Pop & Art

Nany People, Maria Alcina e outras 12 personalidades LGBTS encarnam Mona Lisa em ensaio

Nany People, Maria Alcina, Marcela Ohio e Stefhany di Bourbon

Artistas, militantes e personalidades que marcaram a história da diversidade de São Paulo estrelaram o ensaio Monas Paulistas, do fotógrafo gaúcho Gerson Roldo. A exposição é uma releitura de um dos quadros mais famosos do mundo, Mona Lisa, com uma expressão que faz parte do vocabulário LGBT, Mona. O convite surgiu a partir da pergunta: "Se Leonardo Da Vinci te convidasse para ser Mona Lisa, como seria a sua Mona?", deixando que cada homenageado criasse a sua personagem a partir das próprias vivências, e ainda nomeasse a obra. 

Dentre as personalidades estão a atriz e humorista Nany People, as cantoras Maria Alcina e Laura Finocchiaro, os atores Leo Moreira Sá e Roberto Camargo, a editora e criadora da G Magazine Ana Fadigas, a pedagoga e militante Janaina Lima, a advogada Márcia Rocha, a fundadora do GPH [Grupo de Pais de Homossexuais] Edith Modesto, o DJ Mauro Borges, as drag queens Stefany di Bourbon e Dindry Buck, a Miss Internacional Queen Marcela Ohio e o ativista Beto de Jesus

"O critério de seleção foi baseado na história que cada pessoa tem para contar, sempre com um diferencial, seja na vida pessoal, na luta pela causa LGBT, na política ou na cultura. Não era preciso que fosse LGBT, mas que tivesse um papel importante neste cenário", argumentou o fotógrafo, que investiu em diferentes e importantes personalidades.

A ideia de trazer a exposição para São Paulo ocorreu, de acordo com Gerson, durante a conversa com a maquiadora Sil Gollmann, no dia da abertura da exposição das Monas do Rio Grande do Sul, em 2012, quando ele fotografou inicialmente personalidades gaúchas [confira as primeiras Monas]. Após conversa e parceria firmada com o NLucon, que fez a ponte com as homenageadas, a equipe formada pela maquiadora Sil, por Sidnei Akiyoshi [fotos do making of] e pela Valéria Houston [produção] desembarcou em São Paulo e realizou as fotos durante uma semana de março.

Cada Mona mergulhou na proposta e trouxe diferentes - e inusitadas - ideias e caracterizações. Três delas são a Mona Chupa, Mona [En]Crespa e a MonaNormal. E todas posaram em frente a uma tela idêntica à da Mona Lisa, pintada por Sidnei, com o detalhe a mais de um arco-íris, trazendo as suas encantadoras personalidades ao projeto. Muitas conversas, risos, histórias e revelações marcaram os bastidores. 

"Foi uma experiência incrível, conheci pessoas maravilhosas. As Monas deixaram um pouco de si comigo e eu aprendi muito mais sobre gêneros. Nos bastidores rolou muita energia positiva e, apesar de ser um trabalho sério, demos muitas risadas. Tenho certeza que todos vão amar o resultado, pois eu amei. Agora, não me pergunte qual é a minha Mona preferida, pois todas me surpreenderam, todas entraram de corpo e alma no projeto e o maior destaque foi o comprometimento que tiveram quando aceitaram o convite para serem Mona", argumentou. 

A equipe ainda negocia com o espaço em que as fotos serão expostas e a previsão é de que o lançamento seja em junho, durante o mês do Orgulho LGBT de São Paulo.  É aguardar!  

