Header Ads

Justiça decreta prisão de cinco suspeitos de assassinato da travesti Laura Vermont





Texto de NLucon p/ o site A CAPA

A Justiça decretou a prisão preventiva de cinco suspeitos envolvidos no crime contra a travesti Laura Vermont, 18 anos, que foi assassinada no dia 20 de julho, na região da Vila Nova Curuça, em São Paulo.

+ Caminhada em SP repudia assassinato de Laura Vermont


Foram eles: Van Basten Bizarrias de Deus, Jefferson Rodrigues Paulo, de 24 anos, Iago Bizarrias de Deus, Wilson de Jesus Marcolino, de 20 anos, e Bruno Rodrigues de Oliveira.

De acordo com os delegados José Manoel Lopes e Michel Augusto Toricelli, do 32º DP (Itaquera), Van, Jefferson e Iago estavam presos temporariamente desde o início de julho. Wilson é considerado foragido da Justiça e Bruno tem sido monitorado pelos policiais civis do 32º DP e deverá ser preso em breve.

No crime,Laura teria sido agredida na rua a pauladas por Van Basten e, depois, foi espancada por ele e os outros quatro. A família e amigos acreditam que a motivação foi transfobia.

Depois de ser vista andando ensanguentada, Laura foi abordada por dois policiais militares Ailton de Jesus, de 43 anos, e Diego Clemente Mendes, de 22. Eles foram chamados para socorrê-la, mas acabaram dando um tiro nela. O laudo de morte apresentado pelo Instituto Médico Legal aponta traumatismo craniano.



Durante o relato, os PMs chegaram a forjar uma testemunha, mentir sobre ter levado Laura ao hospital (o que foi feito pela família) e omitir terem dado um tiro. Eles disseram que a travesti teria entrado na viatura, assumido o volante do carro e batido o veículo contra um muro. A família questiona a versão, uma vez que a vítima não sabia dirigir. Os PMs chegaram a ser presos, mas foram liberados após pagar fiança.

O crime chocou a comunidade LGBT, que chegou a fazer uma marcha de repúdio pela transfobia no país.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.