Pride

Lea T, ex-BBB Ariadna e Marcela Ohio são espancadas em campanha contra a transfobia



Por Neto Lucon

A modelo Lea T, a ex-BBB
Ariadna Arantes e a modelo brasileira Marcela Ohio, que se tornou nacionalmente conhecida após vencer o Miss International Queen na Tailândia, aparecem espancadas na campanha mundial contra a transfobia, que foi lançada nesta sexta-feira (29) pela Astra (Associação das Travestis e Transexuais do Rio).

+ "Sou trans e tenho direito à vida" é tema de campanha


Organizada pela militante travesti Majorie Marchi, a campanha conta com fotos de travestis e mulheres transexuais do Brasil, Nigéria, Colômbia, Filipinas, Turquia, Korea do Sul, Paraguai, Venezuela e Tailândia. E visa combater a violência motivada pelo preconceito a identidade de gênero de pessoas trans (veja a página oficial aqui). 


Pelo conteúdo forte e de violência, Majorie afirma que a ideia foi mostrar por meio das imagens editadas pelo designer Rafael Menezes a realidade de transfobia que assola o país. “Queria algo sério falando sobre a violência que volta a crescer”, defende.


A Astra informa que pelo menos 46 travestis e mulheres transexuais foram assassinadas no Brasil somente em 2015. E a ONG Europe Transgender diz que 689 foram assassinadas no país entre 2008 e 2014, deixando o Brasil em primeiro lugar entre os países mais violentos contra a população trans.


“Trata-se de um projeto mundial contra a tranfobia, porque nenhum de nós em nenhum lugar do mundo estamos imunes a transfobia”.


Vale ressaltar que a cantora MC Xuxu, Raika Ferraz (Miss T Brasil 2013/ foto ao lado) Valesca Dominik (Miss T Brasil 2014), a militante Bruna Bevenides e a modelo Rafaela Manfrini são algumas das trans brasileira que também estrelam a campanha. Nesta sexta-feira (29), ela foi destaque na coluna de Alcemo Góis, do jornal O Globo. 

Veja algumas fotos abaixo: 













Outras fotos podem ser vistas aqui.

About Neto Lucon

Jornalista. É formado pela Puc-Campinas e pós-graduado em Jornalismo Literário pela Academia Brasileira de Jornalismo Literário. Escreveu para os sites CARAS Online, Virgula e Estadão (E+), Yahoo!, Mix Brasil, no jornal O Regional e para a revista Junior. É autor do livro-reportagem "Por um lugar ao Sol", sobre pessoas trans no mercado de trabalho. Tem quatro prêmios de jornalismo, sendo dois voltados para as questões trans, Claudia Wonder e Thelma Lipp

1 comentários:

Anônimo disse...

É vergonhoso saber que isso ainda acontece. Uma pessoa assumir sua sexualidade parece ser um crime. Vergonha

Tecnologia do Blogger.