Pop e Art

Modelo Ariel Modara revela quando conta (ou não) que é um homem trans


Por Neto Lucon (13/11/2016)

O modelo, youtuber e estudante 
Ariel Modara – que nós já falamos sobre ele aqui - divulgou em seu canal homônimo no Youtube um vídeo em que fala sobre revelar (ou não) que é um homem trans às pessoas que acabou de conhecer. E em quais momentos acha importante ou não falar a respeito.

Ele dividiu em quatro situações: namoro, faculdade, Tinder e balada. E frisou antes de iniciar o discurso que ser trans é apenas mais uma de suas várias características, como ser taurino, ter cabelo castanho escuro, ser estudante... 

Porém, Ariel admite que ainda hoje dizer que é homem trans desperta receios e "medinhos". E o motivo é reação inesperada da outra pessoa. Então, ele costuma contar indiretamente por meio de suas redes sociais, em que aborda a vivência trans de maneira aberta e natural. “Se ela me excluir, que bom que saiu da minha vida”, diz, frisando que nada impede de falar pessoalmente caso se sinta confortável.

No vídeo, o modelo começa falando sobre o namoro anterior e afirma que a ex-namorada reagiu de maneira positiva quando soube que ele é um homem trans. Aliás, ela o apoiou e foi fundamental para que ele mesmo se aceitasse. Após o namoro chegar ao fim, 
todas as pessoas com as quais ele se envolveu já sabiam de sua transgeneridade por conta do Facebook, Instagram, Youtube... O que facilita - e muito! 

Assista: 




Na faculdade... "Eu passei no segundo curso, tinha um questionário para os calouros responderem (...) Falei: 'só tem eu de transgênero nesse curso?'. Ali as coisas foram indo". Ariel revela que quando as aulas começaram, os colegas começaram a adicioná-lo nas redes sociais e, por meio delas, também ficaram sabendo aos poucos Nenhum relato de transfobia foi feito. 

Já no Tinder, o jovem afirma que a experiência não foi positiva e que dispensou o aplicativo em três dias. "A minha vontade era de colocar 'Trans.' Mas tem gente que não olha a descrição. Aí eu linkei o meu Instagram e pensei que, se alguém quer ver umas fotinhos a mais, vai perceber que eu sou trans. Mas não deu muito certo”. Ele não entrou em detalhes, mas pediu para, caso os seguidores queiram saber da experiência, que peçam nos comentários.

De acordo com o youtuber, o grande dilema atual é a... Balada! E as pessoas desconhecidas que o abordam neste espaço. "Há um tempo atrás, quando eu ia numa festa e bebia, eu contava que era trans para ver a reação das pessoas. E era sempre: 'ai, meu Deus, é sério que você é trans?'. E daí ela mesma contava outra pessoa, outra pessoa, e de repente eu estava em volta de um grupinho, bem bichinho de circo, sabe?".

Ser trans é só uma característica
Porém, após essas experiências nada agradáveis, ele afirma se controlar mais e que não vê mais essa necessidade de ter que explicar que é trans em uma balada. Até porque a pessoa já se interessou pelo que viu e o que ela viu é exatamente o que ele é".

“Seria o mesmo que falar: ‘olha, estou te avisando que sou trans para você não cair numa armadilha’. Não, não tem armadilha nenhuma. Ela me leu como eu sou. E não tem porque eu ficar me explicando na balada. Ser trans é só uma característica. Se houvesse um envolvimento maior, daí eu contaria que sou trans e ficaria tudo de boa. Ou não”.


O youtuber finaliza o vídeo dando uma dica para amigos de pessoas trans, que gostam de dizer para todo mundo que tal pessoa é trans, na maioria das vezes sem o consentimento dela. “Se você tem um amigo trans, não conta para outra pessoa que ele é. Deixa a pessoa decidir se ela quer falar ou não”. Fica a dica!

O CANAL

Ariel tem um canal há um ano, tem mais de 20 inscritos, e está cheio de vídeos interessantes. Lindo e fofo, o youtuber aborda os assuntos de maneira leve, inteligente e informativa. Fala sobre as suas vivências, transição de gênero, assuntos referentes à comunidade trans (como nome social, passabilidade trans) e ainda traz alguns convidados.

Acesse o canal clicando na imagem abaixo e não deixe de se inscrever, curtir, compartilhar e acompanhar os vídeos. ;)




About Neto Lucon

Jornalista. É formado pela Puc-Campinas e pós-graduado em Jornalismo Literário pela Academia Brasileira de Jornalismo Literário. Escreveu para os sites CARAS Online, Virgula e Estadão (E+), Yahoo!, Mix Brasil, no jornal O Regional e para a revista Junior. É autor do livro-reportagem "Por um lugar ao Sol", sobre pessoas trans no mercado de trabalho. Tem quatro prêmios de jornalismo, sendo dois voltados para as questões trans, Claudia Wonder e Thelma Lipp

0 comentários:

Tecnologia do Blogger.