Pop & Art

Com Neymar, Elano e Marta, Google lança campanha contra homofobia no esporte; assista

Neymar: "Dentro do campo não existe espaço para o preconceito"/ Nem fora dele, né?

“O esporte tem o poder de mudar o mundo, ele tem o poder de unir as pessoas, de um jeito que poucas coisas conseguem”. O discurso de Nelson Mandela [1918-2013] feito ao receber o Prêmio Laureaus, em maio de 2000, abre o mais novo vídeo produzido pelo Google/Youtube para combater o preconceito contra gays e lésbicas no esporte, durante o mês do Orgulho LGBT [Lésbicas, Gays, Bissexuais e Trans - pois é, mais uma vez esqueceram de citarem o preconceito contra o grupo trans]. 


Além de exibir vários esportistas que assumiram ser integrantes da diversidade sexual, como o atleta olímpico Tom Daley, o jogador Robbie Rogers e o jogador de basquete Jason Collins, o vídeo reúne diversas personalidades, sejam elas gays, bissexuais ou héteros, que discursam contra a homofobia e anunciam a hastag #JogueComOrgulho.

Entre os brasileiros gay-friedly, estão os jogadores de futebol Neymar, Elano, Denilson, André Santos, Leo Moura e Marta. “Dentro do campo, não existe espaço para o preconceito, nem discriminação, somente a arte de jogar”, afirma Neymar. “Não importa quem você ama, o que importa é fazer gols”, continua Marta. Curiosamente o atleta Ganso, que em 2010 disse que “graças a Deus, não tem gays no Santos” e foi acusado de homofobia, também está no vídeo com o novo discurso “Jogue com Orgulho”. Na época, ele tentou se retratar e pediu desculpas.

A iniciativa e a reflexão promovidas pela campanha são importantes num país onde ser gay é motivo de ofensa, que atletas da diversidade são oprimidos, que xingamentos pejorativos são comuns no esporte em geral, sobretudo no futebol. Num país em que não temos exemplos de atletas gays brasileiros assumidos a dizer a sua experiência no vídeo. A última polêmica [diga-se absurda] ocorreu quando o jogador Sheik, que é hétero, publicou uma foto em que dá o simples selinho em um amigo e que acionou a revolta de parte da então torcida corintiana, que pediu a sua expulsão.

Referência entre os atletas assumidos, o jogador de basquete norte-americano Jason Collins diz: “Precisamos ter coragem para dizer para o resto do mundo: este sou eu”. Já o presidente dos EUA Barack Obama aparece citando a frase: “Quando olhar para trás em alguns anos você vai ver uma época em que nós demos um fim à discriminação contra gays e lésbicas”. Ops, esqueceram novamente as trans.


About Neto Lucon

Jornalista. É formado pela Puc-Campinas e pós-graduado em Jornalismo Literário pela Academia Brasileira de Jornalismo Literário. Escreveu para os sites CARAS Online, Virgula e Estadão (E+), Yahoo!, Mix Brasil, no jornal O Regional e para a revista Junior. É autor do livro-reportagem "Por um lugar ao Sol", sobre pessoas trans no mercado de trabalho. Tem quatro prêmios de jornalismo, sendo dois voltados para as questões trans, Claudia Wonder e Thelma Lipp

0 comentários:

Tecnologia do Blogger.