Pop e Art

Mury Cavallieri é o 1º homem trans a vencer o Garoto da Parada de Curitiba


Por Neto Lucon

Embora a fama seja de “Parada Gay”, as Paradas que pipocam pelo Brasil é LGBT. E para reforçar isso, vários ativistas e militantes trans se reuniram no dia 13 deste mês para marcar presença e mostrar visibilidade na Parada da Diversidade LGBT de Curitiba.

O evento ocorreu a partir das 11h na Praça 19 de Dezembro e teve a expectativa de reunir 40 mil pessoas, de acordo com a organização do evento.

Neste ano, o tema da Parada foi “E por falar em juventude... Juventude LGBT, juventude negra e juventude de terreiro”. E trouxe pela primeira vez um jovem homem trans como o Garoto da Parada: Mury Cavallieri. Ele tem 26 anos, trabalha como atendente de um empório de produtos naturais e venceu uma votação online com 343 votos.

"Foi muito bacana e uma honra representar os homens trans e lutar pela nossa causa. Me inscrevi com o intuito de ter mais visibilidade, não só para mim, mas para todos os homens trans. Não esperava ser o único homem trans do concurso, mas fiquei muito feliz em vencer. Foi uma experiência única", declarou ele ao NLUCON.


Durante o dia, Mury chegou a se apresentar ao público e tirou várias fotos. Em seu Facebook, ele afirmou que ficou “muito feliz” com a visibilidade conquistada. “Vai ficar para a sua história. Só tenho a agradecer. Foi tudo de bom, pessoas maravilhosas que tive a oportunidade de conhecer”, declarou.

A rainha da Parada foi Catuxa Bougers. e a Garota da Parada foi Rafaela Moraes.

Mury e Victoria Luz

SOU TRANS, SOU HUMANO

Outros homens trans também marcaram a Parada da Diversidade de Curitiba. O youtuber e militante Kaito Felipe, que é coordenador do TransGrupo Marcela Prado, por exemplo, reuniu um grupo de homens trans e foi sem camisa para a Parada. Em seu corpo, ele escreveu: “Sou trans, sou Humano”.

De acordo com Kaito, o encontro foi organizado às pressas, mas saiu dentro do planejado. Ele afirma que uma das vontades de reunir uma grande quantidade de homens trans é mostrar a visibilidade de homens trans e promover a interação entre vários deles.

“Tem gente que ainda associa a Parada da Diversidade com Parada Gay. E tem muitos amigos meus, que saíram nas fotos inclusive, que não são nem gay, nem bi e, sim, héteros. Mas fiquei feliz de chegar lá e ver bandeiras trans para vender. Ficamos: ‘Meu deus, uma bandeira trans, olha la, que lindo”, declarou.

A Parada contou ainda com a presença de Alexander Brasil, das militantes Carla Amaral, Maite Schneider, Rafaelly Wiest, Samantha Wolkan, Brithany Hausenbek e Karollyne Nascimento, dentre outras.

Veja o que rolou:

Kaito Felipe

Andre Errera Roca, Samantha Wolkan, Carla Amaral, Brithany Hausenbek e Karollyne Nascimento.
Maite Schneider e Rafaela Wiest
Karollyne Nascimento e Alexander Brasil




Quer ver a sua foto aqui?
Envie para holtneto@gmail.com com o título Parada da Diversidade de Curitiba

About Neto Lucon

Jornalista. É formado pela Puc-Campinas e pós-graduado em Jornalismo Literário pela Academia Brasileira de Jornalismo Literário. Escreveu para os sites CARAS Online, Virgula e Estadão (E+), Yahoo!, Mix Brasil, no jornal O Regional e para a revista Junior. É autor do livro-reportagem "Por um lugar ao Sol", sobre pessoas trans no mercado de trabalho. Tem quatro prêmios de jornalismo, sendo dois voltados para as questões trans, Claudia Wonder e Thelma Lipp

0 comentários:

Tecnologia do Blogger.