Pop e Art

Exclusivo! Ator trans Leo Moreira Sá comemora primeiro papel cisgênero em série policial


Por Neto Lucon

Após o sucesso da série Psi!, da HBO, Leo Moreira Sá foi escalado para a série policial “A Lei”, do canal pago Space. E, diferente dos papeis anteriores, o ator – que é um homem trans - vai interpretar pela primeira vez um personagem cisgênero*.

+ Saiba quais são as atrizes travestis e transexuais que fizeram pontas em novelas


Na obra, ele será Dida, o capanga do personagem do ator Jonathan Haagensen, conhecido pelo trabalho em Cidade De Deus e Cidade dos Homens. Trata-se de um criminoso com pilares de ética e bom humor.

Leo foi confirmado no elenco após convite do produtor Luciano Baldan e uma conversa com o diretor uruguaio Adrián Caetano, que assina a produção ao lado do brasileiro Tomás Portella. Na disputa para cada papel, havia 10 pretendentes.

“Estou amando interpretar esse personagem forte, que aparece do início ao fim como qualquer personagem coadjuvante. O meu parceiro em cena, o Jonathan, é uma fera do cinema e está sendo a maior honra de atuar ao lado dele”, afirma Leo com exclusividade ao NLUCON.



.
As gravações ocorrem em São Paulo e em Belém do Pará, onde se passa a história. E, para interpretar Dida, o ator contou com o auxílio de uma coach– uma preparadora de elenco – e de uma professora para aprender o sotaque local da maneira correta. “Está sendo um grande desafio e uma experiência incrível”.

PERSONAGEM CIS FEITO TRANS

Após ser confirmado na série, Leo acreditava se tratar de seu quinto personagem transexual, entre teatro e série de TV em seis anos de carreira. Até que foi surpreendido ao ler o roteiro e perceber que não havia qualquer menção à questão da transexualidade. Ao ligar para a produção, soube que o personagem é cis.

* Homem cis(gênero) é aquele que foi designada homem ao nascer e que se identifica e se reconhece como homem. Homem trans é aquele que foi designado mulher ao nascer, mas que se identifica e é um homem. 


“Eu tinha certeza que faria mais um personagem trans. Mas achei muito interessante que ele fosse cis, porque quando uma pessoa transexual faz um papel cisgênero, ela está sendo colocada como qualquer outro ator. E pode interpretar qualquer outro personagem, independente da sua vivência trans. Mas esse é um patamar que a gente não chegou no Brasil”, afirma o ator.

Apesar de comemorar a conquista, Leo defende que não rejeita e até prefere quando se trata de personagens trans. “Faço com o maior prazer, pois sei da importância de dar visibilidade e levar o assunto para todos os espaços. Além disso, essa fatia de mercado – personagens trans – tem de vir para nós mesmo. A gente não tem acesso ao mercado artístico. Então que nos deem pelo menos os papeis trans”.


.
Ao comentar sobre este personagem em específico, ele pondera e aprova a decisão dos roteiristas. “Ele é um criminoso e, na minha visão, não traria uma visibilidade positiva para o nosso segmento trans”.

A LEI

A série gira em torno da história de Silas Campello (Guilherme Fontes), um carismático e inescrupuloso apresentador de TV que guarda um segredo macabro.

Ele recebe ajuda do irmão Edinho (Adriano Garib) para se livrar das investigações dos detetives Roberto Moreira (Ravel Cabral) e Soares (André Ramiro). O elenco ainda conta com os nomes de Fulvio Stefanini, Mel Lisboa e Paulo Miklos.

A série é inspirada no caso real do ex-policial e deputado amazonense Wallace Souza, que encomendava assassinatos para depois exibir os crimes no programa Canal Livre, apresentado por ele na TV Rio Negro. Em 2008, ele, seus irmãos e seu filho foram denunciados. O ex-deputado faleceu em 2010.


A estreia é prevista para o primeiro semestre de 2017 no canal SPACE.

About Neto Lucon

Jornalista. É formado pela Puc-Campinas e pós-graduado em Jornalismo Literário pela Academia Brasileira de Jornalismo Literário. Escreveu para os sites CARAS Online, Virgula e Estadão (E+), Yahoo!, Mix Brasil, no jornal O Regional e para a revista Junior. É autor do livro-reportagem "Por um lugar ao Sol", sobre pessoas trans no mercado de trabalho. Tem quatro prêmios de jornalismo, sendo dois voltados para as questões trans, Claudia Wonder e Thelma Lipp

1 comentários:

LeLanz disse...

Que isso aconteça inúmeras muitas outras vezes! Leio, cheia de alegria, que Leo Moreira Sá interpretará um personagem cisgênero numa nova série de TV, a ser lançada no 2º semestre. O que tem que prevalecer sempre é a competência e a simpatia pessoal que o ator leva para o palco. E isso o Leo tem e sabe fazer além da medida!!!

Tecnologia do Blogger.