Pride

Corredora trans Amelia Gapin é a 1ª a estampar capa de revista esportiva feminina




.
A esportista Amelia Gapin será a capa da edição de julho da revista “Women’s Running”, voltada para corredoras mulheres. Com foto de James Farrel, será a primeira vez que a publicação dá destaque a uma atleta transexual.

+ Ivete Sangalo presta solidariedade a casal que sofreu homofobia em seu show


“Para mim, estar na capa de uma revista feminina é uma espécie de sentimento de validação. Pois as pessoas estão vendo mulheres transexuais como mulheres”, afirmou a atleta, que espera correr na maratona de Boston ao lado de mulheres cis.

Ela afirma que a corrida ajudou a enfrentar as várias “lutas mentais e emocionais” enquanto passava pelo processo transexualizador”. E que o seu objetivo agora é mostrar para outras pessoas trans que é possível que elas sejam quem são verdadeiramente e que continuem a galgar a carreira.

“Eu cresci nos anos 90 e nunca soube de qualquer representação positiva. Eu só lembro de crescer pensando: Acho que não há mais ninguém como eu. Sou a única pessoa que sente isso. Foi muito alienante, porque eu não sabia que poderia realmente passar pela transição, viver como me sinto e ser a pessoa que eu sabia que eu era”, declarou.

A editora-chefe da publicação Jessica Sebor declarou que a escolha de Amelia para a capa da revista foi realizada de maneira natural. "O que nós queremos é sublimar cada corpo, cada pessoa e mostrar que toda mulher é bem-vinda na revista". 


Aos 33 anos, Amelia também é engenheira de software e é co-fundadora da MyTransHealth, um grupo que conecta pessoas trans com médicos que prestam cuidados específicos.


About Neto Lucon

Jornalista. É formado pela Puc-Campinas e pós-graduado em Jornalismo Literário pela Academia Brasileira de Jornalismo Literário. Escreveu para os sites CARAS Online, Virgula e Estadão (E+), Yahoo!, Mix Brasil, no jornal O Regional e para a revista Junior. É autor do livro-reportagem "Por um lugar ao Sol", sobre pessoas trans no mercado de trabalho. Tem quatro prêmios de jornalismo, sendo dois voltados para as questões trans, Claudia Wonder e Thelma Lipp

0 comentários:

Tecnologia do Blogger.