Header Ads

Record cortou paquitas trans e drags em especial da Xuxa


Xuxa Meneguel bem que tentou incluir a diversidade sexual e de gênero em seu show comemorativo Xuchá, realizado em dezembro em São Paulo. Mas ao transmitir o “xou” na segunda-feira (20) a Record vetou um beijo gay e a participação das paquitas trans e drag queens.

Como o NLUCON adiantou, pelo menos sete travestis, mulheres transexuais e artistas drag queens participaram do especial encarnando paquitas. No palco, elas performaram a música “Quem quer Pão?”, mas o momento não foi ao ar.

A artista trans Leticia Venturine, por exemplo, desabafou nas redes sociais e disse que ela e a própria Xuxa lamentaram o corte, considerado por ela como ridículo e preconceituoso. Segundo ela, tirar um número artístico de “pessoas de bem” só prejudica o respeito do público com a emissora.

“Tivemos uma linda e profissional participação. Infelizmente, o programa foi editado por se tratar de uma preconceituosa, ridícula... Nós e a própria Xuxa lamentamos por isso, pois essa atitude só mostra o que todo o país está vendo na mídia ultimamente. Se trata de pessoas que apenas falam sobre o bem, mas não o vivenciam”, desabafou. “Parabéns rainha Xuxa por nos possibilitar um momento tão gratificante em seu show. O meu espaço ninguém tira”.

O beijo entre dois paquitos durante a música “Toda Forma de Amor”, de Lulu Santos, também não foi exibido na telinha. Já Nany People, que é contratada pelo programa, teve uma rápida participação anunciando os vídeos da internet. A assessoria de imprensa da Record não quis se pronunciar sobre a edição do programa.

O XuChá foi um show em comemoração aos 30 anos de carreira da Xuxa, com direito a nave e os maiores hits da apresentadora nos programas infantis e adolescentes desde os anos 80.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.