Header Ads

Salvador recebe a 1ª exposição fotográfica composta exclusivamente por artistas trans


.
Chega de ser retratado apenas pelo olhar cisgênero. Agora, pela primeira vez, ocorrerá uma exposição fotográfica onde os artistas são compostos apenas por pessoas trans (travestis, mulheres transexuais, homens trans e outras transgeneridades). 

+ Filme do "Porta dos Fundos" traz visibilidade trans, mas gravação cai no clichê


A exposição TRANSformando o Olhar - Solidões Trans e Travestis - ocorre no dia 1º de março, às 18h, na Galeria Jayme Fygura, no Teatro Gamboa Nova, no Largo dos Aflitos, em Salvador, Bahia. A entrada é franca. 

Nela, os fotógrafos Diego Nascimento, Edymartins Reis, Irlanmica Tripoli, Roberto Enriquez, Tito Carvalhal e Viviane Vergueiro trazem por meio de sensíveis e comoventes imagens a a solidão que assola a vida de pessoas trans. Cada um revelou como sente a sua solidão.

Afinal, como se sabe, a vida de uma travesti (por exemplo) é marcada muitas vezes pelo abandono familiar, exclusão escolar, do mercado de trabalho, além da rejeição de amizades e amores. Durante a exposição, todos os autores vão falar sobre a experiência, vida e obra.

Vale ressaltar que a exposição é fruto da oficina de fotografia realizada pela Casa da Outra Companhia de Teatro, por meio da foto-ativista Andréa Magnoni, exclusiva para pessoas trans. A oficina é parte do projeto Cores e Flores para Tita, conta com produção da Kalik e financimento pelo edital Arte em Toda Parte, da Fundação Gregório de Mattos com a Prefeitura de Salvador.


Autorretrato de Irlanmica com Roberto Enriquez

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.