Pop e Art

Rafinha Bastos rebate comentário transfóbico em entrevista no SBT



.
O apresentador Rafinha Bastos mandou nesse sábado (08), durante sua entrevista no quadro “Youtubers querem Saber”, do Programa Raul Gil, do SBT. Ao sentir que uma pergunta resvalava na transfobia e chamava as travestis de "esquisitas", ele resolveu rebater e dizer que já ficou com uma travesti.

“Eu não sei porque são esquisitas. Porque elas têm um pênis no meio das pernas? Não é esquisita, véio, deixa de ser preconceituoso. Deixe elas serem felizes”, declarou. 


Questionado por um dos entrevistadores o que ele achava de artistas que após ingerirem álcool ficam com travestis e prejudicam a carreira, Rafinha respondeu: “Eu já saí com menina que tem pênis, mas eu não estava bêbado. Foi espontaneamente. Qual é o problema? Sem preconceito”.

Raul Gil perguntou: “Você saiu sem saber (que ela era travesti)?”. Rafinha continuou. “Saí sabendo, seu Raul. Sou ousado, mas não saí depois de casado”. 

Os entrevistadores insistiram na pergunta, lembrando o caso envolvendo o ator Alexandre Borges, que no último mês apareceu em um vídeo ao lado de uma travesti. “O que eu achei? Eu achei uma delícia. Deixa o cara se divertir. O cara é solteiro, não deve satisfação para ninguém. Se ele gosta de travesti, que diferença isso faz para mim?”

É evidente que nenhuma travesti precisa da aprovação de nenhum famoso cis, mas é importante escutar numa emissora como o SBT - que já foi palco de frases LGBTfóbicas - uma defesa contra a transfobia, a interrupção de uma opressão tão naturalizada que é lida como piada. Lembrando que Rafinha já usou termos transfóbicos como "traveco" anteriormente e que tal declaração não minimiza o que ele já disse anteriormente. Desta vez, mandou bem.

[ATUALIZAÇÃO: Depois, Raul Gil volta a perguntar se ele havia ficado MESMO com uma travesti, e Rafinha declara que não].   

About Neto Lucon

Jornalista. É formado pela Puc-Campinas e pós-graduado em Jornalismo Literário pela Academia Brasileira de Jornalismo Literário. Escreveu para os sites CARAS Online, Virgula e Estadão (E+), Yahoo!, Mix Brasil, no jornal O Regional e para a revista Junior. É autor do livro-reportagem "Por um lugar ao Sol", sobre pessoas trans no mercado de trabalho. Tem quatro prêmios de jornalismo, sendo dois voltados para as questões trans, Claudia Wonder e Thelma Lipp

4 comentários:

Anônimo disse...

É CLARO que não miminiza. rafinha bastos é HUMORISTA ! e faz HUMOR NEGRO
Assim como o George Carlin, Danilo Gentili, Anthony Jeselnik, dentre outros que fazem sim piadas LGBTFOBICAS, racistas, machistas, etc. mas..são só piadas. DENTRO DE UM PAUCO, para um multidão. que foi la por ESPONTÂNEA VONTADE
CONTUDO nenhum deles ''na vida real'', fora do palco possui algum tipo de preconceito. todos eles aliás defendem as minorias.

citar as piadas ''''''transfobicas'''' do rafinha, quando ele da A PORRA DA CARA A TAPA.... pela gente. em tv aberta. é muita mas muita filha da putagen
close errado amiga

Renato Primata disse...

Essa é a visão... O artista tem "licença poética" pra fazer piada do que quiser.Parece um caso de pessoas que confundem personagens de novela com o ator que interpreta, perseguindo e ofendendo na rua...a linha de pensamento de quem atribui a um humorista a ética de suas piadas tem no minimo uma visão peculiar.

Anônimo disse...

Um homem cisgênero, heterossexual, branco, famoso e BRASILEIRO assumindo que já saiu com mina trans?

Ele é brasileiro mesmo?
Não é italiano não?
Ou espanhol?
Suíço?
Inglês?
Sueco?
Holandês

E etc.. etc.. etc..

Anônimo disse...

Sim, é brasileiro. E como diz a atualização do texto, na última linha, ele mentiu dizendo que saiu com uma travesti. Foi só "humor" (como sempre).

Tecnologia do Blogger.