Pride

Volta por cima! Trans que abandonou escola por transfobia retoma estudos e planeja futuro

Isabelle desabafa em reportagem do SBT, em 2013; e, agora, se preparando para voltar aos estudos

A estudante Isabelle Abrego, mulher transexual de 19 anos, tornou-se notícia em 2013 ao ser impedida de frequentar o banheiro feminino da escola Joaquim Murtinho, de Campo Grande, Mato Grosso do Sul. Logo depois, revelou ao NLucon ter abandonado o terceiro colegial por conta da transfobia. Mas em 2014, a jovem traz uma novidade, que promete mudar o desfecho e apresentar uma esperança para muitas travestis e transexuais do Brasil: ela vai retomar os estudos e já pensa no futuro profissional.

Isabelle conta que pretende concluir o ensino médio pelo EJA [Educação de Jovens e Adultos] e que as aulas começaram nesta quarta-feira, dia 5. Por conta da boa nota que tirou em várias disciplinas do ENEM [Exame Nacional do Ensino Médio], ela conseguiu eliminar várias matérias. “Consegui me livrar de quase tudo, exceto redação. Agora, farei aulas de artes, educação física, inglês e português. Estou bastante animada para começar as aulas”, diz.

Ao fazer a matrícula, a estudante declara que teve a sua identidade feminina respeitada, que o documento contou com o seu nome social e que, assim como os demais tratamentos, não terá problemas em frequentar o banheiro feminino. “Desta vez, a simples ida ao banheiro não vai se tornar polêmica”, comemora. “A diretora só pediu para eu colaborar com os professores e conversar com eles para me chamarem pelo nome social. Espero é que eles colaborem e não façam a opção pelo constrangimento”. 

Mais que contar com o bom senso dos professores, o direito ao nome social tornou-se decreto do governador André Puccinelli, em julho de 2013. Ele permite e assegura que uma travesti ou uma transexual tenham a identidade de gênero e o nome social respeitados tanto pelos serviços de educação, quanto de saúde e segurança. “Antes, quando um professor me chamava pelo nome masculino, ficava a aula toda pensando naquilo e não conseguia me concentrar”, desabafa.

Bem mais animada com a nova oportunidade, ela revela que se dedicará ao máximo aos estudos e que já planeja prestar vestibular para Radio & TV ou Jornalismo neste ano. “É o meu maior sonho profissional”, diz Isabelle, que criou o próprio projeto, Imprensa Colorida, que conta com vários vídeos publicados na internet. 
Boa sorte e bons estudos!

Confira a matéria que foi notícia que exibida pelo SBT, 2013: 

About Neto Lucon

Jornalista. É formado pela Puc-Campinas e pós-graduado em Jornalismo Literário pela Academia Brasileira de Jornalismo Literário. Escreveu para os sites CARAS Online, Virgula e Estadão (E+), Yahoo!, Mix Brasil, no jornal O Regional e para a revista Junior. É autor do livro-reportagem "Por um lugar ao Sol", sobre pessoas trans no mercado de trabalho. Tem quatro prêmios de jornalismo, sendo dois voltados para as questões trans, Claudia Wonder e Thelma Lipp

0 comentários:

Tecnologia do Blogger.