Pop e Art

Modelo trans Carmen Carrera retifica documentos e faz provocação a transfóbicos


A modelo trans norte-americana Carmen Carrera, de 31 anos, mostrou para os seus seguidores no Facebook que conseguiu retificar os documentos. E mais: a certidão de nascimento, que mostra que ela é uma pessoa do sexo feminino. 

Juntamente com a postagem, Carmen classificou o momento como “épico”. E também fez uma provocação para todas as pessoas que ao longo dos anos a deslegitimou enquanto mulher, sobretudo nas redes sociais.

“Vou gritar para as pessoas que me odeiam, os haters,: foi mal por não poderem me incomodar”. E colocou a hashtag: #Perguntameunomederegistro. Ela também incluiu uma carinha feliz, coração e beijos.

A postagem teve mais de 21 mil curtidas e mais de 1.500 compartilhamentos. Um dos comentários foi: "Obrigado Carmen, por trazer a consciência, porque nem todos os estados nos permitem mudar nossa documentação. Parabéns New Jersey por respeitar os seus cidadãos e cidadãs. É uma vergonha para os estados que não".


Outra sugestão de tradução para o que ela falou foi: "Hoje foi um dia bombástico. Um salve pras inimigas. Que penas que vocês não conseguiram me tombar".

Foto: @Elitenyc
Carmen foi descoberta no reality show RuPaul’s Drag Race e logo que foi eliminada se revelou trans e arrasou no mundo da moda. Certa vez, demonstrou interesse de ser angel da Victoria’s Secret. Uma petição rolou e ela continua mostrando beleza, profissionalismo e ativismo por onde passa. Parabéns pela conquista.

(Obs: Vale lembrar que mesmo quem não conseguiu retificar os seus documentos, devem ter o nome social e a identidade de gênero respeitados. A nota de Carmen trata-se de um momento pessoal e de euforia, em que ela não precisará mais passar por constrangimentos ao ter que mostrar sua documentação

No Brasil, para retificar nome e gênero precisa de uma ação judicial, que será avaliada por um juíz, podendo ou não ser aprovada, mediante a solicitações não específicas).

About Neto Lucon

Jornalista. É formado pela Puc-Campinas e pós-graduado em Jornalismo Literário pela Academia Brasileira de Jornalismo Literário. Escreveu para os sites CARAS Online, Virgula e Estadão (E+), Yahoo!, Mix Brasil, no jornal O Regional e para a revista Junior. É autor do livro-reportagem "Por um lugar ao Sol", sobre pessoas trans no mercado de trabalho. Tem quatro prêmios de jornalismo, sendo dois voltados para as questões trans, Claudia Wonder e Thelma Lipp

0 comentários:

Tecnologia do Blogger.