Pride

Jovem faz teste no Facebook e revela que gordofobia ainda está muito presente



.
O estudante de fisioterapia Marcos Casteletti resolveu fazer um experimento social no Facebook. Ele, que emagreceu 70kg por meio de uma cirurgia bariátrica, resolveu publicar uma foto de quando pesava 180kg em seu perfil para conferir a reação das pessoas.

Por meio dos comentários de amigos, paqueras (ou crush) e até aqueles perfis que quase nunca conversam com a gente, ele provou que, em questão de gordofobia, ainda somos muito preconceituosos.

“Os resultados?

-elogios variados, dizendo que a cirurgia bariátrica fez muito bem para mim (concordo, minha saúde hoje está quase 100%)
-pessoas dizendo que tem que ter muita coragem para passar por uma transformação dessa visto que as mudanças soa bruscas e repentinas.

Aí entra a parte delicada da questão, os impactos negativos:
- 8 pessoas desfizeram a amizade dentro dessas 2h
- 1 pessoa me bloqueou
- 1 paquera/crush parou repentinamente de falar comigo e depois me tratou de forma fria quando fui puxar assunto
- 1 pessoa disparou a seguinte frase quando me viu pessoalmente: "tire aquela foto sua do perfil, tá ridículo, você tem que mostrar o que é agora"
- ex-ficante veio dizer que não ficaria comigo se eu ainda fosse 'daquele tamanho' (isso tudo de forma espontânea, sem eu ter perguntado).”

Marcos faz algumas observações e diz que o gordo ainda é um tabu, sofre preconceito e que a sociedade “ainda ataca o gordo como forma de tentar muda-lo, muitas vezes utilizando motivos de saúde para isso”. “Muitos nem reconhecem que gordofobia existe”, defende ele, que diz que as medidas fartas são utilizadas para justificar o desinteresse amoroso ou sexual ou até mesmo fetichizar a pessoa.

“Ainda temos muito o que desconstruir com relação a gordofobia. Seus comentários maldosos não serão construtivos, seu preconceito não será tratado como brincadeira. O padrão de beleza ainda está longe de ser quebrado. Mas estamos cansados de sermos silenciados, e vai ter luta contra gordofobia sim”, declara.

NEM TODO GORDO TEM PROBLEMA DE SAÚDE

Marcos diz que fez a cirurgia bariátrica por conta da depressão, pré-diabetes, pressão alta e outros fatores que colocaram a sua saúde em risco. Não por uma questão estética. Ele afirma ainda que não é verdade que todas as pessoas acima do peso tem uma saúde ruim.

"A sociedade ainda associa obesidade a saúde ruim. Não é verdade. Já vi diversas pessoas gordas que levam uma vida saudável, com exames em ordem e saúde de ferro. Assim como conheço pessoas magras que levam uma alimentação desregrada, cometem excessos, tem diabetes e problemas cardíacos. A sociedade ainda tenta justificar o preconceito contra gordos como se fosse uma questão de saúde. Devemos eliminar essa ideia urgente.", declarou ao site MdeMulher.

O estudante afirma que tem orgulho de chegar aonde chegou, mas não tem vergonha de quem ele foi um dia. “Já tive 180kg, não me envergonho disso. E não ADMITO que façam comentários negativos a respeito da minha aparência do passado e JAMAIS irei tolerar comentários preconceituosos e ofensivos direcionados a gordos”, finaliza. 

About Neto Lucon

Jornalista. É formado pela Puc-Campinas e pós-graduado em Jornalismo Literário pela Academia Brasileira de Jornalismo Literário. Escreveu para os sites CARAS Online, Virgula e Estadão (E+), Yahoo!, Mix Brasil, no jornal O Regional e para a revista Junior. É autor do livro-reportagem "Por um lugar ao Sol", sobre pessoas trans no mercado de trabalho. Tem quatro prêmios de jornalismo, sendo dois voltados para as questões trans, Claudia Wonder e Thelma Lipp

0 comentários:

Tecnologia do Blogger.