Pride

Luto: Amigos fazem caminhada em memória da militante trans Izadora Melina Melão




.
Amigos, familiares e companheiros de militância vão caminhar nesse domingo (10) em memória da militante trans Izadora Melina Alves Melão, às 15h, em Americana, interior de São Paulo.

+ Homem trans de 18 anos é agredido por transfóbicos em Barueri, em São Paulo


Familiares apontam que Melina, de 24 anos, teve uma parada cardiorrespiratória no último dia 20 e não resistiu.

A caminhada vai iniciar na Praça dos Trabalhadores (atrás do comercial esperança) até o Botânico, local onde a militante gostava muito de ir. No evento do Facebook, amigos pedem que levem faixas, cartazes e flores.

“Vamos fazer essa linda homenagem a quem sempre trouxe amor e carinho a todos nós”, diz o comunicado. “Entre nessa você também, fora transfobia”. Veja aqui a página da caminhada no Facebook.

GRANDE PERDA


Melina era militante trans, fazia parte da militância da juventude do PT, estava sempre envolvida em ações de combate à discriminação na cidade e pelos direitos igualitários. Representa uma perda significativa para amigos, familiares e para o futuro da militância.

Em uma reunião do Fórum Paulista de Travestis e Transexuais, em São Paulo, sugeriu que produzissem um vídeo utilizando a frase de Simone de Beauvoir, “Ninguém Nasce Mulher, Torna-se Mulher”, na semana do Dia Internacional da Mulher. Aliada a outras iniciativas, a ideia foi o pontapé para uma campanha nacional.

Em outro vídeo, chegou a rapar a cabeça contra os crimes transfóbicos – doando os seus cabelos para uma empresa que confecciona perucas para uma entidade que recebe pacientes com câncer – e discursou sobre os motivos que a levou votar em Luciana Genro (PSOL) e depois em Dilma Rousseff (PT). Melina dizia: “Nós temos nomes, nós amamos”.

Era uma mulher inteligente, engajada, doce e transmitia muito força ao mesmo tempo em que guardava uma latente fragilidade.

About Neto Lucon

Jornalista. É formado pela Puc-Campinas e pós-graduado em Jornalismo Literário pela Academia Brasileira de Jornalismo Literário. Escreveu para os sites CARAS Online, Virgula e Estadão (E+), Yahoo!, Mix Brasil, no jornal O Regional e para a revista Junior. É autor do livro-reportagem "Por um lugar ao Sol", sobre pessoas trans no mercado de trabalho. Tem quatro prêmios de jornalismo, sendo dois voltados para as questões trans, Claudia Wonder e Thelma Lipp

0 comentários:

Tecnologia do Blogger.