Pride

Jovem trans Raina Aliev é esquartejada na Rússia após pai pedir na TV: “Matem”


O assassinato de Raina Aliev, uma jovem trans de 25 anos, tem causado comoção em vários lugares do mundo. Tudo porque ela foi morta e esquartejada na Rússia após seu pai ir a uma emissora de TV e pedir: “Tragam meu filho aqui e matem-o na minha frente”.

Raina era muçulmana oriunda do Daguestão (entre o Mar Cáspia e a Chechênia, na Rússia), passou por uma cirurgia de redesignação sexual (genital) em Moscou há um mês, e se casou recentemente com um muçulmano chamado Victor.

O pai Alimshaikh Aliev se revoltou ao saber que a filha é trans e que pretendia constituir uma família. Tanto que foi a uma emissora local e pediu: “Podem matá-lo, eu não quero vê-lo”. Os vizinhos no Daguestão não demonstraram sensibilidade com a morte, dizendo que ela “traiu o pai”.

De acordo com a TV russa REN TV, Raina passava por discriminações antes da transição de gênero por se relacionar com homens. Mas o preconceito passou a ser fatal após ter se revelado trans, iniciado a transição de gênero e passado pela cirurgia genital. 



Após as declarações do pai, ela reportou à polícia que estava sofrendo ameaças de morte. Mas os policiais do país, que é conhecido por ter uma lei que criminaliza "propaganda LGBT" e ser altamente LGBTfóbico, não foram capazes de conter o assassinato. O corpo foi encontrado esquartejado e descrito como "irreconhecível".


A polícia de Moscou investiga o crime e ainda não identificou nenhum suspeito pelo crime.

About Neto Lucon

Jornalista. É formado pela Puc-Campinas e pós-graduado em Jornalismo Literário pela Academia Brasileira de Jornalismo Literário. Escreveu para os sites CARAS Online, Virgula e Estadão (E+), Yahoo!, Mix Brasil, no jornal O Regional e para a revista Junior. É autor do livro-reportagem "Por um lugar ao Sol", sobre pessoas trans no mercado de trabalho. Tem quatro prêmios de jornalismo, sendo dois voltados para as questões trans, Claudia Wonder e Thelma Lipp

1 comentários:

Joaquim Castrillon disse...

nossa Neto que notícia revoltante, abjeta. Como um pai pode pedir que lhe matem um filho ou uma filha, qualquer que seja o motivo? estou chocado, estarrecido com essa história tragicamente verdadeira. Mas o que posso fazer contra isto? SOU e sempre serei um ativista.

Tecnologia do Blogger.