Eventos

Combate a homotransfobia: Ghilherme Lobo, Laerte e Janaina Lima são homenageados na Câmara de SP

Daniela Andrade, Laerte Coutinho, Ghilherme Lobo e Janaina Lima

A Câmara Municipal de São Paulo foi palco na noite dessa quinta-feira, 22, da Sessão Solene em Homenagem ao Dia Municipal de Combate à Homofobia, Lesbofobia e Transfobia. Nela, foram entregues doze homenagens, destinadas a militantes, ativistas e artistas que contribuíram e deram visibilidade para a quebra de preconceitos. A sessão foi comandada pelo vereador Floriano Pesaro [PSDB], autor da Lei 15900/2013, que instituiu o dia 17 de maio o Dia Municipal de Combate a Homofobia, Lesbofobia e Transfobia.

+ Aos 75, Phedra de Córdoba conta tudo com exclusividade ao NLucon
+ 'Admitir preconceitos é admitir que somos humanos', diz Daniela Andrade
+ 'Tenho orgulho de ser transhomem', diz polonês Oliwer ao NLucon

A mestre de cerimônias foi a drag queen
Dindry Buck, que esbanjou alegria, deu cor à noite e anunciou os homenageados. A advogada Hanna Korich foi a primeira a receber a placa pela produção do documentário sobre a escritora “Cassandra Rios”. No discurso, ela atentou para o descaso à cultura e disse que a escritora lésbica ainda hoje sofre preconceito pela invisibilização.

A transfeminista
Daniela Andrade foi homenageada e atentou que, enquanto a homossexualidade deixou de ser considerada doença em 1990, a transexualidade ainda hoje continua na OMS. Janaina Lima, primeira travesti a presidir o Conselho Municipal de Atenção à Diversidade Sexual, recebeu a homenagem, mas questionou a comemoração ao ler o depoimento de Sofia Favero, travesti sergipana que foi agredida durante a ida à universidade.

Já o ator
Ghilherme Lobo, protagonista do filme Hoje eu Quero Voltar Sozinho, disse que se surpreendeu pelo filme de Daniel Ribeiro ultrapassar as barreiras do preconceito. A cartunista Laerte Coutinho, o cineasta Lufe Steffen – do documentário São Paulo em Hi-Fi -, Regina Papini, diretora da peça teatral “10ponto948”, e a cantora Suellen Luz, autora da música Afeminados, também marcaram a lista de artistas homenageados.

No âmbito das conquistas políticas, receberam as placas Lourival Gomes, Secretário de Administração Penitenciaria – pela publicação da Resolução SAP 11, que assegura direitos às pessoas trans nos presídios. A secretária municipal de políticas para as mulheres Denise Motta Dau, pela implantação da assessoria temátia LBT. Franco Reinaudo, diretor do Museu da Diversidade. E a Coordenadora de Políticas para a Diversidade Sexual, Heloísa Gama Alves.


O evento contou com a presença do empresário Douglas Drumond, a trans dos 'bons drink' Luisa Marilac, os militantes André Pomba, Fernando Uchôa, Fernanda Moraes, Marcia Lima, Bruna Valin, entre outros.

Confira algumas imagens da noite: 


Daniela Andrade e Dindry Buck

A cantora Suellen Luz canta a música Afeminados
Dindry Buck e Floriano Pesaro
Alcione Carvalho e Fernanda Moraes
Ghilherme Lobo conversa com Laerte Coutinho



Hanna Korich, do documentário Cassandra Rios
Brunna Valin e Fátima Gullino Frazão
Heloísa Gama Alves, coordenadora de políticas para a diversidade sexual
Regina Papini da peça 10ponto948

Janaina Lima, a primeira travesti a presidir o Conselho Municipal de Atenção à Diversidade Sexual

Laerte Coutinho e Douglas Drumond

Lourival Gomes, secretário de administração penitenciária
Lufe Steffen, diretor do filme "São Paulo em Hi-Fi"
Luisa Marilac e André Pomba
Marcia Lima

Neto Lucon e Ghilherme Lobo

About Neto Lucon

Jornalista. É formado pela Puc-Campinas e pós-graduado em Jornalismo Literário pela Academia Brasileira de Jornalismo Literário. Escreveu para os sites CARAS Online, Virgula e Estadão (E+), Yahoo!, Mix Brasil, no jornal O Regional e para a revista Junior. É autor do livro-reportagem "Por um lugar ao Sol", sobre pessoas trans no mercado de trabalho. Tem quatro prêmios de jornalismo, sendo dois voltados para as questões trans, Claudia Wonder e Thelma Lipp

0 comentários:

Tecnologia do Blogger.