Pride

As travestis, as mulheres transexuais e os trans homens que se destacaram em 2013


A temática trans – das travestis, mulheres transexuais e dos transhomens – esteve na mídia durante todo o ano de 2013. A exposição de figuras importantes trouxeram alguns passos a frente, outras regrediram dois para trás e, entre avanços e tropeços, o saldo é positivo, pois o assunto esteve dentro da casa das pessoas e provocou a visibilidade plural, que é tão importante para as referências da nova geração e para o entendimento da sociedade em geral.

Neste ano, por exemplo, tivemos pela primeira vez duas atrizes transexuais em uma novela da Globo, conquistamos o primeiro título no Miss International Queen e tivemos um transhomem fazendo todos os internautas babarem. Também vimos Silvio Santos respeitar o nome social das artistas trans e Pedro Bial – que havia tropeçado em 2011 no assunto – abordar a transexualidade de maneira exemplar no “Na Moral”.

Como de costume, o NLucon listou alguns dos nomes de trans que se destacaram em 2013. Desta vez, não vamos promover uma eleição, já que todas e todos os trans são vitorios@s, únic@s, diferentes, merecem respeito e tem o seu valor – inclusive e principalmente tod@s aquel@s que foram momentaneamente esquecid@s, que não estão na lista e que matam um leão por dia para sobreviver neste Brasil  tão cheio de injustiças sociais.

Abaixo, a comemoração de alguns nomes. Vamos lá!

 MARia Clara Spinelli - A histórica presença de anita

Premiada pelo filme Quanto Dura o Amor [2009], a atriz estreou na televisão com um grande papel: a travesti Anita, de Salve Jorge. A personagem foi uma das vítimas de tráfico humano e sofreu poucas e boas na mão do Russo [Adriano Garib]. Com cenas dramáticas no horário nobre, Maria Clara foi elogiada pela autora Gloria Perez e mostrou que é uma brilhante atriz, pronta para qualquer – eu disse qualquer - personagem. Terminou a novela dando umas boas bofetadas no Russo e ficando com o gatinho do vilão. No NLucon, disse: “Essa conquista é muito importante para a teledramaturgia”.

 MARCELA OHIO  - a mais linda do mundo

Com apenas 18 anos, a paulista participou do Miss International Queen 2013, na Tailândia, e levou pela primeira vez a coroa e a faixa para o Brasil. O concurso equivale ao Miss Universo das mulheres transexuais e Marcela – que foi a Miss T Brasil 2012 - venceu 24 candidatas de 16 países. Em entrevista ao NLucon, a bela diz que pretende dar seguimento à carreira de modelo e ajudar com a sua visibilidade ao grupo trans. No NLucon, defendeu: "O apoio ou a rejeição da família é fundamental para o destino de uma trans"

 LAysa machado  - a diretora que colocou gentili no eixo

Depois de revelar detalhes de sua vitoriosa trajetória ao NLucon, a atriz paranaense tornou-se matéria dos principais veículos do Brasil para falar sobre o cargo da primeira diretora transexual eleita por voto democrático. Ela também brilhou no Agora é Tarde, com Danilo Gentili. E quem pensa que Laysa foi vítima de alguma brincadeira infame do humorista, se enganou. Inteligente, articulada e com excelente humor, foi ela quem deu jeito no autor do livro “Como Se Tornar o Pior Aluno da Escola”. Laysa também esteve no premiado curta Fíntchy Quatro e Fintchy e encenou o elogiado monólogo Morada Transitória.

 Paty dellii  - a dona da festa 

A produtora de eventos sua o vestido para promover às terças-feiras a festa Terças Trans, a única voltada para travestis e transexuais de São Paulo. Sempre com novidades, performances, concursos de beleza e brincadeiras, Paty resgata o valor cultural da história das trans – com apresentações de divas como Marcinha do Corintho e Natasha Dumond, e das novas gerações – e promove o respeito entre todos os públicos. Quem a vê correndo de um lado para o outro, vendo todos os detalhes, carregando mesas, apresentando e até fazendo dublagens, percebe o brilho no olhar e o carinho que sente pela festa.

