Pride

Padre católico homenageia drag queens em SP e fala sobre “aceitar o outro como ele é”


Por Neto Lucon (30/10/2016)
Foto: Rafael Sant's

Em meio a tantas notícias ruins, um almoço de Ação de Graças nesse domingo (30) no bairro Itaquera em São Paulo tornou-se exemplo de aceitação, amor e acolhimento. Tudo porque a Paróquia Sant'Ana, por meio do padre católico Manoel Olavo Amarante, homenageava o “Esquadrão das Drags”.

O grupo formado pelas drag queens Dindry Buck, Sissi Girl, Send Buck, Nina Ca$h, Andy D'Luck e Cindy Cristal é exemplo de militância artística e irreverente contra os preconceitos e na luta pela prevenção de DSTs no Estado de São Paulo e em todo o Brasil.

Recentemente foi lançado o livro “Esquadrão das Drags - Arte, irreverência e prevenção em toda parte", de Roseli Tardelli e Fernanda Teixeira, falando sobre o trabalho de prevenção. O padre, que conhecia Albert Roggenbuck (a Dindry) compareceu ao lançamento e ficou tocado ao conhecer as outras drags e ver o empenho delas em cuidar, orientar e informar os jovens da cidade. A partir daí surgiu o convite para a homenagem e o almoço em confraternização com os paroquianos.

Apesar do estranhamento de ver uma igreja que acolhe verdadeiramente os LGBT, o padre afirma: “A gente não pode generalizar. Há pessoas conservadoras e há pessoas boas e abertas dentro da igreja. Albert, por exemplo, é membro da nossa paróquia, é muito querido por todos. Eu, como pessoa humana, não tenho dificuldade de trabalhar, de ver e de contemplar essas realidades. É algo absolutamente normal”.






Sobre possíveis críticas, padre Manoel admitiu que sentiu tensão, mas que conseguiu controlar-se com muita reza. “Minha tensão foi resolvida com muita reza, para que tivesse paciência caso ocorresse alguma crítica forte. Paciência para entender que são pessoas em outra faixa”, afirmou. “Graças a Deus” e a boa vontade dos evolvidos, a ação de graças ocorreu com uma mensagem muito positiva.

MAIS QUE ACOLHIDAS, VISTAS COMO REFERÊNCIA

O NLUCON esteve no almoço a convite do Esquadrão e presenciou a confraternização com os paroquianos. Com fotos, depoimentos e muitos abraços, os fiéis demonstravam observar a presença das drags de maneira natural, acolhedora, com admiração. E mais: como verdadeiros exemplos de cidadãs. "Nunca imaginei ser homenageada em uma igreja", chorou Sissi. “O barato é que além de acolhidas nós somos referência”, declarou Dindry.

No domingo, Dindry/Albert foi convidada para fazer a homilia na missa da manhã. E curiosamente falou sobre a história de Zaqueu, um homem de baixa estatura e que era excluído que subiu em uma árvore para ver Jesus Cristo e acabou sendo convidado para um almoço. “Fiz um paralelo com o que aconteceu nesse domingo e foi uma coisa linda. O padre também fez um texto lindo sobre a diversidade, super emocionante”.

Além dos fieis da paróquia, o almoço reuniu amigos e familiares das drags, além do deputado federal Floriano Pesaro (PSDB), do assessor de Cultura para Gêneros e Etnias Cássio Rodrigo,  de Deborah Malheiros, da Secretaria da Justiça, e das autoras do livro Roseli Tardelli e Fernanda Teixeira. E também contou com a divulgação do mais novo canal no Youtube do Esquadrão (assista clicando aqui).




Do contato com outros fieis católicos, Dindry afirma que a maioria a segue nas redes sociais e que é sua fã. “É isso que vale a pena nessa vida. É você ter uma luta e saber que há outras pessoas nessa luta. Eu vejo que aqui é uma ilhazinha no meio do oceano preconceituoso. Queria que isso se propagasse para outros lugares com padres conservadores e religiosos super preconceituosos”, declarou.

Para os preconceituosos de plantão, o padre deixa a mensagem: “Abra o coração e se permita conhecer as pessoas. Se permita amar as pessoas e aceitar as pessoas como elas são. Porque a humanidade é diversa, ela não é una, basta olharmos a natureza e as relações que nela ocorrem”, declarou.

Confira alguns cliques: 







About Neto Lucon

Jornalista. É formado pela Puc-Campinas e pós-graduado em Jornalismo Literário pela Academia Brasileira de Jornalismo Literário. Escreveu para os sites CARAS Online, Virgula e Estadão (E+), Yahoo!, Mix Brasil, no jornal O Regional e para a revista Junior. É autor do livro-reportagem "Por um lugar ao Sol", sobre pessoas trans no mercado de trabalho. Tem quatro prêmios de jornalismo, sendo dois voltados para as questões trans, Claudia Wonder e Thelma Lipp

1 comentários:

Fábio disse...

Floriano Pesaro agora é deputado federal secretário de estado de Desenvolvimento Social.

Tecnologia do Blogger.