Pop e Art

Ocupação LGBT resiste a protesto pró-Bolsonaro remarcado no mesmo dia e espaço


.
Por Neto Lucon (Foto: Dani Villar)

Duas manifestações com conteúdos político e ideológico completamente opostos estão marcadas para o mesmo dia, horário e local. Trata-se da Ocupação
 [SSEX BBOX], disposta a discutir e ressaltar a diversidade LGBTQI, e uma manifestação em apoio Jair Bolsonaro, deputado conservador que diz que filhos LGBTs devem apanhar e que defendeu um torturador em seu voto pelo impeachment.

+ Psicólogo diz que Bolsonaro desperta o pior das pessoas; seja contra ou a favor dele


Ambas estão marcadas para este domingo (1º de maio), às 15h, no Largo da Batata (Avenida Brigadeiro Faria Lima, 900-990, Pinheiros) em São Paulo. O primeiro foi autorizado pela Prefeitura de São Paulo há um mês. Já segundo foi orientado nesta semana pela Policia Militar Metropolitana a remarcar para o mesmo espaço, pois ocorreria outro evento de esquerda na Avenida Paulista, a primeira opção. 

No texto de divulgação pró-Bolsonaro, os organizadores escrevem: “Soldados, novos estados entraram na Marcha. No dia 1 de maio, vamos fazer o Brasil conhecer a nossa força. Essa manifestação vai, além de apoiar Jair Messias Bolsonário, ela marca o renascimento da verdadeira direita brasileira. Vamos juntos construir um Brasil melhor, democrático e sem doutrinas”. E informa que Eduardo Bolsonaro estará.

Embora a organização do [SSEX BBOX] tema um confronto e a agressividade dos manifestantes pró-Bolsonaro - tão comuns em tempos políticos - o diretor Pri Bertucci pede para que as pessoas LGBTQI e apoiadores da causa não se intimidem e compareçam à Ocupação. E que este seria um ato de resistência pacífica.

“Nós temos autorização da Prefeitura há quase um mês. Fizemos tudo direitinho, de acordo com a lei. Eles é que não têm autorização para uma ocupação fascista em um espaço público. Lá, também estará acontecendo um evento do movimento negro com DJs e MCs. Conversamos com a organização do AcaraJazz na rua - O Retorno e vamos nos unir e resistir ao nosso direito de ocupar esse espaço”, declarou.

Por meio de frases históricas de Martin Luther King – considerado um dos maiores símbolos de resistência negra – Pri pede para que os LGBTQI resistam e avancem, sempre pacificamente. “Quem aceita o mal sem protestar, coopera com ele”.

O QUE ROLA NO [SSEX BBOX]?

O [SSEX BBOX] propõe neste ano a ocupação de espaços públicos com conteúdo, arte e o objetivo de alavancar discussões sobre a inclusão da população LGBT. Além de uma feira de troca de roupas, produtos e serviços. Tudo gratuitamente, das 14h às 20h. Sim, cheguem uma hora antes. 



.
“Em tempos de intolerância, alguns caminhos possíveis são a informação e a união: precisamos nos instruir e nos juntar para resistir e oferecer conhecimento contra o conservadorismo machista, sexista, racista, misógino e LGBTfóbico. O compromisso do [SSEX BBOX] é criar espaços, físicos e virtuais, que democratizem o acesso à informação, estimulem um diálogo aberto, que permitam que as pessoas descubram mais sobre si mesmas e seus desejos”, informa a página do evento no Facebook.

Obs: A organização explica que o evento [SSEX BBOX] no Largo da Batata vai ser em frente à igreja, do lado do Bar do Cu do Padre. 


Confira a programação:

15h - ▼ SLAM DAS PRETAS
slam das minas DF + slam das minas SP
batalha de poesia falada exclusiva pra lésbicas e mulheres negras~ leva seus poemas!

17h ▼ MESA ▼
INCLUSÃO DA POPULAÇÃO LGBTQIA NO MERCADO DE TRABALHO

Objetivo:
Discutir os gatilhos e as barreiras relativos à inclusão da população LGBTQIA no mercado de trabalho formal. Serão debatidos os principais desafios referentes ao acesso e pernanência dessa população, bem como os mecanismos necessários à valorização da diversidade.

Convidadxs: Léo Barbosa, Luiza Coppieter, Marcel Cabral, Márcia Rocha e Maria Adrião

BIOGRAFIA DXS CONVIDADXS DA MESA:

★ Léo Barbosa
Eleito delegado pelo Estado de São Paulo para as Conferências Nacionais LGBT e de Direitos Humanos. Graduando em Ciências Jurídicas, Coordenador do setorial do Grande ABC pelo IBRAT e militante de Direitos Humanos, militante da causa T.

★Luiza Coppieters
Pré-candidata a vereadora de SP pelo PSOL professora de Filosofia, militante feminista e LGBT, integrante do Conselho Municipal LGBT pelo segmento mulheres transexuais.

★Marcel C. Couto
Bixa, cinéfila, militante pela liberdade dos corpos, pela democratização da mídia e por uma educação subversiva e libertária, è professor no Cursinho Popular Transformação e Cursinho Livre da Lapa, constrói o Sarau TRANSformação e é um dos editores do Jornal Voz da Leste e a Revista Voz.

★ Márcia Rocha
Travesti, ativista, advogada integrante da Comissão da Diversidade Sexual e Combate à Homofobia da OAB/SP. É fundadora da Associação Brasileira de Transgêneros (ABRAT). Márcia é co-criadora do Transempregos, site que cadastra empresas que oferecem vagas para transgêneros (travestis, transexuais e homentrans).

★ Maria Adrião
Mestre em Gestão e Políticas Públicas pela FGV/SP, é Psicodramatista e Psicóloga. Tem sua atuação marcada pelo desenvolvimento de iniciativas de educação em saúde, gestão pública, articulação de redes, com ênfase nas temáticas ligadas aos direitos sexuais e reprodutivos e juventudes. Atuou como Assessora Técnica do Ministério da Saúde, como educadora e gestora de projetos sociais e programas para jovens ligados ao terceiro setor. Sua experiência inclui consultoria internacional para países africanos e há mais de 8 anos é Consultora para o UNICEF.

▼ 19h SHOW LES QUEENS
★Les Queens
Grupo paulistano formado pelos rappers Drika Ferreira, Luana Hansen, e Tiely Queen. O trio compõe músicas que exaltam a cultura lésbica, o cenário LGBT e o enfrentamento ao preconceito.

Mais informações podem ser obtidas clicando aqui

About Neto Lucon

Jornalista. É formado pela Puc-Campinas e pós-graduado em Jornalismo Literário pela Academia Brasileira de Jornalismo Literário. Escreveu para os sites CARAS Online, Virgula e Estadão (E+), Yahoo!, Mix Brasil, no jornal O Regional e para a revista Junior. É autor do livro-reportagem "Por um lugar ao Sol", sobre pessoas trans no mercado de trabalho. Tem quatro prêmios de jornalismo, sendo dois voltados para as questões trans, Claudia Wonder e Thelma Lipp

0 comentários:

Tecnologia do Blogger.