Realidade

Conheça histórias de homens trans que deram à luz seus filhos





.
Por Neto Lucon

Já que é para falar sobre Dia dos Pais, o NLUCON resolveu trazer histórias de pais invisibilizados pela mídia nesta data e pela sociedade. Aqueles que superaram os preconceitos – inclusive os internalizados – e que resolveram engravidar, gerar e dar à luz seus filhos.


Os pais homens trans – ou seja, aqueles que foram designados mulheres ao nascer, mas que se identificam com o gênero masculino e são homens – estão cada vez mais frequentes em todo o mundo. E são mais um exemplo das famílias plurais.

Entenda: apesar de eles gerarem seus filhos e de isso ser uma característica comumente associada à da mulher cisgênero, eles são e continuam sendo pais e homens. Afinal, a possibilidade de engravidar está nas características e potencialidades dos seus corpos e na escolha em conjunto de ter um filho. Não tem a ver com gênero. 

O mais fantástico é que até mesmo entre as famílias com homens trans há pluralidades de formações. Há homens trans que se relacionam com mulheres cis, com travestis, com homens cis, com outros homens trans e até que querem ser pais solos. Conheça as histórias!

PAI KAYDEN COLEMAN


.
Azaelia, de três aninhos, é filha biológica de Kayden Coleman – que é homem trans – com Elijah, que é homem cis. Eles souberam da gravidez de maneira inesperada, quando Kayden teve interromper a hormonioterapia para realizar a cirurgia de retirada das mamas. Felizes com a surpresa, eles seguiram com a gravidez, interromperam temporariamente a hormonioterapia e, hoje, formam uma família linda e feliz. “Nós somos mais que capazes de amar nossas crianças tanto quanto qualquer outro pai”, frisa.


PAI FERNANDO MACHADO


.
Esse será o primeiro Dia dos Pais de Fernando Machado, homem trans de 22 anos. Ele teve um bebê biológico fruto do relacionamento com Diane Rodriguez, mulher trans de 33. O relacionamento começou por meio das redes sociais e logo eles passaram a viver juntos. Em outubro do último ano, Diane comemorou também nas redes sociais: “Vou ser mãe. Meu namorado está grávido de mim”. Fernando teve a bela experiência de ser um pai que gerou a criança.



PAI ANDERSON CUNHA




.
Para quem acha que não temos homens trans grávidos no Brasil, engana-se. Um caso que se tornou conhecido foi o de Anderson Cunha, de 21 anos, que deu à luz seu filho Gregório, fruto do relacionamento com a mulher trans Helena Freitas, de 26 no último anos. Eles se conheceram em uma festa no inverno em Porto Alegre em 2013 e a relação, que inicialmente era de amizade, transformou-se em amor. “Eu gerei o Gregório, mas sou o pai. A mãe é a Helena. Vamos explicar isso para ele quando crescer”, declarou.


PAI SCOTT MOORE


.
Trata-se do relacionamento entre dois homens trans gays, que se conheceram em 2005 em um grupo de apoio. Scott Moore e Thomas são casados legalmente na Califórnia. Eles têm dois filhos adotivos, Gregg, hoje com 18 anos, e Logan, de 16. E um filho biológico de seis anos, por meio de inseminação artificial. Na época, ele declarou: “Muitos nos criticam, mas somos felizes e não temos vergonha. Quero mostrar ao mundo que as famílias de transexuais podem ser saudáveis, amorosas e carinhosas”.


PAI CAI


.
A história de Cai, que é homem trans norte-americano, e a esposa Emily, que é uma mulher trans, tornou-se destaque em 2010. Eles participaram de um documentário em que acompanhou detalhadamente o processo da gravidez e o nascimento de Dante. A gestação foi vista como surpresa pelo casal, uma vez que ambos já tinham passado por anos de hormonioterapia – o que teoricamente impediria a fertilidade. Para Cai, foi a oportunidade de viver um momento singular, de muita felicidade e comparado a um conto de fadas pós-moderno.


PAI RAFI DAUGHERTY


.
Na sala de parto, Rafi Daugherty, de 33 anos, pediu para que fixassem uma placa na sala de parto para que as pessoas começassem a entender e a se sensibilizar : “Eu sou um homem trans e estou tendo meu primeiro filho. Use pronomes masculinos e me chame de ‘Abba’ (pai, em hebraico). Papa, papai, pai também é ok”. Ele diz que sonhou em ser pai desde criança e que, já que nasceu com um corpo que pode criar vida, ele resolveu tornar esse projeto realidade por meio de inseminação artificial. O doador foi um amigo cis. E a filha Ettie Rose, que nasceu em outubro de 2015, é uma garotinha saudável, esperta “e com uma coleção de cavalos-marinhos, por razões óbvias”.


