Pride

Ivete Sangalo fala sobre caso de homofobia em seu show: “É desumano”



.
A cantora Ivete Sangalo declarou ter ficado triste e decepcionada sobre o caso envolvendo uma agressão homofóbica envolvendo dois fãs gays em seu show que ocorreu no Centro de Tradições Nordestina, na Zona Norte de São Paulo no sábado (11).

+ Príncipe William compra briga pelos LGBTs

No caso, Caio Tomaz da Rocha e seu namorado Daniel Paschoal Camargo foram acusados injustamente de roubar uma blusa. Sem averiguar a história, dois seguranças chegam com violência. Pegaram caio pelo braço e começaram a enforcá-lo, dizendo que “gay e ladrão deveriam morrer”.

Durante o programa Superpop, da RedeTV, na quarta-feira (15), a cantora se posicionou a favor do casal gay e disse que o CTN fez uma investigação sobre o caso e já trocou a equipe de segurança. “Tudo o que a gente puder fazer é uma maneira de tentar amenizar, mas é tão difícil de ser viver onde não querem que você seja o que você é. É tão desumano que eu me sinto infeliz”, declarou.

Ivete disse não entender a energia da violência direcionada a qualquer grupo. “É um mal gosto, uma falta de respeito e uma falta de respeito consigo mesmo”. Ela defende que a pessoa que comete o mal para outra, em breve estará recebendo a mesma energia por outro motivo. “Nessa sociedade em que ele provoca isso, ele vai sentir um reflexo disso”.

Durante o programa, ela pediu para que o casal não deixasse de amar e de demonstrar o seu amor. “Ensina a amar mais, com muito respeito e muito carinho”. E convidou os dois para ir ao próximo show dela. “Vão curtir comigo e protegidos por mim, que vou estar na frente. Eu mesma vou proteger vocês”.

About Neto Lucon

Jornalista. É formado pela Puc-Campinas e pós-graduado em Jornalismo Literário pela Academia Brasileira de Jornalismo Literário. Escreveu para os sites CARAS Online, Virgula e Estadão (E+), Yahoo!, Mix Brasil, no jornal O Regional e para a revista Junior. É autor do livro-reportagem "Por um lugar ao Sol", sobre pessoas trans no mercado de trabalho. Tem quatro prêmios de jornalismo, sendo dois voltados para as questões trans, Claudia Wonder e Thelma Lipp

0 comentários:

Tecnologia do Blogger.