Pop & Art

Agora como MC, Transnitta grava música de trabalho e lança clipe 'Para Menino'


Cover da cantora Anitta, a artista trans Camilla Monforte [mais conhecida como Transnitta] resolveu dar um passo a mais na carreira. Agora, além de dublar e reproduzir as performances da funkeira, ela também se tornou MC, canta com a sua própria voz e acaba de gravar o seu próprio sucesso: a dançante Para Menino, com produção do DJ Xaropinho.

De acordo com Camilla, a ideia de gravar a música surgiu de uma situação do cotidiano. “Eu estava na esquina de casa e três meninos ficavam me perturbando, dizendo que a Anitta era gostosa, mas diziam, quando eu olhava: ‘Pow, brincadeira, eu não pegava não’. E eu respondi: ‘Para menino, tá na cara que você pega sim, você é doido pra ficar comigo’ [risos]. O DJ Xaropinho estava na hora e falou que isso dava funk e me chamou para gravar”.

Além de Para Menino, a artista também gravou a música Causando e afirma que o resultado surpreendeu, principalmente por já ser executada na favela do Rio de Janeiro. “Ainda não acredito que eu tenha cantado. Brinquei, foi divertido, mas é estranho me dublar e me ouvir, sabe? O mais importante é que as pessoas estão gostando e isso me motiva a gravar outras músicas”, diz Camilla. 

Neste domingo, 2, MC Transnitta lançou ainda o clipe da música, gravada no Piscinão de Ramos, e trouxe entre as novidades a presença de várias crianças da comunidade e um novo passinho. “É inusitado, inédito e fácil”, conta ela, que também trouxe o grito “Xô Preconceito”, em menção à Garota X [Mulher Banana]. “Quis homenagear ela, que foi a primeira MC trans da história da furacão 2000 e que rompeu vários tabus”. 
.
O novo passinho inventado por Transnitta

 E a carreira de cover de Anitta?  “Estamos preparando a coreografia da música nova, “Na Batida” e as mudanças das antigas. No dia 15, Anitta lança o DVD e eu estarei em Salvador, mostrando as novidades em primeira mão”. 

Para quem critica o trabalho de Camilla como cover de Anitta, ela manda o recado e diz que o fato de se tornar notícia positiva, longe do estereótipo, já contribui muito para as trans das comunidades. “A Transnitta surgiu de um grande preconceito que passei na tentativa de me inserir no mercado de trabalho. Não existe uma matéria minha em que eu não fale de empregabilidade e preconceito, mesmo quando não perguntam. É importante termos trans em todas as profissões, áreas e lugares, inclusive no funk”. 

Confira abaixo o clipe Para Menino:
.

About Neto Lucon

Jornalista. É formado pela Puc-Campinas e pós-graduado em Jornalismo Literário pela Academia Brasileira de Jornalismo Literário. Escreveu para os sites CARAS Online, Virgula e Estadão (E+), Yahoo!, Mix Brasil, no jornal O Regional e para a revista Junior. É autor do livro-reportagem "Por um lugar ao Sol", sobre pessoas trans no mercado de trabalho. Tem quatro prêmios de jornalismo, sendo dois voltados para as questões trans, Claudia Wonder e Thelma Lipp

0 comentários:

Tecnologia do Blogger.