Pop e Art

Modelo trans posa com vestido feito com bandeiras dos 72 países onde ser LGBT é ilegal



.
A modelo trans Valentijn de Hingh utilizou da sua visibilidade na moda para falar sobre a situação dos LGBT de todo o mundo. Ela posou com um deslumbrante vestido feito com bandeiras de 72 países onde ser LGBT é ilegal. O local escolhido foi o museu Rijksmuseum, de Amsterdã.

“A pequena senhora que veste esse vestido sou eu. Todo país que mudar a sua legislação vai ter a sua bandeira substituída por uma bandeira do arco-íris. Vamos esperar que este vestido represente uma colcha de retalhos de arco-íris, mais cedo ou mais tarde”, escreveu em seu Instagram. 

O vestido foi pensado pela COC – Organização Holandesa LGBT – e confeccionado pelo estilista Matthijs van Bergen e o artista Oeri van Woezik. Já os cliques foram do fotógrafo Pieter Henket.

A sua estreia foi durante a Euro Pride, a Caminhada do Orgulho LGBT de Amsterdã, há duas semanas. Das 72 bandeiras onde ser LGBT é ilegal, 12 delas representam países onde a pena de ter uma identidade de gênero ou orientação sexual diferente é a morte.


A modelo de 26 anos é a primeira pessoa trans a ser apresentada pela IMG Modelos. E, mostrando consciência do seu papel na luta pelos direitos humanos, também esteve no palco do EuroPride no fim de semana, ao lado de figuras importantes como Conchita Wurst e militantes locais. 

Confira:









About Neto Lucon

Jornalista. É formado pela Puc-Campinas e pós-graduado em Jornalismo Literário pela Academia Brasileira de Jornalismo Literário. Escreveu para os sites CARAS Online, Virgula e Estadão (E+), Yahoo!, Mix Brasil, no jornal O Regional e para a revista Junior. É autor do livro-reportagem "Por um lugar ao Sol", sobre pessoas trans no mercado de trabalho. Tem quatro prêmios de jornalismo, sendo dois voltados para as questões trans, Claudia Wonder e Thelma Lipp

3 comentários:

Borto :: disse...

DESAFIO:
Cite 5 países no vestido que não são islâmicos.

conselho jedi disse...

Jamaica, trinidad e tobago, zimbabwe, dominica, angola, maldivas, etc...

Eduardo disse...

Ela só esqueceu que transicionar não apenas é legalizado como também incentivado para gays e lésbicas em países como Irã, Paquistão, Afeganistão etc. Pode tirar esse T do LGB aí...

Tecnologia do Blogger.