Pop e Art

Eleito o "vegano mais sexy", homem trans Dexter Thomas faz paralelo entre causa trans e animal



.
Nada como um homem bonito, sexy e ativista! Pelo menos é o que pensa a organização PETA, que elege todos os anos os ativistas em prol dos animais mais sexy. Desta vez, o vencedor foi Dexter Thomas, que é vegano e também homem trans.

+ Em entrevista, militante trans fala sobre encontro histórico com Dilma Rousseff


De acordo com o Daily Mail, Dexter cresceu em uma fazenda de gado em Salt Lake City, de Utah, e acabou renunciando o consumo de carne. E desde os 17 anos também rejeitou qualquer outro produto de origem animal.

A vice-presidente executiva da PETA, Tracy Reiman elogia a atuação de Dexter. “O profundo compromisso dele para expor as raízes comuns da opressão e advogando pelos necessitados – independente da espécie – faz dele o número um na nossa lista”. Como prêmio, ele ganha uma viagem a Maui, no Havaí.

Atualmente ele faz pós-doutorado em psicologia na Universidade de Utah e é embaixador do veganismo e da proteção aos animais do estado. O ativista revela que desde a adolescência participa de ações a favor dos animais. E também luta em prol da comunidade LGBT, mais especificamente da comunidade de pessoas trans.

Dexter faz até um paralelo entre as duas causas:

“Aprendi sofrendo na pele que pessoas são capazes de imensa crueldade diante de outras que elas pensam que são inferiores”, disse. “Quando percebi que essas atitudes levam a transfobia, a homofobia, o sexismo e tudo mais, também entendi que isso fomenta atitudes ultrapassadas em relação aos animais. Isso é parte do que me motivou a ser vegano quando eu tinha 17 anos”.

Confira algumas fotos:





About Neto Lucon

Jornalista. É formado pela Puc-Campinas e pós-graduado em Jornalismo Literário pela Academia Brasileira de Jornalismo Literário. Escreveu para os sites CARAS Online, Virgula e Estadão (E+), Yahoo!, Mix Brasil, no jornal O Regional e para a revista Junior. É autor do livro-reportagem "Por um lugar ao Sol", sobre pessoas trans no mercado de trabalho. Tem quatro prêmios de jornalismo, sendo dois voltados para as questões trans, Claudia Wonder e Thelma Lipp

0 comentários:

Tecnologia do Blogger.