Pop e Art

“Sou trans e tenho direito à vida”, protestam misses e madrinhas em campanha; fotos!



Por Neto Lucon

Algumas das travestis e mulheres transexuais mais bonitas do mundo se reuniram para a campanha fotográfica intitulada “Sou Trans e Tenho Direito à Vida”, que foi lançada nesta sexta-feira (19), no Dia Nacional da Visibilidade Trans, nas redes sociais.

+ Caminhada pela Paz "Sou trans e Quero Dignidade e Respeito" ocorre neste sábado em SP


Organizado por misses e madrinhas dos mais tradicionais concursos nacionais e internacionais, o protesto visa sensibilizar, conscientizar e repudiar os mais de 600 assassinatos de travestis e mulheres transexuais entre 2008 e 2014. E os mais de 40 somente neste mês, que torna o Brasil número 1 em violência contra a comunidade trans.


Nas imagens, as belas – que são misses e madrinhas dos concursos Miss T Brasil , Miss Trans Universo (Itália) e Miss Trans Internacional (Barcelona)- aparecem com vestidos brancos e frases que perpetuam a trajetória e anseios da população T: “Discriminação, Basta ya!, Stop, No Mais, Humanidad, Victima”.


“Diante de tantos assassinatos, o projeto foi realizado bravamente pelas meninas, que buscam chamar atenção para a transfobia, para a discriminação ainda latente e para conscientizar de que não é justo que muitas pessoas sejam assassinadas. Temos sim o direito à vida”, declara a miss Aleika Barros, vencedora de vários concursos e atual Miss Trans Universo. 


Ela também rebate o 
discurso de quem diz que muitas mortes ocorrem dentro da criminalidade - e que, por esse motivo - não seriam associadas ao preconceito. “O Brasil não é um país onde legalmente é aplicada a pena de morte para quem comete alguma infração. Mas essa tem sido a condenação para muitas travestis e transexuais, que são executadas sem chance de defesa. Se ela cometeu alguma infração, que seja punida de acordo com a lei, mas não com a própria vida. Este é o discurso de quem está mais preocupado em justificar essas mortes”.


As madrinhas da campanha "Sou Trans e Tenho Direito a Vida" são Caroline Vaz, Thara Wells e Majorie Marchi, que são atualmente as pessoas que, por meio dos concursos de beleza que promovem, mostram mais que beleza, mas outras formas físicas, a cidadania da comunidade e a busca dos direitos como pessoa humana.

Parabéns pela ação! 


Abaixo, as fotos:





 Thara Wells, madrinha da Campanha e produtora do Miss Trans Star Internacional

Nathalia de Oliveira, a atual Miss T Brasil


Caroline Vaz, madrinha da campanha e produtora do Miss Trans Universo


Aleika Barros, atual Miss Trans Universo


Para ver outras fotos, basta clicar aqui

About Neto Lucon

Jornalista. É formado pela Puc-Campinas e pós-graduado em Jornalismo Literário pela Academia Brasileira de Jornalismo Literário. Escreveu para os sites CARAS Online, Virgula e Estadão (E+), Yahoo!, Mix Brasil, no jornal O Regional e para a revista Junior. É autor do livro-reportagem "Por um lugar ao Sol", sobre pessoas trans no mercado de trabalho. Tem quatro prêmios de jornalismo, sendo dois voltados para as questões trans, Claudia Wonder e Thelma Lipp

0 comentários:

Tecnologia do Blogger.