salvar, ou melhorar a qualidade de vida, de pelo menos 25 pessoas.

"O meu Bentley não vale nada perto disso. Nenhuma riqueza, por maior que seja, é mais valiosa que um único órgão, porque nada é mais valioso do que uma vida", anunciou Scarpa, quaaase fazendo-nos esquecer da polêmica de seu casamento com a eterna babadeira Carola Scarpa. Aplausos! 
.

About Neto Lucon

Jornalista. É formado pela Puc-Campinas e pós-graduado em Jornalismo Literário pela Academia Brasileira de Jornalismo Literário. Escreveu para os sites CARAS Online, Virgula e Estadão (E+), Yahoo!, Mix Brasil, no jornal O Regional e para a revista Junior. É autor do livro-reportagem "Por um lugar ao Sol", sobre pessoas trans no mercado de trabalho. Tem quatro prêmios de jornalismo, sendo dois voltados para as questões trans, Claudia Wonder e Thelma Lipp

5 comentários:

Ricardo Aguieiras disse...

APLAUSO, APLAUSO, APLAUSO, APLAUSO!!! Adorei o que ele fez... durante essa semana inteira vi comentários horríveis de gente odiosa que só julga e julga e não faz mais nada, chamando-o de "enrustido"; "cafona"; e muito mais coisas impublicáveis, movidos apenas pelo rancor e pela inveja de que ele é rico e excêntrico. Emocionante a atitude dele, hoje!!! Parabéns, Chiquinho, fez toda a diferença!!!
Ricardo Aguieiras
aguieiras2002@yahoo.com.br


"Absurdo é enterrar algo muito mais valioso que uma Bentley: seus orgãos", é alertar que os órgãos não tem valor algum se estiverem debaixo da terra. "Eu fui julgado por querer enterrar uma Bentley, mas a verdade é que a grande maioria das pessoas enterra coisas muito mais valiosas que meu carro. Elas enterram corações, rins, fígados, pulmões, olhos. Isso sim é um absurdo. Com tanta gente esperando por um transplante, você ser enterrado com seus órgãos saudáveis, que poderia salvar a vida de várias pessoas, é o maior desperdício do mundo".

morenobranco disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
morenobranco disse...

Até hj o via apenas como um milionário excêntrico, a partir de agora ganha todo meu respeito e admiração,parabéns pela sua iniciativa!!!

Ruivo disse...

Arrasou! Calou a boca de muita gente e mostrou que tem valor!!!!

Anônimo disse...

O repórter da matéria criticou tanto quem "não cobriria por motivos toscos", e me termina com um comentário igualmente tosco desses. Precisava disso pra que, garantir que a matéria ia ficar "engraçadinha"? Foi incoerente com a opinião que o resto do texto teoricamente tentou passar.

Tecnologia do Blogger.