Pop & Art

Walcyr Carrasco comenta polêmica do garoto adotado por Niko: ‘Se fosse branco, o visual também mudaria’


Autor de “Amor à Vida”, Walcyr Carrasco conversou com o NLucon a respeito da polêmica em torno de Jayminho [Kaiky Gonzaga], o garotinho negro que passa pelo processo de adoção por Niko, personagem gay vivido por Thiago Fragoso. Caiu na imprensa que Walcyr pediu para que o garoto tivesse o visual mudado após ser adotado, inclusive sendo cortado o cabelo black power, o que motivou uma enxurrada de críticas a respeito da decisão.

Ao NLucon, Walcyr explicou que sempre trabalhou o combate ao racismo em suas novelas e que a decisão de mudar o visual do garoto também existiria se o ator fosse branco. “A questão é o sonho do público de que a criança, ao ser adotada, tenha coisas que não teve no orfanato: novas roupas, brinquedos e entre elas o cabeleireiro. Uma criança branca mudaria o visual também, porque essa entrada numa nova vida marcaria um novo tipo de vida, incluindo o visual, o estilo de vida”, declarou.

Mesmo diante do apelo para deixar o black power no ator mirim - uma das bandeiras da militância e valorização da beleza negra - o autor frisou que tem a total liberdade para direcionar o seu folhetim como quiser e escolher qual linguagem é a melhor para combater os preconceitos. “Já participei de um seminário sobre adoções interracionais, tenho até um livro sobre o assunto, ‘Irmão Negro’, para crianças e pré-adolescentes”, informou ele, que também foi autor do clássico Xica da Silva, sucesso da TV Manchete, em 1996, em que trouxe a primeira protagonista negra no Brasil.

Pouco antes, Walcyr escreveu nas redes sociais que, muito mais que uma questão capilar, a luta contra o racismo e a homofobia é mostrada na televisão "ao trazer um personagem branco adotando um garoto negro e ser feliz”, ou seja, um avanço na visibilidade de um personagem gay e outro adotivo na TV. 

“Amigos, eu sinto muito, mas quem escreve a novela sou eu. Tenho que fazer como achar melhor, inclusive a mensagem contra o preconceito. Não é porque alguém é negro que é obrigado a usar black power. Isso é preconceito ao contrário. Pedi para mudar o visual porque ele foi adotado por alguém de dinheiro. É o que aconteceria".

Como o autor bem disse, o problema de “Amor à Vida” é de fato o cabelo: foi o da Marina Ruy Barbosa, depois de Juliano Cazarré e, agora, de Kaiky Gonzaga. Pelo menos o núcleo ganhou mais destaque e o jovem ator ficou nacionalmente conhecido! 

O FINAL: Mas qual será o desfecho de Niko, Jayminho, Eron [Marcello Antony] e Amarylis [Danielle Winits]? Fofocas de bastidores dão conta de que Niko será expulso da casa por Amarylis e Eron, após o acidente de carro da loira, e que acabará ficando sozinho e com Jayminho. Será? "Quanto ao que vai acontecer, não conto nem com Felix". Ahhh... O jeito é acompanhar!

About Neto Lucon

Jornalista. É formado pela Puc-Campinas e pós-graduado em Jornalismo Literário pela Academia Brasileira de Jornalismo Literário. Escreveu para os sites CARAS Online, Virgula e Estadão (E+), Yahoo!, Mix Brasil, no jornal O Regional e para a revista Junior. É autor do livro-reportagem "Por um lugar ao Sol", sobre pessoas trans no mercado de trabalho. Tem quatro prêmios de jornalismo, sendo dois voltados para as questões trans, Claudia Wonder e Thelma Lipp

1 comentários:

K.I.M.B.E.R.L.Y disse...

Ele é afrontoso, adora cutucar o não politicamente correto ...

Tecnologia do Blogger.