 Leo moreira sá  - o ator que se auto fez

Depois de receber o Prêmio Shell de melhor iluminação em 2012, Leo Moreira Sá esteve diante de um dos maiores desafios de sua carreira: tocar nas mais íntimas feridas, relembrar o passado e encenar a própria história no teatro. Foi assim que surgiu o espetáculo Lou & Leo, que emocionou a plateia paulistana neste ano – e que de quebra informou muito sobre a vida dos homens transexuais. Com história que passa pela banda feminista Mercenárias e um presídio, Léo foi entrevistado por Marília Gabriela, no Gabi Quase Proibida [SBT], por Pedro Bial, no programa Na Moral, e estampou diversas revistas.

 Daniela andrade  - transfeminista boa de briga

Ela é analista de sistemas e professora de literatura, mas é na militância [principalmente virtual] que vem conquistando cada vez mais admiradores. Criadora da fanpage Transexualismo da Depressão e moderadora de inúmeras outras páginas, a transfeminista explica, denuncia e compra brigas para falar sobre os preconceitos, fobias e discursos da sociedade hetero-cis-normativa. Também faz parte da equipe do Trans Empregos, uma iniciativa que visa contribuir para a entrada de trans no mercado formal de trabalho. Foi entrevistada pelos jornais O Estado de São Paulo, Folha de São Paulo [...]  e pela revista Carta Capital. Inteligentíssima!

 Valéria Houston  - cantora que promove o amor, seja onde for

Com carreira consolidada no Rio Grande do Sul, a cantora foi convidada para participar da campanha “Amor, Seja Como For – Respeitar a diversidade é promover a igualdade”, que estampou vários pontos da cidade e divulgou a união de Valéria com Luis Nei Machado. O romance também foi exposto no NLucon no Dia dos Namorados, inspirou e deixou muita gente apaixonada. Sobre a carreira de cantora, é destaque em várias casas gaúchas e fez uma turnê em Paris, onde cantou para brasileiros e participou de uma manifestação em menção às vítimas de transfobia.

 Oliwer  - o homem dos sonhos

Dono de um corpo definido e de um rosto belíssimo, o polonês Oliwer causou frisson na internet ao criar um tumblr em que revelava a sua transição, fotos de sua beleza e explicava para os internautas o universo dos transhomens. Tornou-se notícia aqui no NLucon, na revista Marie Claire, em vários blogs, e até no site da adolescente Capricho. Em nossa página, concedeu uma entrevista exclusiva [e a primeira no Brasil], em que revelava que muito mais que seu belo corpinho: a dedicação para a visibilidade dos transhomens e a inquestionável inteligência sobre o ser humano e as suas identidades. Para muitos de nossos leitores, é o homem dos sonhos.

 Adriana da silva  - ativismo de verdade

Com aplausos e o coro “ela merece”, a ativista Adriana ganhou esse ano o prêmio Especial da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo. Com um sorriso no rosto e símbolo de resistência, ela aposta na micropolítica para ajudar muitas travestis e transexuais da cidade, inclusive em situações de rua, na conquista pela cidadania. Entre os seus feitos, foi até a porta do Centro de Referência e Tratamento para exigir que tratem todas pelo nome social e foi atrás para que tivessem passe de ônibus para ir ao CRT. “Tem algum problema, eu vou atrás mesmo, pois elas precisam muito”, disse na premiação.

 Melissa alonso  - a rainha do bate-cabelo

Quem frequenta a noite LGBT de São Paulo e gosta dos números de dublagem [e de bate-cabelo!] certamente já se impressionou com Striperella Uber, personagem da artista Melissa Alonso. Ousada, sexy e com talento latente correndo nas veias, ela foi convidada para uma performance na novela Salve Jorge, da TV Globo. Apareceu com um figurino cavado, bateu-cabelo, se jogou e até deixou o garçom Adam [Duda Ribeiro] de queixo caído. Ao NLucon, disse: "Presença trans em novela representa era de menos preconceito para a teledramaturgia". 

