Pride

Vereadores querem proibir que travestis utilizem banheiro feminino em cidade do ES





.
A população trans – travestis, mulheres transexuais, homens trans e outras transgeneridades – enfrentam uma forte resistência em Cariacica, cidade do Espirito Santo. Tudo porque vereadores querem proibir por meio de uma lei que a população trans utilize o banheiro de acordo com a sua identidade de gênero.

+ Prefeito de Boston dá exemplo e hasteia bandeira trans para demonstrar apoio

Ou seja, querem que uma travesti e mulher transexual vão ao banheiro masculino. E que um homem trans vá obrigatoriamente ao banheiro feminino nas repartições públicas e instituições privadas. Sendo proibidos de frequentar o espaço de acordo com o gênero com o qual se identificam. 

Este projeto de lei contra a população, de autoria de Itamar Freire (PDT) já foi vetado o pelo prefeito Juninho (PPS). Mas na quarta-feira (18) a Câmara de Vereadores derrubou o veto. Na votação, 12 vereadores foram contrário e apenas 4 a favor de manter o veto.


O vereador Celso Andreon (PT) afirmou na internet que a sua decisão foi baseada pela religião. “Dei esse voto com a consciência tranquila e pautado no que aprendi no seio de minha família e da Igreja Católica Apostólica Romana. A implantação da ‘realidade de gênero é um ato de violência contra quem não acredita na ideia’”.

Membros da comunidade LGBT fizeram manifestações de repúdio à decisão da Câmara de Vereadores. A mulher transexual Deborah Sabara chamou o projeto de “ridículo” e de “retrocesso”. “A Câmara Municipal de Cariacica ao derrubar o veto e aprovar tal projeto segue na contramão da construção de um Estado democrático e de Direito”, declara.

Luiz Inácio Silva da Rocha, presidente do Conselho Estadual dos Direitos Humanos, também declarou repúdio à derrubada do veto. Ele frisou que o projeto fere a dignidade da pessoa humana e viola os direitos fundamentais de segmentos historicamente excluídos e perseguidos por parte da sociedade.

About Neto Lucon

Jornalista. É formado pela Puc-Campinas e pós-graduado em Jornalismo Literário pela Academia Brasileira de Jornalismo Literário. Escreveu para os sites CARAS Online, Virgula e Estadão (E+), Yahoo!, Mix Brasil, no jornal O Regional e para a revista Junior. É autor do livro-reportagem "Por um lugar ao Sol", sobre pessoas trans no mercado de trabalho. Tem quatro prêmios de jornalismo, sendo dois voltados para as questões trans, Claudia Wonder e Thelma Lipp

3 comentários:

Thais de Sá disse...

Ja vi isso na história, mas era com negros. Os absurdos são os mesmos, só mudam o 'cristo'.

Thais de Sá disse...

Ja vi isso na história, mas era com negros. Os absurdos são os mesmos, só mudam o 'cristo'.

Vinicius disse...

Talvez no futuro , quando a espécie humana chegar a uma sabedoria autêntica, todas as artes resumam-se à sagrada arte de viver : a liberdade,a generosidade e a beleza nascerão com o ser humano, assim como o vôo e o canto nascem com o pássaro.

Tecnologia do Blogger.