Pop e Art

Homens trans e cis (des)constroem masculinidades em novo clipe de Lineker


Por Neto Lucon

O clipe da música “Alguém Segure Esse Homem”, do cantor Lineker (com “e’), foi lançada na quinta-feira (3) e mostrou a beleza e possibilidades de masculinidades. Estejam elas em homens gays, héteros, cis, trans, n-b, negros, brancos, gordos, magros (...) e na mulher.

A letra faz menção ao desejo pelo homem diferente do padrão e que vai além dos estereótipos, arquétipos do Éden ou da performidade máscula. A música é bem pop brasileira, contagiante e o clipe dá vontade de dançar com o cruzamento de batidas e imagens.

Ao site Noisey, o artista afirma que procurou refletir sobre a construção social da masculinidade e sobre como pensar e/ou reconhecer as desconstruções de gênero e a estética do masculino.

Heitor Girardi Marconato, que é um dos modelos trans do clipe, afirmou ao NLUCON que participou da obra por indicação da militante Magô Tonhon. E que adorou a proposta de trabalhar masculinidades sem reforçar estereótipos e ainda explorar outras nuances.
Heitor, João (ao centro) e Thomaz

“Fiquei feliz de ver lá homens trans e cis ampliando um leque de masculinidades. E por ver homens trans diversos entre si. Achei interessante também ver que a masculinidade também foi expressada na mulher. Foi um grupo bem diverso mesmo e eu gostei muito do resultado”, comemora.

João Henrique Machado afirma que "foi maravilhoso estar no clipe". E que apesar de ser tímido se sentiu muito à vontade na gravação. “Achei que não fosse conseguir fazer algumas cenas, porque sou bem disfórico, mas me deixaram confortável. A música me encantou, assim como a letra e a ideia de repensar masculinidades. Quando assisti fiquei apaixonado”.

Sentimento que também teve Thomaz Oliveira ao participar e assistir: "Além da representatividade, que é algo que pesou muito, afinal sendo trans negro e gordo, eu não me vejo por completo nos espaços, foi um presente da vida. Curiosamente f
ui gravar na véspera do meu 'aniversário de nome' - escolhido pela minha mãe. Então foi um trabalho muito significativo para mim, consegui me amar".

Assista abaixo e acompanhe o trabalho de Lineker clicando aqui:  




Ficha técnica:

Direção, roteiro, montagem e cor: Lineker
Fotografia e câmera: Gabriel V Neves
Still e câmera: Gustavo Lemos
Assistente de câmera: Berg Flores
Styling: Victor Hugo Yuuki
Lineker e elenco usam looks View01, Avah, Soy.vos e Bang Footwear
Maquiagem: Júlia Klemz
Coreografia: Danielli Mendes e Lineker
Performance: Ariel Silva, Danielli Mendes, Gabriel Tolgyesi, Heitor Girardi Marconato, Iolanda Sinatra, João Henrique Machado, Lineker, Thomaz Oliveira, Wellington All
Música e vozes: Lineker
Produção musical e arranjo: Lineker e Montorfano
Baixo: Ivan Gomes
Bateria: Mariá Portugal
Guitarras: André Bordinhon
Programações: Guto Gonzalez
Teclados: Chicão
Captação e edição: Guto Gonzalez e Montorfano (Estúdio Lamparina)
Mixagem: Guto Gonzalez
Masterização: Carlos Freitas (Classic Master)
Produção executiva: Iolanda Sinatra
Arte gráfica: Giovanni Pirelli

About Neto Lucon

Jornalista. É formado pela Puc-Campinas e pós-graduado em Jornalismo Literário pela Academia Brasileira de Jornalismo Literário. Escreveu para os sites CARAS Online, Virgula e Estadão (E+), Yahoo!, Mix Brasil, no jornal O Regional e para a revista Junior. É autor do livro-reportagem "Por um lugar ao Sol", sobre pessoas trans no mercado de trabalho. Tem quatro prêmios de jornalismo, sendo dois voltados para as questões trans, Claudia Wonder e Thelma Lipp

1 comentários:

Joaquim Castrillon disse...

não acostumo com a idéia de que existem dois "liniker". Eu gosto do de Araraquara

Tecnologia do Blogger.