Pop e Art

Leonarda Glück emociona em performance “No documento é homem, mas aparenta ser mulher”



.
A atriz e diretora curitibana Leonarda Glück, um dos grandes nomes do teatro brasileiro, fez uma intensa e emocionante performance em vídeo falando, refletindo e revisitando a própria vivência transexual, “No documento é homem, mas aparenta ser mulher”.


+ "Ser transexual é apenas outra maneira de ser mulher", diz Leonarda Glück

Por meio do texto autoral, Leonarda discorre com poesia, dores e muita crítica os ecos de quem recebeu o papel social de “não poder chorar e ter que se virar”, de “pertencer à seita tão criticada das paixões” e de ter o “sexo dos anjos que dança”.

A trilha sonora e videoarte é de Jo Mistinguett, e mostra Leonarda de corpo nu, se rasgando, virando do avesso e esfregando verdades. “Eu nasci homem e, hoje, sou mulher. Eu nasci homem e trago no meio das pernas o sexo dos anjos que dança. Eu ensinei a natureza a parar com a depravação. Eu ensinei Deus a dormir em meu colo, que é santo e Ele sabe disso”.

O videoarte faz parte do projeto “Sim, somos bizarras”, que foi contemplado pelo programa Rumos Itaú Cultural 2013-2014. E foi publicado por Leonarda em seu Facebook na terça-feira (26), conquistando mais de 2.500 visualizações e dezenas de comentários positivos.

Assista:



Justamente com o compartilhamento, a artista escreveu: “Atenção: os documentos do PAX estão como homem, porém ele tem aparência de mulher. Favor não causar constrangimento ao PAX. Costumam chamar de Leo ou Leonarda" foi o que leu, já sem conseguir respirar direito, a transex asmática e periférica lá da Fazendinha — a sua roça iluminada — , em sua conta de hotel em SP, a locomotiva do país, onde o amor tem cara de fumaça tóxica. Talvez fosse feliz no mato ou no morro, pensou sorrindo, e acendeu um cigarro, como se fumando apagasse o PAX tão tortuoso em seu papel social”.

About Neto Lucon

Jornalista. É formado pela Puc-Campinas e pós-graduado em Jornalismo Literário pela Academia Brasileira de Jornalismo Literário. Escreveu para os sites CARAS Online, Virgula e Estadão (E+), Yahoo!, Mix Brasil, no jornal O Regional e para a revista Junior. É autor do livro-reportagem "Por um lugar ao Sol", sobre pessoas trans no mercado de trabalho. Tem quatro prêmios de jornalismo, sendo dois voltados para as questões trans, Claudia Wonder e Thelma Lipp

0 comentários:

Tecnologia do Blogger.