Header Ads

Transserviços

Youtuber Ariel Modara reúne 38 jovens trans falando o que a sociedade precisa saber


O youtuber Ariel Modara, jovem trans de 22 anos, fez o projeto “Paralelo Trans”, especial para o Dia da Visibilidade Trans, comemorada no dia 29 de janeiro. Ele tentou reunir o máximo de pessoas trans para falarem um pouco sobre suas histórias e dar visibilidade.

No total deste primeiro vídeo – pois é, terá outro! – foram 38 pessoas trans (a maioria homens trans) dando os seus relatos sobre o que é ser trans, momentos que marcaram suas vidas e recadinhos que queriam passar para a sociedade.

Ao NLUCON, Ariel contou que a ideia doo vídeo surgiu para que as pessoas trans fossem protagonistas para celebrar o Dia da Visibilidade trans, “em que pudesse falar algo sobre nós ou sobre nossa realidade que gostaríamos que a sociedade soubesse e que nos escutasse”.

Ele começou a trabalhar no projeto no final de dezembro e no início da janeiro divulgou a ideia, tendo rapidamente vários adeptos. “Foi muito emocionante. Todos os vídeos me marcaram de alguma maneira, todos positivos, desde ficar extremamente feliz até chorar ou ficar com os olhos marejados por conta dos relatos, com o coração apertado por saber que ainda temos muito pela frente”.



Dentre os relatos está o de Daniel (foto acima), de 18 anos, que mora no Mato Grosso do Sul. “Chega um momento da vida em que a gente tem que escolher. E eu escolhi ser eu e deixar de ser aquilo que as pessoas queriam que eu fosse. A partir do momento em que eu consegui ser livre, a vida passou a ser bem mais feliz. Eu descobri que não estou sozinho".

Danny, de 23 anos, morador de Ribeirão Preto, contou que assistiu a um Seminário sobre Suicídio e que sabe da importância do tema. “Não fiquei surpreso com a alta porcentagem de suicídio, porque eu mesmo já tentei suicídio por vários motivos. Mas um deles foi por falta de aceitação (...) as pessoas estão estragando o mundo. Eu gostaria que um dia a comunidade trans andasse na rua sem medo de ser agredida”.
Theo: amo ser quem eu sou

Theo, de 20 anos, que mora no Rio de Janeiro, é enfático: “Não, eu não quero ter um pênis, eu não nasci no corpo errado. Eu amo ser quem eu sou. Eu sou isso e está ótimo para mim. Apenas aceite”. 

Nadir, de 24 anos e pré-T, diz que as pessoas precisam aprender a respeitar. E Luca, de 25, que mora em Lisbora, defende que homens trans não são menos homens que os homens cis. “A gente é todo mundo igual e merece respeito”.

O fotógrafo e youtuber Bernardo Enoch, de 23 anos, de São Paulo também dá o seu recado: “Cada pessoa nesse mundo tem uma experiência única, passa por um bocado de coisas e o nosso combinado de coisas sempre vai ser diferente. Curta a sua vida, a sua experiência de vida e deixa a outra pessoa curtir a dela”.

Há vários outros relatos de mulheres trans, intersexos, não-binários, gênero-fluído, um bem fofo do Peter e muito mais. Vale a pena assistir e se emocionar também! 


Assista ao vídeo e se emocione:



Um comentário

Joelma Trans disse...

E onde estão os não jovens ??????????????????

Tecnologia do Blogger.