 Luma Nogueira de andrade  - a primeira a fazer doutorado

A cearense já foi notícia por ser a primeira travesti a obter o título de doutorado no Brasil, em 2012, pela Faculdade de Educação da Universidade Federal do Ceará. Neste ano, ela voltou aos noticiários ao tomar posse como docente da Universidade da Integração Internacional de Lusofonia Afro-Brasileira [Unilab], em Redenção. Luma vai trabalhar no Instituto de Humanidades e Letras [IHL]. “Busquei na educação formas de superar as dificuldades financeiras, sociais e, principalmente, o preconceito por ser travesti. Hoje, é um dia de vitórias, conquistas e superação”. Todos os aplausos!

 Letícia Lanz  - transgente

A participação da psicanalista transgênero no programa Na Moral, da TV Globo, colocou os telespectadores para refletir sobre as várias possibilidades de personas e de personalidades no mundo e proclamou o não-rótulo. Letícia assumiu-se trans depois de 50 anos, um casamento héteros com uma mulher de 27 e três filhos, e, ao ser perguntada por Bial como se define, foi enfática: gente! Ao NLucon, afirmou que sua luta não é por identidades, mas por direitos e que quer mais é que seu neto a chame de vovô. Tem uma página importante e necessária em que aborda o universo trans, a leticialanz.org.

 Mc Xuxú - uma travesti no funk

Corajosa e cheia de atitude, a poderosa funkeira rompe vários preconceitos ao subir no palco e fazer a plateia cantar e dançar as suas dançantes músicas. Neste ano, promoveu o funk “Um beijo”, que se tornou um verdadeiro hino para o grupo trans, uma vez que o refrão repete o meme que virou febre na internet: “Um beijo pras travestis”. O clipe ultrapassou 300 mil visualizações e mostra uma evolução no trabalho da funkeira. No NLucon, disse: "Canto o que eu vivo"


 Kimberly Luciana Dias - blogueira do mundo t

Não é de hoje que a militante participa de debates nas redes sociais, se preocupa com a causa trans e em divulgar as notícias para todas e todos do grupo. Criou o blog e a fanpage Mundo T, em que promove um clipping com as principais notícias e entrevistas. Quando se trata da Parada do Orgulho LGBT e outras manifestações, deixa desabrochar o lado artista e parte para caracterizações que a tornam capa da maioria dos portais e publicações. Neste ano, caracterizou-se de uma boneca com a boca costurada em solidariedade às vítimas de homo-transfobia na Rússia. E trabalha na SP Escola de Teatro. Uma verdadeira guerreira.

 Patricia Araújo  - musa entra para o horário nobre

A beleza e a sensualidade da modelo – que é musa absoluta do NLucon - motivaram a autora Gloria Perez a convidar Patricia para entrar para o elenco de Salve Jorge, da TV Globo. Como uma das traficadas, contracenou com Adriano Garib, Laryssa Dias e levou a beleza trans para a tevê. Saiu na maioria dos sites de celebridades, jornais e também na revista Contigo!. Ainda em 2013, fez uma pontinha na novela Amor à Vida, da Globo, e esteve na reprise de A Lei e o Crime, da Record. Ao NLucon, disse: "Tráfico de pessoas é uma triste realidade para muitas travestis"

 MAite schneider  - multi artista

Não é de hoje que a atriz curitibana está envolvida em mil projetos ao mesmo tempo agora e que empresta a sua imagem para a quebra de preconceitos. Neste ano, entre as muitas atividades que desenvolveu, falou sobre as suas experiências no programa Na Moral, da TV Globo, e levou a família para dar declarações no programa Tabu, do canal pago National Geographic. Desfilou para a coleção Heroína, de Alexandre Linhares, e esteve vestida de noiva para uma coleção de vestidos inspirados na copa do Mundo, de Edson Eddel. E ainda gravou vários curtas, dentre eles o Fíntchy Quatro e Fíntchy e Palmeyra.  Sempre com muito talento, arte e militância!