Confira alguns cliques dos bastidores, feitos por Sidnei Akiyoshi:
.
A cantora Laura Finocchiaro
A miss Marcela Ohio e a atriz Nany People posam e conferem as fotos
Valéria, Gerson,  a Mona Ana Fadigas, Neto e Sil
O ator Leo Moreira Sá se prepara para as fotos; o Dj Mauro Borges revive personagem icônico
A maquiagem luxo e exclusiva de Maria Alcina, feita por Guilherme Rodrigues
A drag Stefany di Bourbon e a fundadora do GPH Edith Modesto
Gerson e Dindry Buck, e Beto de Jesus e Sidnei
A maquiadora Sil e as Monas Marcela Ohio, Leo Moreira Sá e Laura Finocchiaro
A pedagoga Janaina Lima
Sil, Gerson, Nany People, Neto e Valéria
A advogada Marcia Rocha e o ator Roberto Camargo arrasando na produção com make de Eliseu Cabral

CURIOSIDADES: Mona Lisa e as Monas  

- Mona é uma expressão utilizada no universo LGBT. De acordo com o livro Aurélia [Editora da Bispa], a expressão vem do bajubá e originalmente designa mulher, mas também é frequentemente usada para definir o homem homossexual. 

- Assim como a comunidade LGBT, o quadro já sofreu inúmeros ataques. Em 1956, um psicopata jogou ácido sobre a obra e danificou a parte inferior. No mesmo ano, jogaram uma pedra, estragando a sobrancelha esquerda de Mona Lisa. O último ataque ocorreu em 2009, quando uma russa jogou uma xícara de café, mas a obra já estava devidamente blindada.

- Uma das perguntas que povoam o imaginário é sobre quem seria Mona Lisa. Enquanto há teorias que dizem que se trata da esposa de um rico comerciante de seda, outras [como a da artista gráfica Liliam Schwartz] dizem que Mona Lisa nada mais é que o próprio Leonardo da Vinci travesti, que retratou seu alter-ego. 

- Dan Brown, autor de O Código da Vinci, acredita que Leonardo tenha tido a intenção de unir o masculino e o feminino em Mona Lisa, já que o título permite anagramas como: Amon L'isa, reunindo os deuses egípcios Amon e Ísis ou SolAnima, juntando os ícones masculino [Sol] e feminino [Anima, Alma].

- O icônico sorriso da modelo também provoca debates sobre quais seriam o estado de espírito ao posar. A Universidade de Amsterdã desenvolveu uma análise, publicada na revista New Scientist, que aponta que Mona Lisa estava 83% feliz, 9% angustiada, 6% assustada e 2% chateada. Tamanha incógnita dá-se graças a um truque artístico: o sfumato, que borrava, esfumaçava e dava efeitos inusitados. 

- A sexualidade de Leonardo também causa polêmica e dúvida. Alguns biógrafos, como Vasari, diz que ele é homossexual e chegou a ser preso por sodomia. Já outros afirmam que durante parte de sua vida foi celibatário. O fato é que em um dos seus textos, o artista escreve: "O ato da procriação e tudo com ele relacionado é tão nojento que a raça humana rapidamente desapareceria se não existissem caras bonitas e inclinações sensuais".

About Neto Lucon

Jornalista. É formado pela Puc-Campinas e pós-graduado em Jornalismo Literário pela Academia Brasileira de Jornalismo Literário. Escreveu para os sites CARAS Online, Virgula e Estadão (E+), Yahoo!, Mix Brasil, no jornal O Regional e para a revista Junior. É autor do livro-reportagem "Por um lugar ao Sol", sobre pessoas trans no mercado de trabalho. Tem quatro prêmios de jornalismo, sendo dois voltados para as questões trans, Claudia Wonder e Thelma Lipp

2 comentários:

Dindry Buck disse...

Foi uma experiência fantástica.
Neto, meu lindo, eu fiquei mais lisonjeada com o convite e mais uma vez agradeço seu carinho para comigo.
A todo equipe, meu muito obrigado.
Foi simplesmente fantástico.
Ser uma Mona, foi um luxo!
Agora na expectativa do resultado final!
bzus

ana Fadigas disse...

Netooooo, foi feliz estar no projeto das monas ! A equipe inteira deliciosamente divertida e muito competente. Espero que o resultado seja lindo como a intenção do trabalho. Ansiosamente , assina Ana Fadigas

Tecnologia do Blogger.