PAI KEARNS


,
O homem trans Kearnsadiou declara que se sente abençoado por ter engravidado e dado à luz. Após três anos de transição, ele afirma que conversou com a esposa cis e decidiu estudar a possibilidade de gerar o segundo filho – o primeiro foi gerado pela mulher em uma gravidez de risco. Antes disso, ele afirma que passou por uma fase de questionamento: se deixaria de ser visto como homem por conta da gravidez. Superada essa questão, ele deu à luz e afirma que a vivência trans vai ajudá-lo a ser um bom pai.


PAI ALEXIS TABORDA


.
Alexis Taborda é um dos primeiros homens trans grávidos da Argentina. Em 2013, ele teve a filha Génesis – sim, numa referência ao episódio da Bíblia, que conta a criação do Universo – do relacionamento com Karen Bruselario, uma mulher trans. A criança nasceu no hospital de Victoria, cesariana. Na época, ele afirmou que a única coisa que não conseguiria fazer era amamentar a criança, pois deixaria isso para que a esposa fizesse por meio de uma mamadeira.


PAI NICK BOWSER


.
Ao lado da esposa Bianca Bownser, Nick é pai de dois filhos biológicos em Kentucky, nos Estados Unidos: Kai, de 4 anos, e Pax, de um aninho. O parto foi cesariano e Nick admitiu ao Daily Mail que, apesar da alegria de poder dar à luz, enfrentou uma luta diária pelas transformações de seu corpo. Eles levam uma vida absolutamente comum e dizem que pretendem levar a questão trans com total naturalidade. “Não me preocupo como eles vão reagir, porque não tratamos isso como algo ruim. E crianças tendem a ser mais compreensivas e sem preconceito”.


PAI TREVOR MACDONALD


.
O canadense Trevor MacDonald, de 31 anos, tornou-se porta-voz internacional da comunidade de homens trans ao falar sobre paternidade, gestação, transgeneridade e amamentação. Ele é pai de dois filhos – um de cinco anos e outro de 18 meses – que ele  gerou ao lado do marido, um homem cis. E que, para a surpresa do casal, também conseguiu amamentar, uma vez que ele não passou pela cirurgia que masculiniza as mamas e o tempo de hormonioterapia não impediu a produção do leite. As imagems de Trevor amamentando seus filhos sensibilizam, tocam e promovem debates em todo o mundo. E dá visibilidade a uma realidade até então impensada para muitas pessoas.

Enfim, parabéns para esses e todos os pais trans! 

About Neto Lucon

Jornalista. É formado pela Puc-Campinas e pós-graduado em Jornalismo Literário pela Academia Brasileira de Jornalismo Literário. Escreveu para os sites CARAS Online, Virgula e Estadão (E+), Yahoo!, Mix Brasil, no jornal O Regional e para a revista Junior. É autor do livro-reportagem "Por um lugar ao Sol", sobre pessoas trans no mercado de trabalho. Tem quatro prêmios de jornalismo, sendo dois voltados para as questões trans, Claudia Wonder e Thelma Lipp

4 comentários:

Paula M. Falcão Pereira disse...

Parabéns pela matéria!

Bel Corrêa disse...

Resposta à Ana Paula Souza:
Ninguém quer te obrigar à nada, aliás, a maioria das pessoas do mundo está cagando e andando pra tua opinião, as pessoas tem o direito de serem felizes como bem entender, não estão ferindo ninguém, pagam impostos como você e tem uma vida tão digna ou mais que a sua, porque eles não julgam os outros, não cuidam da vida alheia, são simplesmente felizes, aliás, espero que você encontre o que te faz feliz, do fundo do coração. Paz.

Daniel Silveira disse...

Ana Paula, ninguém está te obrigando a nada. quando você perceber que a vida deles não tem nada a ver com a sua é vice-versa, será mais feliz. paz.

tiéser abelaira disse...

eu também, apesar de ser cisgênero, adoraria poder gerar um filho...! :P :) <3 porque, assim como o Rafi Daugherty, sempre tive o sonho de ser pai...!! <3 <3 <3

Tecnologia do Blogger.