 Felipa tavares  - talento na passarela

De acordo com o jornal New York Times, o Brasil virou referência ao trazer várias mulheres transexuais para o mundo da moda. E, da geração-Lea T, a mineira Felipa Tavares está entre os nomes mais conhecidos. Agenciada pela 40 Graus, Felipa batalha por cada trabalho e faz bonito nos ensaios fotográficos em que participa. Neste ano, fotografou para o projeto Eco Moda, NYT, tirou a roupa para manifestar contra Marcos Feliciano, esteve entre as candidatas do Miss T Brasil, falou sobre o relacionamento ao Nlucon e foi eleita a transexual mais linda do mundo por um site espanhol.

 Lourenço  - em busca de visibilidade e amor 

O reality show Casa dos Segredos, exibido em Portugal, trouxe um chef de cozinha que deu visibilidade aos transhomens. Ele tinha o objetivo de guardar o seu segredo até que algum participante descobrisse e revelou que também se inscreveu pois buscava um novo amor. O que ele não poderia esperar é que a ex-noiva, com quem ele viveu por nove anos, fosse aparecer na tevê e o pedir em casamento. Lourenço aceitou, mas adiantou que vai precisar conversar muito bem com a ex fora do reality show. 

 Laerte - a cartunista está nua 

O que esperar mais de Laerte depois de ele transgredir e assumir-se trans? Pois na revista Rolling Stone a cartunista provou que está disposta a ultrapassar todas as barreiras. Ela fez um strip-tease e posou nua aos 62 anos e revelou: “Eu estava vivendo um estado de negação permanente e fui bem-sucedida durante muito tempo”. Também escreveu o livro infantil Lola e ainda fez uma parceria com Rita Lee no livro Storynhas. E, claro, faz sucesso nas redes sociais com a trans Muriel. Oh, diva! Ao NLucon disse: "Tenho recebido muita resposta do público LGBT e eu gosto muito. Era o que eu queria"

 Renata Peron  - mpb em primeiro lugar

Comemorando 10 anos de carreira, a cantora continua resgatando com maestria a valorização da música popular brasileira. Abusada e guerreira, ela lançou neste ano o CD Guerreira, trazendo a tradicional música brasileira com a batida eletrônica. Com 10 faixas, sendo quatro delas inéditas, a artista rompe os preconceitos artísticos, de gênero e de sexualidade. Ressalta Clara Nunes, Rita Lee, Carcará e a própria e belíssima interpretação. Também trabalha na SP Escola de Teatro. Ao Nlucon, disse: "Noite gay ainda tem preconceito com música brasileira"

 Leonarda Gluck  - a dama dos palcos

A premiada curitibana é atriz, diretora e dramaturga. Desde os 14 anos é simplesmente apaixonada pela arte e diz ser “xereca para toda obra”. Ela explora várias linguagens, como o teatro, a dança, a literatura, a música, as artes visuais e cibernética. Neste ano, encenou As Tetas de Tirésias – Vamos esbofetear Ulisses – e também esteve no curta Fíntchy Quatro e Fíntchy. No NLucon, disse: “Se transexual é apenas outra maneira de ser mulher”.


 Aleika Barros  - brilhou no programa silvio santos
.
A pernambucana, que ficou em segundo lugar no Miss International Queen 2007, aceitou o convite para participar do Programa Silvio Santos, do SBT. Mas fez um pedido importante: que o icônico apresentador deixasse de perguntar o nome masculino e respeitasse a identidade de gênero do grupo trans. Pedido feito com coragem e uma grande conquista para a tevê brasileira foi conquistada. Aleika ainda ganhou o prêmio de melhor dublagem e o de melhor corpo. Também integrou ao time das meninas do Trans em Debate, do NLucon. Bela e inteligente!

