Pride

Militante de 19 anos desabafa sobre conteúdo perigoso em páginas de homens trans

O militante trans Bernardo Mota, de 19 anos, publicou em sua página no Facebook um vídeo em que faz um importante desabafo frente às páginas de conteúdo de homens trans que pipocam nas redes sociais. De acordo com ele, a maioria acaba “alimentando monstros” dentro da própria comunidade.

+ Pesquisa revela que 85% dos homens trans não procuram serviço de saúde pela transfobia


Bernardo diz que a maioria dos conteúdos prestigiam o homem trans idealizado, branco, com músculos, tatuagem, barba, cirurgias plásticas e muitos pelos espalhados pelo corpo. Porém, esta não é a realidade da maioria dos homens trans brasileiros.

“Honestamente, quanto de nós somos assim? Quase ninguém. E quando a gente começa a consumir esse tipo de informação, a nossa cabeça começa a trabalhar assim: ‘eu preciso malhar, eu preciso ter barba, eu preciso ficar forte’. E daí começa a ficar ansioso, desconfortável com o nosso corpo, deprimido e sem auto-estima”, diz. 

O militante questiona também as famosas postagens de “antes e depois”, sobretudo levando em considerações homens trans dos EUA. Tudo porque o processo de hormonização, o acesso a saúde, os próprios hormônios e o recorte de classe são diferentes dos homens trans do Brasil, logo não deveriam ser levados tão em conta. Muitos, ao verem que determinado homem trans conseguiu barba em dois meses, também querem ter. E ficam frustrados quando em dois meses a barba não veio. 

“Existem meninos que em poucos meses de transição conseguem a cirurgia. Poucos porque alguns tem dinheiro e tem apoio da família. Mas a maioria não tem nem emprego. Não é que seja errado divulgar a transição desses garotos, mas é que a gente sempre fica desconfortável com quem a gente  é, pela idealização do homem trans bem sucedido, perfeito, sem traço feminino, perfeito, com todas as cirurgias, malhado e lindo. Isso cria uma bola de neve tão grande que o nosso presente fica insuportável”, afirma.

Bernardo finaliza dizendo que torce para que todos consigam realizar todas as mudanças que queiram em seus próprios corpos. Afinal “a cirurgia não é só uma questão estética, são fundamentais para a nossa saúde”. Mas frisa que todos devem saber que a transição é única para cada pessoa e que todos fiquem atentos para não serem engolidos por essa idealização.

A postagem tem quase 6 mil visualizações, 500 curtidas, 120 compartilhamentos e comentários do tipo: "Tudo que eu precisava ouvir cara...Obg pelo vídeo Bernardo esses últimos dias eu ando mal exatamente por conta disso!"

Assista ao vídeo:

About Neto Lucon

Jornalista. É formado pela Puc-Campinas e pós-graduado em Jornalismo Literário pela Academia Brasileira de Jornalismo Literário. Escreveu para os sites CARAS Online, Virgula e Estadão (E+), Yahoo!, Mix Brasil, no jornal O Regional e para a revista Junior. É autor do livro-reportagem "Por um lugar ao Sol", sobre pessoas trans no mercado de trabalho. Tem quatro prêmios de jornalismo, sendo dois voltados para as questões trans, Claudia Wonder e Thelma Lipp

0 comentários:

Tecnologia do Blogger.