Header Ads

Transserviços

Pai da artista trans Renata Bastos emociona ao falar de aceitação: “O amor prevalece”


A artista Renata Bastos participou do Encontro com Fátima Bernardes, da TV Globo, nesta sexta-feira (17). E levou o seu pai, Marco Antonio, para falar sobre a sua trajetória como pessoa trans e a importância da aceitação familiar.

Renata afirma que exteriorizou a pessoa que sempre foi aos 13 anos, pouco depois da morte da mãe. Mas que desde os 5 ou 6 anos já sabia que era Renata. E que o pai foi fundamental no processo de autoaceitação e autoestima.

“Fico muito feliz por ele está aqui (no programa ao meu lado), porque ele é a base de tudo. Muita gente diz que, quando ele fala sobre mim, chora. E diz que espera que o próprio pai tenha essa iluminação que ele teve por mim. O amor foi essencial em tudo”, contou ela.

Já o pai disse que no início da transição nada é tão simples, porque a sociedade ensina a projetar sonhos em cima dos filhos. “Mas no caso da Renata, ela foi acolhida e o que prevaleceu foi o amor. O que eu sempre prego é a honestidade, o caráter e o conhecimento”, reafirmando que a filha tem tudo isso.



Durante o programa, Fátima Bernardes declarou que entendeu um pouco da transfobia porque desde ontem, quando anunciou que falaria sobre a população trans, teve uma “chuva de comentários” preconceituosos. Houve comentários de que fundamentalistas quiseram boicotar o programa. 


“Acham que se não falar, nada vai acontecer. Mas a gente tem que falar. Essas pessoas poderiam ser da minha família”, disse Fátima.


Renata diz que, de longe, as pessoas falam que aceitam porque é politicamente correto, mas “aí você vive a experiência do seu filho namorar uma trans, vai casar, ter filhos e daí você vai ter que lidar com os seus medos e o seu preconceito para fazer o melhor para ele ou para você”. Ela ressaltou que ser trans é uma questão individual.

Veja a primeira parte do programa com a mãe de uma criança trans clicando aqui.   

Um comentário

Beu disse...

Parabéns Fatima Bernardes! Precisamos abordar temas que envolvam a aceitação do outro exatamente como é.
No caso dos transsexuais ha sofrimento muito grande envolvido, por causa do preconceito . A família é o começo de toda história de acolhimento ou rejeicão do indivíduo em qualquer situação. Focar o tema na perspectiva da pessoa e dos pais , fez toda diferença.

Tecnologia do Blogger.