 Luisa Stern - advogada boa de causa

No dia 8 de março, o Dia da Mulher, a advogada tornou-se home da Globo.com e do G1 para falar sobre as suas realizações e a recém-cirurgia de redesignação sexual aos 46 anos. Inteligente, engajada e consciente do seu papel, ela explicou sobre o tema e garantiu que transexualidade não se trata de modismo. “Quando criança eu sonha em ser menina, mas esse desejo ficou reprimido”. Luisa também é advogada voluntária de alguns ongs, como a Igualdade RS, e faz assessoria jurídica. Participou, inclusive, de um mutirão de processos judiciais para a retificação dos registros de travestis e transexuais.

 Lea T  - polêmica e verdadeira

No início do ano, a modelo causou polêmica ao dizer no Fantástico que não aconselha a redesignação sexual para ninguém, que nunca será 100% uma mulher e explicou: “Não é um pênis ou uma vagina que trás a felicidade de ninguém. Eles são importantes para a sociedade. Eu sou eu”. Depois, desfilou para a Givenchy na semana de moda em Paris, posou para Terry Richardson, esteve na campanha Verão 2013 da Benetton, estampou fotos no Museu da Diversidade, em São Paulo... E mais recentemente bailou na versão italiana da Dança dos Famosos. “Tudo o que eu faço é para passar uma mensagem”, declarou.

 João w. nery  - ícone vira nome de lei

Escritor de Viagem Solitária – Memórias de um transexual 30 anos depois – João Nery é hours concurs e maior referência dos transhomens brasileiros. Mas não poderia deixar de lembrar que em 20 de fevereiro de 2013 foi protocolado na Câmara o projeto de lei chamado Lei João W. Nery – a Lei de Identidade de Gênero Brasileira – pelo o deputado federal Jean Wyllys e pela deputada federal Erika Kokay. No projeto, é garantido o direito do reconhecimento a identidade de gênero de todas as pessoas trans brasileiras, sem a necessidade de autorização judicial, laudo médico nem psicológico, cirurgias nem hormonioterapias.

 BAlian buschbaum  - o saltador que aprendeu a dançar

Alemão, o ex-saltador com vara é um dos transhomens mais famosos e gatos do mundo. Neste ano, participou do Fashion Week Berlin 2013, esteve envolvido em várias palestras e participou do programa Let’s Dance, o Dança dos Famosos inglês. Em entrevista a várias publicações, que questionaram as dificuldades de ser aceito como transhomem na mídia, ele foi enfático: “Em primeiro lugar, somos todos diferentes. E essa alteridade corresponde precisamente a normalidade. Eu sempre digo, o normal é ser diferente. Esse é o meu lema”.

 Lirous k'yo fonseca  - militante nota mil 

A estudante de serviço social marca como um dos exemplos de ativismo em Florianópolis.Trabalha na Associação em Defesa dos Direitos Humanos e atuou em 2013 em três projetos especiais. O Cine D. O de Direitos e Violências na Experiências de LGBTT. E o projeto Vozes, que visa esclarecer dúvidas sobre DST/HIV e combater o sexismo. Ela também esteve presente na fundação da Comissão Permanente de Acompanhamento das Políticas de Igualdade e de Gênero, na Universidade Federal de Santa Catarina, com a finalidade de dar suporte para homens e mulheres trans. Hoje, o aluno já ingressa tendo o direito do nome social já na inscrição da prova do vestibular. Desenvolveu o lado artístico na Desdobrando Arte, e também no projeto Assopra – Associação Cultura de Jogos Eletrônicos - que visa mostrar a importância dos jogos eletrônicos na cultura e desenvolvimento do ser humano. Ufa! Arrasou!

 MAriana molina  - a cover da beyoncé

Aos 25 anos, a artista gaúcha que já agitava a casas noturnas de São Paulo foi convidada para fazer um número exclusivo de Beyoncé na novela Salve Jorge, da TV Globo. E a notícia se espalhou aos quatro ventos. Mariana encarou a oportunidade como o reconhecimento do trabalho e até comemorou por ficar no mesmo camarim que Vera Fischer. Ela afirmou que apresentar o número na tevê a fez sentir vontade de caminhar por outras áreas da arte. Ela merece!

