Pride

Travesti brasileira, Kimberly Luciana ‘costura’ a boca para alerta: ‘Brasil pode se transformar em Rússia'

Efeito choca e faz refletir sobre a situação: "Trans são mais visíveis"

Inspirada na drag queen que costurou a própria boca para chamar atenção do mundo sobre o que está acontecendo na Rússia, a artista e ativista trans Kimberly Luciana Dias – que participa do Trans em Debate, do NLucon – se caracterizou de Boneca do Terror, com uma peruca rosa e boca costurada para se manifestar contra Vladimir Putin e o preconceito do governo russo em cima da comunidade formada por lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais. Desde junho, foi sancionada uma lei no país que proíbe qualquer manifestação gay, menção ao direito civil, Paradas e similares.

Desta vez, diferente da drag de Berlim, tudo se trata de um truque de maquiagem, e ainda assim choca e também faz refletir. Kimberly diz que não conseguiu assistir o vídeo completo da drag, mas que sentiu a necessidade de fazer algo. “É cruel tudo o que vem acontecendo contra os LGBTs na Rússia e, no meu caso, sinto muito pelas mulheres transexuais e travestis daquele país, pois o segmento trans é muito mais visível e fácil de ser alvo. Assisti a um vídeo em que cinco homens de um grupo chamado ‘Anti-Trans’ espanca uma de nós em praça pública. É chocante”, desabafa.

A ativista revela que o mais revoltante é saber que os crimes são cometidos com o incentivo do governo. “Eles marcam encontros com os jovens e, chegando lá, cometem o crime, espancam, humilham e depois jogam nas redes sociais como se fosse um troféu. Os agressores mostram até o rosto, local, tudo e nada é feito, pois na Rússia é crime demonstrar a sua sexualidade”.

Kimberly acredita que  o Brasil pode se transformar em uma Rússia nos próximos anos.  O motivo? “Nas próximas eleições, os evangélicos terão o dobro de cadeiras no Congresso Nacional e essa ‘Cura Gay’ terá 90% de chance de ser aprovada, isso se não nos conscientizarmos politicamente e elegermos quem nos representa. Podemos chegar a um retrocesso muito grande a tudo o que conquistamos até agora”, defende.

A primeira manifestação com a boca “costurada” ocorreu durante o Segundo Beijaço LGBT Mundial, em frente ao Consulado da Rússia, em São Paulo, no início do mês. Ela diz que pode utilizar da caracterização em outros momentos, mas que procura inovar a cada aparição. "Diante dos pedidos, posso fazer novamente, mas sempre vou dar um toque atual. Adoro protestar caracterizada, pois minha veia artística pede isso. É muito satisfatório para mim". Acertou em cheio na mensagem!


Kimberly deixou a mensagem no Consulado Geral da Federação Russa em São Paulo

About Neto Lucon

Jornalista. É formado pela Puc-Campinas e pós-graduado em Jornalismo Literário pela Academia Brasileira de Jornalismo Literário. Escreveu para os sites CARAS Online, Virgula e Estadão (E+), Yahoo!, Mix Brasil, no jornal O Regional e para a revista Junior. É autor do livro-reportagem "Por um lugar ao Sol", sobre pessoas trans no mercado de trabalho. Tem quatro prêmios de jornalismo, sendo dois voltados para as questões trans, Claudia Wonder e Thelma Lipp

3 comentários:

Anônimo disse...

não vejo a hora de ocuparmos o poder e acabar com essa ditadura gay deus fez homem e mulher não dá para ir contra a natureza

Anônimo disse...

anonimo...morre que passa!!!

Anônimo disse...

Gente seculo 21 pare com isso deicha as pessoas serem feliz do geito que escolhe acho que se cada um respeita_se o outro o mundo nao estava assim!!! Parabens kimberly vc sim esta fazendo um otimo trabalho nos alertando para refletir em quem votarmos acho que temos que votar em quem ja passou e sofreu os preconceitos que tds nos nao heteros sofremos por ser homo. Caditados ao nosso favor e nao contra querendo nos chamar de infermos 77!

Tecnologia do Blogger.