 Erick barbi  - the voice

O cantor e a sua família foram responsáveis por um dos momentos mais emocionantes do programa Na Moral, exibido pela TV Globo. Humanizando a vida dos transhomens e sensibilizando o grupo nos lares brasileiros, o pai de Erick falou sobre a boa relação com o filho: “Eu tinha em casa uma menina triste, infeliz, descontente com o corpo que tinha. Hoje, tenho em rapaz feliz, contente, amoroso, uma pessoa maravilhosa”. Como se não bastasse, Erick emocionou ao cantar “Tudo o que o Mundo Vai me Dar”, um verdadeiro hino para todo o grupo trans. Emocionante!

 Kátia tapety  - história premiada

A piauiense de 64 anos teve a vitoriosa trajetória contada no filme Kátia, que revela como foi percurso até chegar a ser a primeira trans assumir um cargo político no Brasil e ser referência na pequena Colônia do Piauí, com 7 mil habitantes. Neste ano, o documentário rodou o Brasil, informou muita gente e ganhou o prêmio Diferença da TV Brasil, Olhar Brasil, Festival Internacional de Curitiba: Melhor filme júri oficial e melhor filme público. No filme, ela diz: “Sou pau para toda obra. Sou mulher, sou macho, sou tudo”.


 Luke hill e Katie hill  - casal trans

A história de amor do casal norte-americano surpreendeu e emocionou muita gente. Eles, que se conheceram em um grupo de apoio aos trans em Tulsa, Oklahoma, Estados Unidos, disseram que decidiram expor o romance com a finalidade de ajudar outras crianças e adolescentes trans que passam pelas dúvidas, constrangimentos e falta de apoio dos pais. Fofos, conscientes e lindos.
 Indianara Siqueira  - nenhuma nudez será castigada

Militante do Transrevolução, do Rio de Janeiro, Indianara foi levada à Justiça por mostrar os seios na Marcha das Vadias. E acabou deixando o judiciário diante de um imbróglio: se a condenasse, admitiria que ela era uma mulher mesmo com os documentos dizendo que é homem. E, se a absolvesse, liberaria que qualquer mulher trans com documento não modificado andasse com os seios desnudos. O processo acabou sendo arquivado, mas  Indianara continua transgredindo e ajudando muitas trans cariocas. 

 Você - trans, que teve a sua visibilidade 

É claro que eu não conseguiria colocar todos os nomes das pessoas que contribuem com a visibilidade positiva. Portanto, este espaço é para todos os esquecimentos, histórias que eu não conheci, pessoas maravilhosas que eu não tive o prazer de ser apresentado. Este espaço é para todas as trans e os trans que fazem de sua vida e dos seus corpos uma bandeira de luta, de militância, de informação e de TRANSgressão. Obrigado por fazerem o mundo melhor e, quem quiser fazer parte da história do NLucon em 2014, mande um e-mail para holtneto@gmail.com.


 O que aconteceu com Bárbara Aires, a produtora da globo que foi destaque em 2012? 

“Mesmo tendo trabalho de janeiro a outubro de 2012 e a temporada do Amor & Sexo de 2013 confirmada, meu contrato terminou em 20 de outubro e não foi renovado. Tive um começo bem difícil lá dentro, então não esperava muito. Fui recontratada em 10 de janeiro de 2013 e pela primeira vez com um contrato longo, sem precisar ficar renovando a cada mês como foi anteriormente.

Graças a Deus produzi bastante em 2013 e foi uma temporada de muito sucesso. Fui eu  por exemplo, que indiquei Betty Gofman para fazer a Dona Bela, que convidei os LGBTs para a plateia do Romance. Fui eu que produzi o concurso do Homem Mais Feio do Brasil e achei os meninos dispostos que toparam ir. No último, fui eu quem indicou e cuidou das drags presentes.

Em 2014, espero que o programa volte, que entre para a grade fixa e deixe de ser uma temporada. E, claro, que eu seja promovida, contratada fixa e que ganhe um aumento de salário. Além de tudo, vou concorrer ao Miss T Brasil. Espero saúde, paz, felicidades e trabalho. Amor eu já não espero mais, então, pelo menos, sexo [risos]”, declarou ao NLucon. Boa sorte!

About Neto Lucon

Jornalista. É formado pela Puc-Campinas e pós-graduado em Jornalismo Literário pela Academia Brasileira de Jornalismo Literário. Escreveu para os sites CARAS Online, Virgula e Estadão (E+), Yahoo!, Mix Brasil, no jornal O Regional e para a revista Junior. É autor do livro-reportagem "Por um lugar ao Sol", sobre pessoas trans no mercado de trabalho. Tem quatro prêmios de jornalismo, sendo dois voltados para as questões trans, Claudia Wonder e Thelma Lipp

12 comentários:

Kimberly Luciana disse...

MUITO ORGULHOSA EM TER MEU TRABALHO RECONHECIDO, E ESTAR ENTRE AS TTS QUE MAIS SE DESTACARAM DURANTE O ANO, MUITAS HORAS, DIAS, QUE ME ENTREGO PARA DAR A MELHOR VISIBILIDADE AO NOSSO MUNDO T, Muito obrigada pelo reconhecimento essa emoção não há dinheiro que pague Neto Lucon em estar nessa seletividade de beldades e guerreiras

Rafaella Trans disse...

Adoro a Daniela e Kimberly, além de lindas, super engajadas na causa. Daria o premio as duas!

Larissa Godoy disse...

Não gostei, tirando umas três anonimas, só as famosas que já conquistaram suas visibilidades, tem que dar chance para as não conhecidas.

Rayssa disse...

Larrisa mas se elas não são conhecida elas não tiveram destaque

Anônimo disse...

Inveja a sua Larissa, confessa logo que gostaria de estar ao lado dessas mais, mais!

Nicole Spanic disse...

Sou Travesti e e um orgulho ter todas e todos voces que noss representam parabénss....

Justiceira disse...

Só as RICA$ e GLORIOSAS :-*

Felipe Godoy disse...

Esta lista tem alguns equívocos. 1) Maria Clara Spinelli - Péssima como atriz. Deve aprimorar suas interpretações para melhorar na carreira de atriz. 2) Paty Delli - Essa é a piada máxima. É cafetina em SP. Traz meninas lá do Norte para ganhar diaria delas em SP. 3)Patricia Araujo - Ainda se prostituindo com outro nome nos anuncios dos sites. e nas entrevistas tem a cara de pau de dizer que parou. 4)Indianara Siqueira- É a maior barraqueira. Só queima o filme das trans. na marcha das vadias tentou invadir uma igreja com os peitos de fora. Lamentavel. 5) Barbara Aires - também dizia que tinha parado mas foi vista várias vezes fazendo pista na Praça do Ó na Barra. 6) e sem contar a Carol Marra que esá anunciando em sites de acompanhantes com o nome de Bruna e escondendo a cara.
Bom creio que estas que eu disse não mereciam estar na lista já que tudo que é ligado a prostituição deve ser repudiado.
Feliz Ano novo!

Anônimo disse...

Felipe, chupa meu dedão. Antes puta que moralista

Rafaela Belucci disse...

Parabéns pela páginas pelas homenagens a nosso mundo Transex , Felipe se as meninas estão ou não se prostituído sao coisas pessoas , porquer tanto preceitos o importante e que elas buscaram outras coisas e sociais mostraram outro lado agora cada uma tem sua vida , bjs e espero mais matérias ...

Gabriel Henrique Straus disse...

Kimberly superou outra vez na parada Gay 2014, usando o seu corpo e o lado artistico para gritar pelos direitos das Travestis e transex

Gabriel Henrique Straus disse...

Kimberly superou outra vez na parada Gay 2014, usando o seu corpo e o lado artistico para gritar pelos direitos das Travestis e transex e merece continuar na lista desse ano.

Tecnologia do Blogger.